Comércio virtual e venda delivery de produtos da agricultura familiar é tema de debate em seminário

Comércio virtual e venda delivery de produtos da agricultura familiar é tema de debate em seminárioA 2ª edição do Seminário Virtual Parceria Mais Forte, Juntos para Alimentar a Bahia, promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), trouxe, neste sábado (25), um painel sobre comércio virtual e vendas delivery de produtos da agricultura familiar. O intuito foi discutir as ferramentas digitais de comercialização dos produtos da agricultura familiar, do comportamento de compra do consumidor e dos potenciais e oportunidades de mercado e de negócios, no período de pandemia da Covid-19.

Com a pandemia do coronavírus, muitos segmentos que atuavam no modelo de varejo convencional precisaram se adaptar para buscar outras formas de viabilizarem seus negócios, por meio de plataformas de vendas digitais e a agricultura familiar também se adaptou à necessidade de comercializar seus produtos por meios digitais.

O diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), Wilson Dias, lembrou do Centro de Distribuição (CD) da Agricultura Familiar, localizado no bairro de Itapuã, na capital baiana, que integra a estratégia da SDR, por meio da CAR, de apoio à comercialização dos produtos da agricultura familiar. No espaço, encontram-se depósitos fechados de cooperativas baianas, para facilitar o escoamento da produção: “É um ponto de encontro entre as cooperativas e associações e o consumidor. Pretendemos criar dentro do CD um espaço para que esses empreendimentos de comércio virtual possam ter um local para recebimento deste produto”.

Além disso, Dias ressaltou a estratégia de ampliação de consumo dos produtos da agricultura familiar e valorização desses produtos, a partir do Selo estadual de Identificação dos Produtos da Agricultura Familiar (SIPAF): “É preciso que as cooperativas ajustem suas embalagens, junto à Superintendência da Agricultura Familiar (Suaf), para que nos próximos dois meses a gente possa crescer a quantidade de produtos com esse selo próprio da agricultura familiar baiana”.

A Escoar, que foi apresentada durante o seminário, é uma startup que lançou uma plataforma digital neste período e é um exemplo de plataforma online de venda que vem dando certo. A diretora executiva da Escoar, Suzana Calmon, explica que a ideia da Escoar surgiu de um grupo de jovens empreendedores com o objetivo de fazer chegar nas casas dos consumidores produtos da agricultura familiar: “Hoje estamos comercializando mais de 40 tipos de produtos de toda a Bahia. Neste período de pandemia, já vendemos mais de seis mil produtos. Um faturamento que teve aumento de 740%”.

Outra iniciativa que se posicionou no mercado de vendas de produtos da agricultura familiar foi a Coophub, que, segundo o fundador da plataforma e presidente da Cooperativa de Cafés Especiais e Agropecuária de Piatã (Coopiatã), Rodolfo Moreno, a Coophub nasceu dessa necessidade de se virar nesse período e de aglutinar ideias, pessoas e produtos da agricultura familiar de associações, cooperativas ou empreendimento solo de agricultores: “Nossa meta é aumentar as vendas da agricultura familiar, fortalecer o selo desse segmento e mostrar que onde o nosso selo azul estiver tem qualidade, responsabilidade e sustentabilidade”.

Rodolfo destacou ainda que o edital Alianças Produtivas, do projeto Bahia Produtiva, executado pela CAR/SDR, vem sendo fundamental nesse processo, oferecendo toda a estrutura para acessar o mercado.


Comentários