Conferência interterritorial de Juventude no Sul da Bahia

DSC_0093A redução da maioridade penal e a violência contra a juventude negra foram temas centrais dos debates durante a abertura do encontro interterritorial do Sul da Bahia, em Itabuna, na tarde de ontem (28). O evento é uma das etapas da 3ª Conferência de Juventude e reuniu, no Centro de Cultura Adonias Filho, cerca de 200 jovens, representantes dos territórios de identidade Litoral Sul, Baixo Sul, Extremo Sul e Costa do Descobrimento, além de representantes governamentais e de entidades da sociedade civil.

Os objetivos da etapa, que continua nesta terça-feira (29), é promover a participação democrática da juventude na construção de políticas públicas para o segmento e eleger os delegados que irão participar das conferências estadual e nacional.

Organizado pelo Conselho Estadual de Juventude (Cejuve) com o apoio da Secretaria de Justiça, DireitosConferen_juvent_itabuna Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), o debate contou com as colaborações do secretário da pasta, o sociólogo Geraldo Reis, da representante do Conselho, Liliane Oliveira, da superintendente de Direitos Humanos da SJDHDS, Anhamona de Brito, dos representantes das secretarias de Relações Institucionais (Serim), Mary Cláudia e Souza, e de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), Sergio São Bernardo, e do vice-prefeito do município, Venceslau Júnior, entre outras autoridades.

“Nós vivemos uma conjuntura que não só é adversa, mas é uma pauta de retirada de direitos. A juventude já disse não à redução da maioridade penal. A juventude diz não à PEC 215, que coloca nas mãos desse congresso conservador a titulação das terras indígenas e quilombolas. A juventude diz não à PEC 216, que quer retirar o direito conquistado das mulheres de ter um atendimento de saúde seguro para realizar uma profilaxia em caso de violência sexual”, listou a representante do Conselho, Liliane Oliveira.


Comentários