Parcerias fortalecem apresentação da mata atlântica no municpio de Una

bio01Segundo WWF-Brasil organização não-governamental brasileira dedicada à conservação da natureza com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade, o município de Una, localizado no Litoral Sul da Bahia tem a maior diversidade de árvores do mundo, sendo 450 espécies diferentes em um só hectare de floresta.

A associação do km 12, é um grupo atendido pelos técnicos da Cooperativa de Desenvolvimento Territorial (COOPERAST), que juntamente com o Instituto Biofábrica de Cacau, uma Organização Social vinculada ao Governo do Estado da Bahia, prevê o replantio de mudas da Mata Atlântica, por meio do projeto Replantar colaborando assim para manutenção da diversidade de arvores na região .

De acordo com o coordenador da cooperativa Maicon Silva , o programa Replantar é um projeto do governo do Estado, com o apoio da Biofabrica que atenderá os municípios de Mascote, Una, Canavieiras e Santa Luzia, disponibilizando as mudas para recuperação da mata Atlântica, Cabruca e sistemas agroflorestal.

Valter Silva, também coordenador da Cooperast destaca que, uma das missões da COOPERAST é buscar parceiras para o fortalecer as comunidades atendidas. Desta maneira, a Biofabrica de Cacau, contribuí para essa parceria com o governo do Estado produzindo mudas selecionadas de fruteiras tropicais e essências florestais, compatíveis com o ecossistema da Mata Atlântica, desempenhando um trabalho de fundamental importância para manutenção da diversidade de arvores no município de Una.

Ao término do evento, foi firmado a parceria com o Instituto Biofábrica de Cacau, que se comprometeu a doar mudas, a COOPERAST oferecerá suporte técnico para os beneficiários já assistidos , e os associados darão sua contribuição com a mão de obra, para o plantio das mudas nas áreas previamente estabelecidas.


Comitê discute o plano da Bahia Hidrográfica do Leste em Itabuna

representantes-do-estado-e-entidades-participativas-do-comite-de-bacias-do-lesteDurante uma reunião do Comitê de Bacias Hidrográficas do Leste – CBHL, nesta terça-feira, 15, na FTC Itabuna, o coordenador de Recursos Hídricos da Diretoria de Águas no Inema, Bruno Jardim apresentou ações do Governo do Estado da Bahia para a constituição do Plano de Bacias do Leste. Na reunião, representantes da Sema, Amurc, CDS-LS, Embasa, SAAE, UFSB e Povos Indígenas Sul da Bahia destacaram a importância do plano para uma região que sofreu com a seca no ano de 2016.

O representante do Inema fez um retrospecto histórico das ações realizadas desde 2012 para a construção do Plano de Bacias, até a elaboração de um Termo de Referência, que teve seus dados atualizados na reunião desta terça-feira. “A partir daí será feito um contrato, onde serão definidos os serviços, a qualidade e o conteúdo para ser apresentado ao Governo do Estado. Em seguida, será feita a quantificação necessária dos recursos para contratar os serviços”.

De acordo com o presidente do Comitê de Bacias, Luciano Veiga, que também está como secretário executivo da Amurc e do Consórcio Litoral Sul, o Plano de Bacias do Leste é de suma importância para a região, “pois representa um marco legal capaz de trazer para o Comitê um planejamento estratégico estrutural bem como a formação de um cadastro de usuários versus a capacidade hídrica para dar abastecimento presente e futuro do Território da Bacia”, explicou.

Somado a isso, o Comitê prevê a oportunidade da instalação de uma Agência de Águas, que permita a criação de um fundo para a arrecadação de valores de cobrança, que serão utilizados na retroalimentação do sistema hídrico, a exemplo do programa de Pagamento por Serviços Ambientais – PSA, investimentos em restauração e recuperação de nascentes, riachos e rio.


Consórcio Litoral Sul e Instituto Austríaco firmam compromisso para a erradicação dos lixões

luciano-veiga-pedro-adriano-secretario-municipal-e-a-edquipe-do-cds-lucius-e-camilaVisando atender a exigência da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010), que prevê a erradicação dos lixões e a destinação correta dos resíduos sólidos no Brasil, o Consórcio de Desenvolvimento Sustentável Litoral Sul e o Instituto Austríaco de Tecnologia (AIT), firmaram um Termo de Cooperação Técnica para atender os municípios consorciados. A iniciativa conta com a parceria da Amurc e Federação de Consórcios Públicos da Bahia – FecBahia.

Durante uma visita a região, o representante do Instituto Austríaco, Pedro de Alcântara Araújo, acompanhado por uma equipe do Consórcio e do secretário de Administração de Barro Preto, conheceu algumas áreas de descarte irregular de lixo no Sul da Bahia. A partir daí, segundo ele, “será feito um mapeamento dos lixões, levando em conta as comunidades no entorno, para depois desenvolver estudos em parceria com os consórcios da região, as universidades e institutos locais”, explicou Pedro.

O AIT é maior instituto de pesquisa não universitário da Áustria que oferece soluções tecnológicas para indústrias, municípios e governos no campo da infraestrutura e meio ambiente. De acordo com o secretário executivo do Consórcio, Luciano Veiga, em parceria com o instituto, “serão verificadas as melhores alternativas para a solução do lixo e as melhores oportunidades para o saneamento básico nos municípios”.

Um grupo de trabalho já foi montado para a realização de um diagnóstico para depois serem realizadas as etapas seguintes de elaboração do projeto e de execução. Os recursos serão provenientes de parcerias com as universidades locais, faculdades, bem como institutos e agentes de fomentos, como bancos privados, públicos e internacionais.


Emasa participa do Fórum Mundial da Água em Brasília

emasa_forummundial_agua_22_03_18Está acontecendo em Brasília o maior evento global sobre a temática da água, o 8º Fórum Mundial da Água (World Water Forum), que começou no dia 18 e terminará no dia 23, com o tema “Compartilhando Água”, e visa perpetuar a discussão sobre a importância do uso racional e sustentável da água. É a primeira vez que o evento, trienal, acontece em um país do Hemisfério Sul.

O evento oportuniza um diálogo mundial, aberto e democrático, para estabelecer compromissos políticos relacionados à água, incentivando a conservação, proteção, planejamento e gestão deste recurso em todos os setores da sociedade.

Centenas de representantes de usuários, consumidores e prestadores de serviço de abastecimento de água do Brasil e do mundo, estão participando de discussões via câmaras setoriais na busca de estratégias e soluções para encarar o desvio da sustentabilidade hídrica em todo o planeta.

A EMASA, representada pelo Assessor Técnico, Anderson Alves Santos, se faz presente no evento com participação direta no grupo focal de governança e usuários de bacias hidrográficas.

Com objetivo de intercambiar experiências e ações voltadas ao gerenciamento de recursos hídricos, a EMASA ao posicionar-se em eventos desta magnitude, deixa em evidência sua responsabilidade e o compromisso de buscar, sempre, a capacitação e interação técnica/científica com os seus pares e demais instituições da sociedade.


Água e o Mundo: espaço traz boas práticas de Municípios

As boas práticas relacionadas à água foram apresentadas nesta quinta-feira, 22 de março, durante o Espaço Municipalista: a Água e o Mundo. A primeira boa prática apresentada foi implementada com o objetivo de amenizar as dificuldades dos moradores e moradoras da área rural devido à falta de água no Município de Dom Feliciano (RS). Para tanto, a prefeitura do Município, em parceria com a Emater, desenvolveu o programa Fonte Protegida. Este visa proteger a fonte de água e atender as famílias que consomem água de qualidade, com o mínimo impacto possível.

O prefeito de Dom Feliciano, Clênio Boeira, cita que a maior dificuldade está relacionada à questão de financiamento, visto que a alternativa não é reconhecida como efetiva na solução para o abastecimento. “A Prefeitura tem feito isso com recursos próprios do Município para famílias que são atendidas por programas sociais. As demais famílias entram com o material e nós damos a mão de obra. Além disso, nós orientamos como utilizar e preservar a nascente”, completa.

O trabalho não acaba somente na captação, no consumo e na devolução do excesso de água para a natureza. “Há um controle rigoroso da qualidade da água. A nossa técnica faz coleta nas residências, que são examinadas pelo laboratório para que se tenha um controle da qualidade da água que é consumida”, cita o prefeito.

Leia mais na CNM.


Fórum Mundial da Água começa neste domingo em Brasília

O 8º Fórum  Mundial da Água, que começa neste domingo (18), em Brasília, deve reunir cerca de 45 mil pessoas interessadas no tema da água. Desse total, 10 mil são especialistas vindos de mais de 100 países que estarão debatendo diferentes teses sobre a questão da água, em vários painéis ao longo da semana.

O fórum é o maior evento relacionado ao tema e tem a chancela do Conselho Mundial da Água (CMA), organismo internacional responsável pelo acompanhamento da questão em todo o mundo há mais de 30 anos. Esta é a primeira vez que o fórum ocorre em um país do Hemisfério Sul, desde sua estreia em 1997, na cidade de Marrakesh, no Marrocos.

Atualmente, o presidente do CMA é o brasileiro Benedito Braga, professor titular de engenharia civil e ambiental na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e também secretário de Saneamento e Recursos Hídricos do estado de São Paulo. Para ele, o grande objetivo do fórum é “aproximar a comunidade científica e técnica da comunidade tomadora de decisão”, ou seja, a classe política. Por essa razão, os governos de diferentes países foram convidados e estarão representados por chefes de Estado e ministros.

Segundo Braga, é preciso “motivar os governantes para a importância da água para destinar recursos para as obras hídricas necessárias”.


Itacaré sediará plenária do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio de Contas

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Contas (CBHRC) estará realizando no dia 13 de março, em Itacaré, a XXVI Reunião Plenária Ordinária. O evento acontecerá a partir das 8h30min na Colônia de Pescadores Z-18, localizada na rua Antônio Athanásio dos Santos, Centro, e é destinada a membros titulares e suplentes do comitê e simpatizantes do projeto.
Durante o encontro serão discutidas pela manhã uma série de questões referentes ao funcionamento do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio de Contas, além da palestra com o tema “O Comitê de Bacias: O que é e o que faz?”. Ainda na parte da manhã acontecerá a apresentação pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Itacaré sobre a situação dos recursos hídricos no município.

Bahia lidera ranking de licenciamento ambiental

Uma matéria publicada no jornal Valor Econômico, nesta terça-feira (26), aponta que a Bahia é o Estado com as melhores práticas e com maior agilidade para liberação de licenciamento ambiental para empreendimentos empresariais no país. A publicação mostra que o Estado baiano lidera o ranking nacional do Índice de Qualidade do Licenciamento Ambiental (IQL), instrumento inédito elaborado pela consultoria AFranco Partners que mapeia processos de governos estaduais na área ambiental.

O indicador surge de estudo sobre as implicações do caminho percorrido por empresários até a obtenção do licenciamento ambiental para a tomada de decisão de investimentos. O estudo foca os Estados porque é sobre eles que recai a maior demanda por licenciamentos, já que a maior parte dos municípios repassa a responsabilidade institucional para governos estaduais.

De acordo com a diretora-geral do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Márcia Telles, 179 técnicos de nível superior e médio foram contratados e todos os processos foram digitalizados e hoje são feitos pela internet. “Os Estados precisam se fortalecer, fortalecer a gestão municipal, pois muitos empreendimentos podem ser feitos pelas prefeituras, e priorizar avaliações e licenciamentos que significativamente tenham impacto. Atividades hoje mais conhecidas ou empreendimentos em áreas já vocacionadas [para atividade econômica] podem ter um licenciamento mais pontual, deixando os Estados mais livres para se debruçar sobre casos mais relevantes”, afirmou Márcia à publicação do Valor Econômico.


Consórcio Litoral Sul orientou secretários sobre licenciamento ambiental

IMG_9489.JPGDurante uma reunião de trabalho com secretários de Agricultura e Meio Ambiente, nesta segunda-feira, 13, o Consórcio de Desenvolvimento Sustentável – Litoral Sul, através do programa de Gestão Ambiental Compartilhada (GAC), fez um chamamento sobre a necessidade de adequação da estrutura municipal de meio ambiente para ter o assessoramento técnico, através do CDS-LS nas atividades de fiscalização e licenciamento ambiental.

De acordo com a Engenheira Ambiental, Tauá Fontes, a iniciativa atende as exigências legais da Lei Complementar 140 de 2011, a implantação do Sistema Municipal de Meio Ambiente (SISMUMA) e do Ministério Público.


Ilhéus sedia reunião ordinária do Comitê da Bacia Hidrográfica do Leste

 

reuniao-ordinaria-bacia-do-leste-secom-1Ilhéus sediou ontem (19) pela manhã a reunião ordinária do Comitê da Bacia Hidrográfica do Leste, composto por 24 municípios do sul da Bahia que possuem uma população estimada em 700 mil habitantes e são cortados pelos rios Almada, Cachoeira, Una e Doce.

Na reunião de Ilhéus, um dos temas centrais do debate foi o projeto de revitalização do Rio Cachoeira. O vice-prefeito de Ilhéus e secretário municipal de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável, José Nazal, lembrou durante a abertura da reunião que o Cachoeira atravessa 25 quilômetros em território ilheense, tendo forte impacto em regiões habitadas como Salobrinho, Vila Nazaré, Banco da Vitória e Teotônio Vilela.

Resultado – “Em Ilhéus se concentra grande parte dos problemas enfrentados pelo rio”, afirmou. Nazal destacou a atuação dos comitês, definindo-os como instâncias colegiadas responsáveis pela gestão participativa das águas, nestes casos junto ao Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (INEMA), ligado ao governo do Estado da Bahia.

Dentre as atribuições de um comitê de bacia hidrográfica, segundo o coordenador da Bacia do Leste, Luciano Veiga, presente ao encontro, estão a discussão dos estados dos mananciais e os problemas socioambientais que os afetam, a definição das prioridades dos investimentos públicos e a solução, como primeira instância, dos problemas e conflitos de interesse dos usos dos recursos hídricos da bacia. Os comitês também atuam na proposição de critérios para outorga de uso das águas e no estabelecimento de mecanismos de cobrança pelo uso da água.

O prefeito Mário Alexandre também esteve na reunião ordinária, ocorrida no Centro Administrativo, e destacou o papel importante do comitê na defesa e na discussão sobre o futuro dos nossos mananciais.