No Nordeste, Haddad faz proposta para Bolsa Família e gás de cozinha

O candidato a presidente pelo PT, Fernando Haddad, durante caminhada em São Luís — Foto: Afonso Diniz / G1O candidato do PT à presidência da República, Fernando Haddad, prometeu neste domingo (21), caso seja eleito, um reajuste de 20% nos benefícios do Bolsa Família e um teto de R$ 49 para o preço do botijão de gás de cozinha. Segundo Haddad, as duas medidas entrariam em vigor em janeiro, primeiro mês do futuro governo.

Haddad dedicou o fim de semana à campanha no Nordeste. Após o primeiro turno, foi a primeira visita dele à região, onde venceu em todos os estados à exceção do Ceará. No sábado, o candidato esteve em Fortaleza, Juazeiro e Crato, no Ceará, e em Picos, no Piauí. Neste domingo, participou pela manhã de atividades de campanha em São Luís – onde fez uma caminhada e um ato na Praça do Coreto – antes de voltar para São Paulo.

Ele argumentou que o aumento de 20% para os benefícios do Bolsa Família é necessário porque, segundo disse, a inflação é mais elevada para os mais pobres.

“Bolsa Família, em janeiro, 20% de acréscimo no Bolsa Família. Porque as famílias estão sofrendo muito. Quem tem hoje um benefício de R$ 200, vai passar, em janeiro, para um benefício de R$ 240. Para enfrentar a carestia. A inflação de quem ganha pouco é mais alta”, disse.

Sobre o preço do gás de cozinha, afirmou que, a partir de 1º de janeiro de 2019, o botijão não poderá custar mais de R$ 49. De acordo com o mais recente levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, divulgado neste domingo, o menor preço médio para o consumidor no período entre os últimos dias 14 e 20 era de R$ 62,61, no Maranhão, e o maior, R$ 83,84, no Tocantins.

“Em 1º de janeiro vamos tomar uma medida e em nenhum lugar do país o gás vai poder custar mais de R$ 49”, disse Fernando Haddad. (G1)


Comentários