Teatro Popular de Ilhéus “O Quadro: a revolução começa nas margens”

espetaculo

Escrito por Romualdo Lisboa (2003) e adaptado pelo O Coletivo 7, o texto de “O QUADRO: a revolução começa nas margens” ainda se mantém atual. Segundo a diretora Valdiná Guerra, o espetáculo não se omite sobre questões sociais vivenciadas nas periferias e centros. “As situações expostas criam o pano de fundo para que o empoderamento – principalmente, o feminino – seja conclamado. É o retrato de uma realidade que precisa ser repensada com urgência”, complementa.
O texto narra a história de Nino e Lia, um casal de jovens que vivem situações de violência e de abuso dentro de suas realidades familiares e de comunidade. Ambos assumem espaços de comando que se alternam. O Coletivo 7 elege o Teatro do Oprimido de Augusto Boal como fundamento técnico e teórico para montagem do espetáculo O Quadro: a revolução começa nas margens. A peça tem produção do O Coletivo 7 com parceria com O Arte no Atto, grupo de teatro do Curso Técnico de Teatro do CEEP do Chocolate Nelson Schaun o que possibilita um trabalho que agrega teoria e prática, possibilitando, também, a formação de plateia.

Dias 14, 22 e 30 | 19h30
Classificação: 14 anos
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 – à venda na Papirus Livraria, na seção de ingressos desta página, no site do TPI (www.teatropopulardeilheus.com.br/programacao) e na bilheteria do evento.


Comentários