Una pode perder empreendimentos por falta de apoio da Câmara de Vereadores

una BACentenas de empregos pode deixar de ser gerados no município de Una por falta de aprovação da Câmara de Vereadores dos projetos do Executivo. Semana passada não houve Sessão, e na de ontem(05), alguns vereadores se posicionaram contra o projeto que prever entre outros coisas,  isenção de imposto para instalação da fábrica de motocicletas chinesa Yasuna.

Mesmo com a estimativa de criar 300 postos de trabalho, a presença de três mil pessoas na Sessão, e as explicações detalhadas do projeto por técnicos do governo municipal liderados pela prefeita Diane Rusciolelli (PT), cinco vereadores impediram que o projeto fosse votado. A ação demonstra falta de interesse destes parlamentares no desenvolvimento socioeconômico do município.

Nos bastidores o comentário é que os vereadores de oposição à prefeita Diane são contra o projeto apenas por questões políticas e  pessoal. E que  não são favoráveis a esse e outros projetos do Executivo apenas para atrapalhar a governo. O problema é que a atitude individualista  destes vereadores podem prejudicar  e acabar com expectativas  e sonhos  de  jovens e país de famílias,  em conseguir um emprego no município onde residem.


Prefeita de Una acompanha governador na visita a Itapé

Diane e rui Itape 02 de abrilA prefeita de Una Diane Rusciolelli (PT)acompanhou a comitiva do governador Rui Costa no sábado(02) na visita a Barragem do Rio Colônia  e a inauguração  do Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep) do município de Itapé.

O Disep  é resultante de uma série de mecanismos desenvolvida pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Segurança Pública (SSP), com o propósito de proporcionar mais segurança e tranquilidade aos cidadãos baianos.

Além do governador, participaram da cerimônia de inauguração e das visitas  o Secretário Josias Gomes da SERIN e o Secretário de Segurança Publica Maurício Barbosa. Estiveram também os deputados Davidson Magalhães, Rosemberg Ponto, Ângela Souza e dezenas de prefeitos da Região como o presidente da AMURC e prefeito  de Ibicaraí  Lenildo Santana.

Na oportunidade a prefeita Diane parabenizou o governador pelo cumprimento dos compromissos  assumidos de apoio ao desenvolvimento do Sul da Bahia e disse está feliz ao lado de Rui Costa no Partido dos Trabalhadores.


Documentos indicam grampo ilegal e abusos de Moro na origem da Lava Jato

STF irá julgar nas próximas semanas se Moro continuará ou não julgando os crimes relacionados à Operação Lava JatoDo Uol

Nas últimas semanas, a operação Lava Jato levantou polêmica ao divulgar conversas entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a atual presidente Dilma Rousseff (PT). Os questionamentos sobre a legalidade da investigação, entretanto, surgem desde sua origem, há quase dez anos. Documentos obtidos pelo UOL apontam indícios da existência de uma prova ilegal no embrião da operação, manobras para manter a competência na 13ª Vara Federal de Curitiba, do juiz Sergio Moro, e até pressão sobre prisioneiros.

Esses fatos são alvo de uma reclamação constitucional, movida pela defesa de Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, no STF (Supremo Tribunal Federal). A ação pede que as investigações da Lava Jato que ainda não resultaram em denúncias sejam retiradas de Moro e encaminhadas aos juízos competentes, em São Paulo e no próprio STF. Para ler a íntegra do documento, clique aqui.

Como presidente do Instituto Lula, Okamatto também foi alvo da 24ª fase da operação. Ele foi ouvido pela força-tarefa para tentar esclarecer como o instituto e a LILS Palestras receberam R$ 30 milhões de empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção da Petrobras. Parte do dinheiro foi transferido do Instituto Lula para empresas de filhos do ex-presidente, segundo a investigação.

A reportagem ouviu nove profissionais do Direito, dentre advogados sem relação com o caso e especialistas de renome em processo penal, e a eles submeteu a reclamação constitucional e os documentos obtidos. Os juristas afirmam que a Operação Lava Jato, já há algum tempo, deveria ter sido retirada da 13ª Vara Federal de Curitiba, além de ter sido palco de abusos de legalidade.

O portal também questionou o juiz Sergio Moro sobre o assunto, mas o magistrado preferiu não se pronunciar (leia mais ao final desta reportagem).

Leia mais.


Lideranças de Ibicuí articulam para o pleito de outubro

Claudio_prefeitos_ibicuiA partir deste mês de abril começam a se afunilar os rumos partidário para quem deseja ser candidato a prefeito e a vereador. No município de Ibucuí no Sul da Bahia, diversas lideranças ligadas ao ex-prefeito Claudio Dourado já comeram debater as diretrizes para um futuro programa de governo.

Segundo informações, o grupo iniciou a traçar as estratégias políticas e a montar as propostas voltadas para o desenvolvimento socioeconômico do município. Empreendedores, lideranças políticas e líderes  comunitários vem se reunindo com freqüência e ampliando a participação de diversos segmentos da cidade.

Claudio, com três mandatos de prefeito no currículo, portador de experiência comprovada na articulação regional e com acesso fácil ao governador Rui Costa, tem sido ouvido pelas lideranças e buscado discutir com a oposição o melhor caminho. Um dos objetivos é definir dentro do grupo, e através das sinalizações do povo, o melhor nome que atenda os anseios da população para ser o candidato a prefeito.


Manifestação contra o golpe e em defesa da democracia em Ilhéus

imagem PTCerca de duas mil pessoas, segundo os organizadores, foram às ruas de Ilhéus na tarde desta quinta-feira, num grade ato público contra o golpe e em defesa do estado democrático de direito. Liderado por movimentos sociais, centrais sindicais, profissionais liberais e pessoas de diferentes classes sociais, partidos políticos e faixa etária, o ato foi considerado com uma resposta do povo ilheense contra o golpe e contra o impeachement da presidenta Dilma Rousseff.

A presidente do Partido dos Trabalhadores em Ilhéus, Professora Carmelita, falou dos avanços sociais dos governos Lula e Dilma e do interesse dos golpistas em querer criminalizar justamente as pessoas que não aprecem em qualquer lista de propina.Ela também deixou claro que o ato não foi em defesa do governo, mas sim a favor da democracia, já que o povo elegeu a presidente Dilma Rousseff por quatro anos, acreditando no projeto popular que está sendo desenvolvido no Brasil.


Marco Aurélio diz que impeachment sem respaldo jurídico “transparece como golpe”

marco-aurelio-melloDeu na Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio disse hontem (30) que o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff pode “transparecer como golpe” se não houver fato jurídico para justificar o impedimento.
De acordo com o ministro, o eventual afastamento de Dilma não vai resolver a crise política instalada no país. O ministro conversou com jornalistas na tarde desta quarta-feira, antes da sessão do Supremo.

Marco Aurélio repercutiu a declaração da presidenta Dilma durante cerimônia de lançamento da terceira fase do Programa Minha Casa, Minha Vida, no Palácio do Planalto, na manhã de hoje. No evento, Dilma reafirmou que o processo de impeachment aberto contra ela na Câmara dos Deputados é golpe porque não há crime de responsabilidade. O ministro é primo do ex-presidente Fernando Collor, que sofreu impeachment em 1992.

“Acertada a premissa, ela tem toda razão. Se não houver fato jurídico que respalde o processo de impedimento, esse processo não se enquadra em figurino legal e transparece como golpe. Agora, precisamos aguardar o funcionamento das instituições. Precisamos nesta hora é de temperança. Precisamos guardar princípios e valores e precisamos ter uma visão prognostica”, disse o ministro.

Para Marco Aurélio, o eventual afastamento da presidenta não vai resolver a crise política. “Nós não teremos a solução e o afastamento das mazelas do Brasil apeando a presidenta da República. O que nós precisamos, na verdade, é de entendimento, de compreensão e de visão nacional”, argumentou.


Prefeita de Una Diane Rusciolelli filia-se ao PT

Everaldo-e-Diane-filiação-pt-580x435A prefeita de Una, Diane Rusciolelli, se filiou ao Partido dos Trabalhadores. O ato aconteceu hoje (23) na sede do PT/Bahia e a ficha de filiação foi abonada pelo presidente Everaldo Anunciação.

A filiação teve o apoio da direção estadual e dos secretários do partido no governo Rui Costa. Everaldo destaca a importância desta filiação, principalmente pela boa administração da prefeita que é pré- candidata a reeleição.

Segundo o presidente, em abril será realizado um encontro entre as direções municipal e estadual do PT quando será oficializada a pré-candidatura da prefeita.


Teori determina que Moro envie investigações sobre Lula para o Supremo

Teori Zavascki deu dez dias para que Moro preste informações sobre o caso - Foto: Nelson Jr./SCO/STFO ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o juiz Sérgio Moro envie à Corte os processos que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão, porém, não anula a liminar concedida por Gilmar Mendes na última sexta-feira, que suspendeu a nomeação de Lula como ministro-chefe da Casa Civil.

Na decisão, Teori também condenou a divulgação dos áudios entre Lula e a presidente Dilma Rousseff e determinou que os processos devem correr, a partir de agora, sob sigilo. “A esta altura, há de se reconhecer, são irreversíveis os efeitos práticos decorrentes da indevida divulgação das conversações telefônicas interceptadas. Ainda assim, cabe deferir o pedido no sentido de sustar imediatamente os efeitos futuros que ainda possam dela decorrer e, com isso, evitar ou minimizar os potencialmente nefastos efeitos jurídicos da divulgação, seja no que diz respeito ao comprometimento da validade da prova colhida, seja até mesmo quanto a eventuais consequências no plano da responsabilidade civil, disciplinar ou criminal”, diz. (Estadão)


Juristas declaram apoio a Lula e defendem democracia

jursitasJuristas contrários ao impeachment estão no Palácio do Planalto para um ato em defesa da presidenta Dilma Rousseff. O ato foi batizado pelos juristas de “Pela Legalidade e em Defesa da Democracia” e, dele, participam também advogados, promotores e defensores públicos contrários ao processo de impeachment.

No momento, alguns juristas discursam em defesa do cumprimento da legalidade e das regras Constitucionais.

Entre os participantes está o diretor da Faculdade da Direito da Universidade Federal de Pernambuco, Francisco de Queiroz Bezerra Cavalcanti, o advogado criminalista, mestre e doutor em direito penal pela Universidade de São Paulo, Alberto Toron, e a integrante da Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares (Renap), Camila Gomes. Também estão presentes o ministro da Justiça, Eugênio Aragão, e o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo.

O encontro ocorre dias após a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) decidir apoiar o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff em votação do Conselho Federal da OAB na última sexta-feira (18).

A reunião de hoje segue o modelo do encontro ocorrido em dezembro do ano passado, quando a presidenta Dilma recebeu cerca de 30 juristas contrários ao impeachment. Na ocasião, eles argumentaram serem contrários à abertura do processo de impeachment por não estarem presentes, no pedido recebido pelo deputado Eduardo Cunha, os requisitos constitucionais e legais necessários para configurar um eventual crime de responsabilidade cometido por Dilma. Na cerimônia de hoje, mais de uma centena de pessoas estão presentes.(Agência Brasil)


Mulheres representam 13% das vereadoras e 12% das prefeitas de todo o país

Atualmente, as mulheres ocupam apenas 13,5% dos cargos nas câmaras municipais e 12% das prefeituras de todo o país, revelou levantamento da Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM). Em números absolutos, são 7.782 mulheres vereadoras. Os homens, que ocupam 86,5% das vagas, somam 49.825.

Entre as eleições de 2008 e 2012, o número de candidaturas femininas para as 5.568 câmaras municipais saltou de 72.476 para 133.864, crescimento de 84,5%. No entanto, esse aumento não fez com que mais mulheres se tornassem vereadoras. Em 2008, 8,9% das concorrentes se elegeram para as câmaras municipais. Em 2012, o percentual caiu para 5,7%.

No caso das prefeituras, em 2012 foram 672 candidatas eleitas, aumento de 33% em relação à eleição de 2008, quando foram eleitas 504 prefeitas. Isso representa 9,12% do total de candidatos às prefeituras no país.

No Congresso Nacional, a participação das mulheres também é baixa. No Senado, a representação feminina atualmente não chega a 15% dos cargos. Já na Câmara dos Deputados, elas ocupam apenas 10% das cadeiras.

A secretária de Articulação Institucional e Ações Temáticas da SPM, Rosali Scalabrin, defende que a igualdade na política não é apenas uma questão de cotas ou de equidade de gênero. “É impossível ter, verdadeiramente, uma democracia sem a representação dos vários segmentos da sociedade. O segmento dos negros, indígenas, das pessoas com deficiência mas, sobretudo, das mulheres, que são mais de 50% da população, não está representado”, diz.

Leia mais na Agência Brasil.