UESC e CEPEDI realizam impressão 3D de o protetor facial

uesc_foto-nazauO combate à disseminação do novo coronavírus enfrenta algumas dificuldades e  uma delas é a falta de equipamentos de proteção para os profissionais da saúde. Para amenizar o problema, a Universidade Estadual de Santa Cruz e a sociedade civil estão imprimindo protetores faciais (face shield) em 3D que serão distribuídos gratuitamente nos hospitais que vão atender pacientes portadores do Covid-19.

Impressão 3D, de proteções para profissionais da saúde está sendo realizada em parceria com o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico em Informática e Eletroeletrônica de Ilhéus (Cepedi). Ate o momento foram impressos 60 desses equipamentos, em três impressoras, no laboratório do Cepedi, situado à Avenida Professor Milton Santos, no bairro Tapera, em Ilhéus. Segundo o professor Gesil Amarante Segundo, “a principal necessidade é a falta de filamentos (ABS ou PLA),  com os quais são processadas as impressões. Os pesquisadores esperam doações destes insumos.

face shieldO reitor da UESC, Alessandro Fernandes, agradeceu e parabenizou aos profissionais da saúde que estão empenhados nessa luta e também aos pesquisadores, docentes, técnicos e discentes da Universidade, envolvidos nas ações implementadas no combate ao Covid-19. O reitor destacou o esforço do Governo do Estado nas ações de combate ao coronavírus e também o papel da imprensa, que vem divulgando ações e conscientizando a população em geral sobre a gravidade do momento.

O projeto Face Shield for Life foi lançado por uma rede de makers, profissionais com apoio do Governo do Estado. De acordo com a secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia, Adélia Pinheiro “temos um comitê gestor com representantes de instituições parceiras que estão nos ajudando nessa missão de imprimir protetores faciais. Nossos parceiros têm como meta a produção de 10 mil equipamentos em uma semana. A UESC está fazendo a sua parte,” frisou.

A Anvisa publicou um decreto no dia 23de março permitindo, excepcionalmente, a fabricação de equipamentos de proteção sem autorização ou notificação ao órgão, desde que cumpridas as exigências de controle sanitário.

Atualmente um grupo de trabalho montado na UESC, envolvendo todas as áreas de conhecimento e todos os segmentos da comunidade acadêmica, procura ajudar na contenção do vírus.


Comentários