UFSB apura fraudes em cotas para negros no curso de Medicina

A Universidade Federal do Sul da Bahia (Ufsb) apura supostas fraudes em cotas para negros na instituição de ensino para ingresso no curso de Medicina, no campus de Teixeira de Freitas, no extremo sul da Bahia. A investigação teve início depois que um aluno denunciou, através do Facebook, que pelo menos 15 pessoas não negras teriam ingressado na instituição por meio das cotas.

O estudante, que era um dos membros da Comissão de Políticas Afirmativas, postou, na rede social, fotos de colegas da Ufsb com fenótipo branco que entraram na lista de aprovados em medicina, em dezembro de 2017.

A Ufsb diz que, ao receber a denúncia, formalizou o processo de investigação, no dia 7 de fevereiro de 2018, e instaurou uma Comissão de Sindicância, na mesma data, com prazo de 30 dias para finalização. Os alunos investigados não tiveram nomes divulgados pela instituição de ensino.


Comentários