Governo já investiu R$ 95,6 milhões em programa de proteção ao emprego

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rosseto, participa do Fórum Dialoga Brasil Interconselhos (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)O governo federal já investiu este ano mais de R$ 95,6 milhões no Programa de Proteção ao Emprego (PPE), beneficiando 43.086 trabalhadores. Os dados foram divulgados ontem (27) pelo ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rosseto, em apresentação no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo. Desses trabalhadores, 24,5 mil são da base do sindicato paulista. Entre as fábricas que ingressaram no PPE estão as montadoras Volkswagen, Ford e Mercedes-Benz.

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rosseto, participa do Fórum Dialoga Brasil Interconselhos (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Para Miguel Rosseto, as mudanças do Congresso Nacional melhoraram a proposta inicial do governoArquivo/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A lei do PPE foi sancionada pela presidenta Dilma Rousseff no dia 19 deste mês. O programa prevê a possibilidade de redução temporária da jornada de trabalho e dos salários em até 30%, com complementação pelo Fundo do Amparo ao Trabalhador (FAT) de metade da redução salarial.

No total, 80 empresas aderiram ao programa, sendo 27 do setor automobilístico, seguido pelos setores fabril (19) e metalúrgico (17). O ministro informou ainda que o investimento de outros R$ 25 milhões estão em análise.

Rosseto informou que as mudanças do Congresso Nacional melhoraram a proposta inicial do governo. Ele citou como exemplo a simplificação para adesão de pequenas empresas.

Meia Mais na Agência Brasil


Trabalhadores terceirizados da educação de Ilhéus continuam acampados em Lauro de Freitas

Acampamento_locserv_Laurodefreiutas_Ze_27_11_2015Cerca de 30 funcionários terceirizados do Estado do município de Ilhéus, acompanhados da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza da Região Sul e Extremo Sul da Bahia (Sindilimp), estão acampados na sede da empresa LOCSERV no município de Lauro de Freitas desde quarta-feira(25), aguardando o pagamento de  salários e benefícios atrasados.

Segundo a empresa, o motivo do atraso seria por falta de receita por parte governo do Estado da Bahia. A expectativa é que o pagamento dos salários atrasados sejam feitos ainda nesta sexta-feira(27). A diretoria do Sindilimp  permanece com os trabalhadores na região metropolitana de Salvador, aguardando a efetivação dos salários em atraso.