Ilhéus discute em Salvador implantação da “Estrada do Cacau e do Chocolate”

fazendas-de-cacau-na-rodovia-ilheus-urucuca-fazem-parte-do-roteiro-secom-mauricio-maron-1

O vice-prefeito e secretário de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável, de Ilhéus, José Nazal, se encontra em Salvador para participar de reunião nas secretarias estaduais de Desenvolvimento Rural, de Turismo, e Bahiatursa, com o objetivo de tratar sobre a implantação do projeto “Estrada do Cacau e do Chocolate”. Também participa da discussão o secretário municipal de Turismo, Roberto Lobão Filho.

O encontro, que acontece nos dias 14 e 15 deste mês, visa discutir e aprovar as peças da sinalização da estrada, além de participar da audiência pública da comissão de assuntos territoriais e emancipação da Assembleia Legislativa da Bahia, que trata sobre a experiência da aplicação da lei da revisão dos limites territoriais do município de Ilhéus.

Diálogo com o Estado – A viabilidade de sua implantação tem como eixo a rodovia Ilhéus-Uruçuca, que inclusive, foi objeto de conversa, no dia 17 de janeiro, em Salvador, entre o prefeito Mário Alexandre, com o chefe da Casa Civil do governo da Bahia, Bruno Dauster.

O projeto consiste na formatação de circuito turístico que inicialmente irá abranger os municípios de Ilhéus e Uruçuca. No roteiro, o turista conhecerá detalhes a respeito da cultura do cacau até a produção do chocolate, a partir de visitas a fazendas existentes ao longo da rodovia, entre outros atrativos.
Na oportunidade, o prefeito afirmou que “temos grandes atrações para mostrar neste contexto: as fábricas do parque moageiro de cacau, no Distrito Industrial de Ilhéus, fazendas/fábrica de chocolate gourmet, fazenda de época com acervo, a Estação Rio do Braço que reúne o patrimônio arquitetônico da sede do antigo distrito de Ilhéus, a Biofábrica do Cacau e lojas de chocolates finos que se multiplicam pela cidade e conquistaram o Brasil. Com isso, vamos envolver os turistas com os nossos sabores, cultura e história, além de atrair aficcionados por turismo rural, gastronomia e história”.


Comentários