Acordo de Paris contra alterações climáticas será assinado em Nova York

Representantes de cerca de 160 países assinam hoje (22) em Nova York, nos Estados Unidos, o acordo de Paris contra as alterações climáticas. A assinatura do acordo, fechado em 12 de dezembro de 2015, depois de difíceis negociações entre 195 países e a União Europeia, vai ocorrer na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), no Dia Mundial da Terra.

Com o objetivo de entrada em vigor em 2020, o acordo, no entanto, só se concretizará quando for ratificado por 55 Estados responsáveis por, pelo menos, 55% das emissões de gases de efeito de estufa.

Depois da adoção do texto em Paris, ainda é necessária a assinatura do acordo, até fim de abril de 2017, e a ratificação nacional, conforme as regras de cada país, podendo ser por meio de votação no Parlamento ou de decreto-lei, por exemplo.

Uma das novidades do documento é a revisão, a cada cinco anos, das metas de contribuição de cada Estado para tentar conter o aquecimento do planeta e suas consequências. Entre essas consequências estão a maior frequência de fenômenos extremos de calor, levando às secas e aos incêndios florestais, a concentração da chuva em períodos curtos de tempo, provocando cheias e inundações, e a subida do nível do mar.

São esperados em Nova York cerca de 60 chefes de Estado, como o francês François Hollande, o vice-primeiro ministro chinês, Zhang Gaoli, o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, e o secretário de Estado norte-americano, John Kerry.(Agencia Brasil)


Papa se encontra com refugiados na ilha grega de Lesbos em 16 de abril

papaamericalatinaO papa Francisco visita a ilha grega de Lesbos em 16 de abril, juntamente com o patriarca ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu, estando previstos encontros com refugiados, anunciou hoje (7) o Vaticano.

A viagem do papa ocorre após convite de Bartolomeu e do presidente da Grécia, Prokopis Pavlopoulos.

Na ilha, Francisco, Bartolomeu e o arcebispo ortodoxo de Atenas, Jerônimo II, vão encontrar-se com refugiados, a maioria sírios, que chegaram a Lesbos depois de terem atravessado o Mar Egeu para fugir da guerra.

O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, disse que o encontro com os refugiados poderá ocorrer no centro de acolhimento instalado no porto da ilha grega.

Com a viagem, o papa retoma a questão dos migrantes e refugiados, que dominou a primeira viagem do seu pontificado à ilha italiana de Lampedusa (Sul), porto de chegada da rota migratória entre a Líbia e a Itália e área de numerosos naufrágios, tal como Lesbos.(Agência Brasil)

 


Fidel Castro diz que Cuba “não precisa de presentes” dos EUA

O ex-presidente cubano Fidel Castro afirmou que Cuba não vai esquecer os confrontos do passado com os Estados Unidos e que a ilha “não precisa de presentes” do vizinho do Norte. “Não precisamos que o império nos dê nenhum presente”, afirmou o líder da Revolução Cubana, de 89 anos, que está fora do poder desde 2006.

A informação está num texto publicado hoje (28), nos veículos oficiais cubanos – uma semana depois da visita do presidente norte-americano, Barack Obama, a Havana. “Nossos esforços serão legais e pacíficos, porque nosso compromisso é com a paz e a fraternidade de todos os seres humanos que vivem no planeta”, acrescentou no longo texto, intitulado Irmão Obama.

Sobre o discurso do presidente norte-americano na terça-feira (22) em Havana, Fidel Castro escreve que, ao falar de “esquecer o passado e olhar para o futuro”, Obama recorreu “às palavras mais melosas” e que os cubanos correram “risco de um enfarte” ao ouvir Obama falar de cubanos e norte-americanos como “amigos, família e vizinhos”, citando uma longa lista de problemas passados entre os dois países.(Agencia Brasil)


Avião cai na Rússia durante pouso e mata 62 pessoas

Avião da companhia aérea FlyDubai, com 62 passageiros a bordo, caiu hoje (19) na Rússia ao tentar aterrissar no aeroporto de Rostov-on-Don, no sul do país Um Boeing 738 da companhia aérea FlyDubai, com 62 passageiros a bordo, caiu hoje (19) na Rússia ao tentar aterrissar no aeroporto de Rostov-on-Don, no sul da país, de acordo com o Ministério para Situações de Emergência russo.

As 62 pessoas a bordo morreram. “Havia 55 passageiros e sete membros da tripulação a bordo. Morreram todos”, informaram os investigadores russos.

Todos os passageiros tinham nacionalidade russa, incluindo quatro crianças. A tripulação era formada por seis estrangeiros e um russo.

“A FlyDubai lamenta confirmar que o seu voo FZ981 caiu durante a aterrissagem e o número de vítimas deste trágico acidente”, informou a companhia aérea em comunicado.

Segundo a companhia, o avião saiu do aeroporto internacional do Dubai na sexta-feira às 15h20 (hora de Brasília).

O avião caiu a cerca de 100 metros da pista de aterrissagem, durante uma segunda tentativa para pousar no aeroporto de Rostov-on-Don em condições de má visibilidade.

Chovia bastante hoje de manhã em Rostov-on-Don e o Ministério para as Situações de Emergência russo tinha lançado um alerta de ventos fortes.(Agência Brasil)


Agência de Energia descarta aumento dos preços do petróleo a curto prazo

Da Agência Lusa

A Agência Internacional de Energia (AIE) rejeitou nesta terça-feira (9) as previsões que apontam para uma desaceleração da queda do preço do petróleo, realçando que não vislumbra um aumento dos preços a curto prazo.

No seu relatório mensal sobre o mercado do petróleo em fevereiro, a AIE desmontou as principais suposições sobre o excesso da oferta global, que foi responsável por uma queda de mais de 70% dos preços no último ano e meio.

Segundo a organização, a especulação sobre a existência de um acordo entre a Organização dos Países Exportadores (OPEP) e os principais produtores que não pertencem à organização para reduzir a produção não é mais do que “uma mera conjectura”.

O documento acrescenta que, apesar da crença de que a produção não vai aumentar tanto em 2016 como em 2015, a produção no Iraque atingiu um novo recorde em janeiro, com indícios de que a Arábia Saudita aumentou as ordens de produção e que no Irã também acelerou sua produção, depois do levantamento das sanções.

A AIE também tem dúvidas sobre a possibilidade de a queda dos preços do petróleo levar a um aumento da procura, estimando mesmo uma desaceleração do crescimento do consumo para este ano.

O organismo alerta que o excedente da oferta face à procura no início de 2016 ainda é maior do que o previsto no relatório anterior. “Se estes valores se confirmarem, num mercado inundado de petróleo, é difícil perceber como é que os preços de petróleo poderiam aumentar significativamente a curto prazo”, concluiu.


Haiti chega a acordo para governo de transição após suspensão de eleição

O presidente do Haiti, Michel Martelly, chegou a um acordo com o Parlamento para formar um governo provisório após ele deixar o poder neste fim de semana sem ter sido eleito um sucessor — uma medida que pode acalmar violentos protestos que têm abalado a capital.

Sob o acordo, o Parlamento vai eleger um presidente interino para um mandato de quatro meses, disse a Organização dos Estados Americanos (OEA), que ajudou a intermediar o acordo entre políticos profundamente divididos da nação caribenha.

Uma disputa presidencial que deveria acontecer no mês passado foi cancelada após um candidato da oposição, Jude Celestin, ter ameaçado boicotar a votação por conta de alegações de fraude no primeiro turno, e manifestantes tomaram as ruas para protestar.

Martelly deixará o cargo no domingo. O acordo de quatro páginas contempla que o Congresso eleja um presidente interino, para 120 dias, enquanto o governo seguirá atuando. O texto prevê ainda a celebração do segundo turno da eleição presidencial em 24 de abril e que o novo presidente assuma em 14 de maio.(G1)


As 50 cidades mais violenta do mundo; Brasil tem quase metade

fortaleza
Fortaleza no Brasil está na frente da lista das brsileiras segundo o levantamento

O Brasil é o país com o maior número de cidades entre as mais violentas do mundo em 2015, de acordo com um ranking internacional publicado nesta segunda-feira (25) por uma ONG mexicana. Das 50 cidades com maior taxa de homicídios por 100 mil habitantes em 2015, 21 são brasileiras.

A lista, divulgada anualmente pelo Conselho Cidadão para a Segurança Pública e a Justiça Penal, leva em conta o número de homicídios por 100 mil habitantes e inclui apenas cidades com 300 mil habitantes ou mais. Foram excluídos países que vivem “conflitos bélicos abertos”, como Síria e Iraque.

Apesar de o Brasil ser o país com mais representantes, o maior índice de violência foi detectado nas cidades da Venezuela. A taxa média brasileira foi de 45,5 homicídios por 100 mil habitantes e a venezuelana, de 74,65. Caracas, capital do país, lidera o ranking geral, com 119,87 homicídios dolosos para cada 100 mil habitantes.

Primeiro lugar por 4 anos seguidos, San Pedro Sula, em Honduras, conseguiu reduzir o número de homicídios e passou para o segundo lugar. San Salvador, capital de El Salvador, ficou em terceiro.

Das cidades brasileiras, a primeira a aparecer é Fortaleza, em 12º lugar. Em seguida vem Natal, em 13º, Salvador e região metropolitana, em 14º, e João Pessoa (conurbação), em 16º.

Belo Horizonte, que figurava na lista do ano anterior, desta vez não apareceu. O contrário aconteceu com 3 cidades brasileiras, que estavam fora da lista de 2014, mas entraram na de 2015:  Feira de Santana (27º), Vitória da Conquista (36º) e Campos dos Goytacazes (39º).

Também aparecem Maceió (18º lugar), São Luís (21º), Cuiabá (22º), Manaus (23º), Belém (26º), Goiânia e Aparecida de Goiânia (29º), Teresina (30º), Vitória (31º), Recife (37º), Aracaju (38º), Campina Grande (40º), Porto Alegre (43º), Curitiba (44º) e Macapá (48º).

Das 50, 41 ficam na América Latina: 21 no Brasil, 8 na Venezuela, 5 no México, 3 na Colômbia, 2 em Honduras, uma em El Salvador e uma na Guatemala. Outros países com cidades na lista foram África do Sul, Estados Unidos e Jamaica.

Leia mais aqui no G1


Conselho Eleitoral cancela segundo turno das eleições presidenciais no Haiti

Haitianos protestam em frente à Embaixada dos EUAO Conselho Eleitoral Provisório do Haiti cancelou hoje (22) o segundo turno das eleições presidenciais marcado para domingo (24). De acordo com o conselho, ainda não há uma nova data agendada para definição eleitoral no país.

A decisão ocorreu num momento em que a capital haitiana é palco de violentos confrontos entre a polícia e grupos que se opõem à realização das eleições. Os opositores afirmam que houve fraude no primeiro turno das eleições presidenciais, realizado em 25 de outubro, e que a comissão independente de avaliação eleitoral – criada a pedido da oposição – concluiu ter sido “afetada por irregularidades”.

Hoje, grupos violentos bloquearam ruas no centro de Porto Príncipe. Antes, incendiarem instalações do Conselho Eleitoral Provisório em Leogane (Sul do país). Ontem (21), eles tentaram incendiar instalações do conselho em Ouanaminthe e Thomonde (Nordeste), enquanto outras, no Norte, foram incendiadas no início da semana.(Agência Brasil)


México voltou a capturar narcotraficante El Chapo

O barão da droga Joaquín Gúzman Loera, conhecido como “El Chapo”, voltou a ser capturado  na sexta-feira (8) em Sinaloa. O presidente mexicano Enrique Peña Nieto anunciou no Twitter a captura do narcotraficante, que tinha escapado de uma prisão de máxima segurança em julho.

“Missão cumprida: temo-lo”, lê-se na publicação no Twitter de Peña Nieto. “Quero informar os mexicanos que Joaquín Guzmán Loera foi detido”.

De acordo com o jornal espanhol El País, o homem mais procurado do México foi detido na sua terra natal de Los Mochis, em Sinaloa por comandos da marinha. Cinco membros da segurança de El Chapo morreram no processo de captura, seis foram detidos e um soldado ficou ferido na operação, segundo um comunicado divulgado pela marinha mexicana.


Ataques coordenados aterrorizam Paris e deixam mais de 120 mortos

Da Agência Brasil

Pelo menos 120 pessoas morreram na sexta-feira (13) em vários ataques em Paris, cerca de 100 na sala de espetáculos Bataclan, onde ocorria um concerto da banda norte-americana Eagles of Death Metal.
Ataques em Paris deixaram pelos menos 40 mortos.

As primeiras notícias informaram que houveram várias explosões perto do Estádio de França, onde ocorria um jogo de futebol entre as seleções francesa e alemã, e de um ataque com arma de fogo em um restaurante.

No Bataclan, os terroristas fizeram reféns, que foram libertados após uma invasão policial, quando foram mortos três terroristas.

Os ataques em Paris aconteceram em sete pontos diferentes da cidade, segundo fonte próxima do inquérito, citada pela Agência France Presse: no Estádio de França, na Gare Du Nord, no restaurante Petit Cambodge, no bar Le Carrilon, no Bataclan Concert Hall, na Belle Equipe Bar e no Les Halle.

O presidente francês, François Hollande, que estava no Estádio de França quando aconteceram os ataques, anunciou que decretou estado de emergência no país e o encerramento das fronteiras na sequência de “ataques terroristas sem precedentes”.

O governo belga decidiu estabelecer o controle de fronteiras com a França em estradas, aeroportos e estações de comboio. O governo belga convocou um centro de crise e criou um comitê ministerial para fazer as primeiras avaliações sobre os atentados de Paris.