Saúde de pescadores e marisqueiras de Ilhéus debatidos em seminário

peixesO Núcleo de Saúde do Trabalhador (NUSAT), em parceria com a ONG Humana Brasil e a Equipe de Saúde da Família da Barra promoveram no início da semana, o 1º Seminário sobre Saúde para Pescadores e Marisqueiras de Ilhéus. O evento contou com a presença do secretário Geraldo Magela (Saúde), que destacou a importância desse segmento no perfil produtivo da cidade. O gestor reconheceu as demandas existentes e o trabalho de mobilização realizado pelas equipes da secretaria e demais instituições parceiras.

A coordenadora do NUSAT, Fernanda Jovita conduziu a abertura do evento compartilhando a satisfação da equipe em dar início ao calendário de atividades previstas voltadas à categoria. A engenheira de pesca, Daniela Melo introduziu o tema “Saúde do Pescadores e Marisqueiras”, e a médica Ana Cláudia Maciel abordou sobre prevenção de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais mais prevalentes, além dos principais riscos provenientes das atividades da pesca e da mariscagem.

Durante o encontro, a enfermeira Ilana Menezes fez um alerta importante com relação à Tuberculose. Na sua avaliação, a doença pode ocorrer, em consequência da exposição a fatores de risco existentes nos ambientes e processos de trabalho dessa categoria (a exemplo das baixas temperaturas), o que compromete o sistema imunológico desse trabalhador, associada a área endêmica para a patologia.

Entre as atividades realizadas, a fisioterapeuta Leilane Rocha esclareceu aos participantes sobre ergonomia e propôs a simulação de posições inadequadas e respectivas correções, a fim de desenvolver novos hábitos e promover o auto-cuidado. Orientações sobre direitos previdenciários e a importância da criação de associações ou cooperativas foram prestadas pela assistente social, Graça Souza, que incentivou ainda a participação coletiva desse público no controle social.

“Ações como essa são importantes porque fortalecem a parceria entre instituições e viabilizam, inclusive, estratégias que dificilmente seriam realizadas sem um esforço conjunto visando o benefício público”, mencionou a sanitarista Quézia Santana. Na oportunidade, foram entregues pela equipe da Sesau, repelentes para uso dos pescadores e marisqueiras nas atividades cotidianas de trabalho, a fim de prevenir picadas de insetos e outros vetores de doenças.


Comentários