Amurc participou de Audiência Pública sobre a crise hídrica

Audiência Pública na Uesc_galo_11_07_2016Na Audiência Pública da Frente Parlamentar Ambientalista da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia, coordenada pelo deputado estadual Marcelino Galo, o prefeito de Ibicaraí e presidente da Amurc, Lenildo Santana destacou a importância das ações para o enfrentamento da crise hídrica na região. O encontro foi realizado nesta segunda-feira, 11, na Uesc, com a participação de representantes dos municípios, órgãos do Estado e a sociedade civil.

Nos últimos meses, a população de Itabuna e cidades circunvizinhas têm sido beneficiadas com abastecimento de água, através de carros pipa, perfuração de poços, instalação de reservatórios de água em locais estratégicos. Junto a isso, seguem as próximas etapas das obras da barragem do Rio Colônia, como uma das alternativas para solucionar os problemas enfrentados pela população itabunense.

Audiência Pública na Uesc 2 JOSIVALDO DIAS (1)“A região passa por uma crise sem precedentes em decorrência de problemas estruturais e ambientais. A falta de chuvas agrava em muito a problemática. Mas vamos enfrentar a situação de forma a minimizar os impactos desta grave crise hídrica”, disse o secretário de Infraestrutura Hídrica e Saneamento Cássio Peixoto, ressaltando que os índices pluviométricos na região diminuíram um terço, menores de 2007 a 2016.

Paralelo as ações desenvolvidas pela do Estado, Lenildo destacou que instituições e entidades regionais formaram o Comitê Produtores de Água do Sul da Bahia, e já estão trabalhando com o objetivo de incentivar os produtores rurais a adotarem boas práticas de proteção e conservação da água e do solo, em contrapartida de incentivos financeiros, não financeiros e assistência técnica gratuita.

Durante a apresentação do projeto, o coordenador executivo da Amurc, Luciano Veiga explicou que são atividades de recuperação de matas ciliares, recuperação de nascentes, Pagamento por Serviço Ambiental e sistema agroflorestal. “É um olhar diferenciado para a micro bacia, no sentido de oferecer a ela toda a recuperação de mananciais hídricos que foram perdidos ao longo do tempo”.

O trabalho de mitigação do impacto ambiental na região foi também uma proposta apresentada pelo pesquisador da Ceplac e professor da Uesc e FTC, Dan Lobão, por meio do projeto Pau D’ Água, que está relacionado a um sistema mais sustentável. “Não dá para fazer meio ambiental ou ecologia de forma separada da agricultura ou do homem do campo. Então, a ideia é mostrar que é possível uma agricultura capaz de ter uma boa relação com os recursos naturais, o solo e a água”.


Seminário abordou gestão e sistema ambiental nos municípios

LuciusCom o objetivo de orientar a sociedade civil e os profissionais da gestão pública municipal sobre o programa de Gestão Ambiental Compartilhada (GAC) e o Sistema Municipal de Meio Ambiente (SISMUMA), técnicos do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável – Litoral Sul realizaram um seminário nesta terça-feira, 7, no município de Ubaitaba.

De acordo com o Engenheiro Agrônomo do CDS-LS, Lucius Flavius Ourives, o encontro reuniu representantes da Ceplac, do Conselho de Meio Ambiente do município, produtores da Agricultura Familiar, assistentes sociais, engenheiros ambientais e da sociedade civil local. Participou também da atividade a  técnica do CDS-LS Tauá Fontes Lima de Lucena.

tauaO seminário abordou sobre informações referentes a licenciamento ambiental, prevista na Lei Complementar 140/2009, que trata sobre a competência delegada ao município. “Qualquer atividade ou empreendimento que cause risco ou danos ambientais, tornam-se passíveis de licenciamento”, afirmou Lucius.

Ainda durante o seminário, o secretário de Agricultura e Meio Ambiente de Itajuípe, Marcos Paulo Vasconcelos apresentou o Projeto Produtor de Água, que está em discussão para ser desenvolvido na região Sul da Bahia.


Lama vista em Abrolhos no Extremo Sul da Bahia pode ser da barragem de Mariana, diz Ibama

Os presidentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Marilene Ramos, e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Claudio Maretti, informaram ontem (7), em entrevista coletiva, que estão monitorando uma mancha no oceano que chegou à região sul da Bahia e já atingiu o Parque Nacional Marinho dos Abrolhos, local com maior biodiversidade de corais do Atlântico.

De acordo com a presidenta do Ibama, a mancha está sendo associada à lama de rejeitos de mineração da Samarco, que está concentrada na foz do Rio Doce. A mancha vinha se espraiando no último mês para o sul do litoral do Espírito Santo, mas, nos últimos dois dias, devido às fortes chuvas na área, passou a se espalhar também na direção norte do estado.

“O sobrevoo da região por especialistas leva a crer que a origem dela [mancha] é a lama de rejeitos da Samarco e, por isso, já notificamos a empresa [Samarco] para realizar coletas e avaliar se é de fato a lama despejada no Rio Doce”, disse Marilene Ramos.(Tribuna da Bahia)


Parceria visa fomentar o desenvolvimento sustentável da região

Coordenador da Amurc, Luciano Veiga, Prefeita de Barro Preto, Jaqueline Mota e Rosa Penzza, coordenadora do FórumA Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano – Amurc firmou uma parceria com o Fórum de Diálogo da Região do Cacau para debater e pleitear ações que envolvem o Patrimônio Cultural, Ambiental e outras demandas sociais, em conjunto com as variadas instituições locais.

O Fórum do Diálogo do Cacau é uma Governança Corporativa que dialoga com instituições públicas e privadas, e de acordo com a coordenadora Rosa Penzza, ganhou uma nova vertente com ações de fomento ao patrimônio cultural e ambiental da região do cacau. Em parceria com a Amurc, o Fórum estará promovendo a restauração histórica da fazenda Mundo Novo, em Barro Preto.

“A ideia, junto com a Amurc é fomentar o município Barro Preto como destino de turismo. A ação pontual será com o artista plástico francês, Pascal Rochette, que entre os dias 12 e 19 de janeiro estará na região para pintar a Mata Cabruca e restaurar a primeira fazenda na região, como parte do projeto piloto do Programa de Turismo em fazendas de cacau”, destacou Rosa.

Além de promover o resgate histórico e cultural, a parceria visa ainda fomentar o diálogo entre as instituições na região, visando a construção de vetores para o desenvolvimento regional sustentável. “A parceria chega a um momento muito pertinente entre o município e a iniciativa privada, pois precisamos construir um olhar em conjunto para conseguir concretizar as ações”, declarou o coordenador executivo da Amurc, Luciano Veiga.

O Fórum possui um protocolo de Desenvolvimento Econômico Sustentável assinado por instituições, como: Casa Civil do Estado, Procuradoria Geral da Justiça, Ministério Público, OAB, empresários, Secretária de Turismo do Estado, Veracel e Suzano Celulose.


Dia Mundial do Meio Ambiente

Em 1972, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em Estocolmo, a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o Dia Mundial do Meio Ambiente, que passou a ser comemorado todo dia 05 de junho.

Essa data, que foi escolhida para coincidir com a data de realização dessa conferência, tem como objetivo principal chamar a atenção de todas as esferas da população para os problemas ambientais e para a importância da preservação dos recursos naturais, que até então eram considerados, por muitos, inesgotáveis.

Nessa Conferência, que ficou conhecida como Conferência de Estocolmo, iniciou-se uma mudança no modo de ver e tratar as questões ambientais ao redor do mundo, além de serem estabelecidos princípios para orientar a política ambiental em todo o planeta. Apesar do grande avanço que a Conferência representou, não podemos afirmar, no entanto, que todos os problemas foram resolvidos a partir daí.

Atualmente existe uma grande preocupação em torno do meio ambiente e dos impactos negativos da ação do homem sobre ele. A destruição constante de habitat e a poluição de grandes áreas, por exemplo, são alguns dos pontos que exercem maior influência na sobrevivência de diversas espécies.(Brasil Escola)