Moradores de Itacaré foram atendidos pela Unidade da Defensoria Pública

uni-3Dezenas de moradores de Itacaré foram atendidos nesta terça-feira pela unidade móvel da Defensoria Pública do Estado da Bahia. A realização desse serviço foi através de uma parceria firmada entre a Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria de Desenvolvimento Social, e a Defensoria Pública. O objetivo da ação foi oferecer atendimento jurídico gratuito a todos os cidadãos. Dentre as atividades realizadas pela unidade móvel foram encaminhadas ações na área Cível, ação de alimentos, execução pensão alimentícia, divórcio consensual, exames de DNA para o reconhecimento de paternidade, dentre outras questões de menor complexidade.

De acordo com o prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, a ação teve como principal finalidade ofertar à comunidade itacareense meios gratuitos de acesso à justiça, complementares aos já ofertados pela atual gestão municipal. O diretor do Núcleo de Assistência Judiciária de Itacaré, Iran Araújo ressaltou que desde o início da atual gestão o governo municipal tem disponibilizado serviços de atendimento jurídico gratuito, sobretudo para aqueles que mais necessitam.

Além do defensor público Ricardo Carillo e dos servidores de Salvador, a atividade contou com a participação da equipe da 3a Defensoria Regional – Ilhéus: a subcoordenadora Cristiane Barreto, os defensores públicos Fabiane Oliveira, Júlia Baranski, Leonardo Salles e Paula Verena, servidores e estagiários. “Esta atividade aqui em Itacaré permitiu que os moradores conhecessem os serviços oferecidos pela Defensoria Pública e isso ficou comprovado através das demandas que atendemos. Celebramos diversos acordos extrajudiciais, como os relacionados a contratos de aluguel, divórcios consensuais e também na área cível”, destacou a subcoordenadora da 3a Defensoria Regional, Cristiane Barreto.

A guarda dos filhos também esteve em pauta nesta itinerância. O técnico em eletrônica e informática Gabriel Porto, 30 anos, e o gesseiro Ezequias da Conceição, 37 anos, foram em busca do direito de conviverem e cuidarem dos filhos. “Sempre confiei na justiça e, hoje, a Defensoria está aqui para quebrar qualquer tipo de burocracia e resolver tudo de forma mais rápida. Não sei para onde minha ex-mulher levou minha filha e vim em busca de ajuda, em busca de ter o meu direito de pai”, desabafou Ezequias da Conceição. “Eu quero ter o direito de cuidar dos meus filhos e dar o melhor para eles”, acrescentou Gabriel Porto.


Comentários