Fundação Marimbeta inclui projetos de ensino à participação da comunidade

Dentro da proposta de promover a integração entre alunos, professores e a comunidade em geral, a Fundação Marimbeta abre espaços por meio de projetos de inclusão social para as famílias que moram no bairro Fonseca. Um dos projetos é a oficina de informática básica, antes restrita a crianças e adolescentes e que funciona no Sítio II da fundação.

As aulas para as novas turmas neste segundo semestre de 2018 foram iniciadas na última segunda-feira (9), à noite, com a participação de 25 alunos adultos. A oficina de inclusão digital acontece duas vezes por semana e é ministrada pelo professor Carlos Alberto Almeida de Souza, um ex-aluno da fundação, conforme lembra a presidente da entidade, Cleonice Almeida.

“Carlos Alberto hoje é professor concursado e é um exemplo de dedicação e compromisso com a questão social, o que nos leva a afirmar que a Fundação Marimbeta cumpre seu papel na formação profissional e cidadã dos alunos que passam por lá”, destacou a presidente da fundação. O professor confirma que sua formação profissional e pessoal foi adquirida quando estudou na fundação e que por isso, hoje, tenta retribuir prestando serviço e levando conhecimento para quem necessita.

O projeto de inclusão digital foi implantando desde o inicio da atual gestão municipal na unidade II da Fundação Marimbeta já beneficiou, só no ano passado, cerca de 50 pessoas entre pais de alunos e famílias que moram próximas ao sitio. A proposta para este ano é manter o número de alunos que desejam aprender uma profissão ou que buscam qualificação da mão de obra.


Comentários