Métodos de Valoração Econômica para Unidades de Conservação da Bahia são discutidos pela Sema, UESC e UFBA

valoracao-economica-para-unidades-de-conservacao-da-bahiaEm parceria com as universidades Estadual de Santa Cruz (UESC) e Federal da Bahia (Ufba), a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), por meio de recursos do Fundo Estadual de Recursos do Meio Ambiente (Ferfa), está desenvolvendo um projeto de valoração de recursos naturais em áreas protegidas. O projeto busca identificar e valorar serviços ambientais prestados pelas Unidades de Conservação, como sequestro de carbono e o custo evitado de tratamento de água, entre outros.

De acordo com o professor Jaenes Miranda Alves (UESC), “o objetivo é estimar o valor econômico de bens e serviços ambientais ofertados no Parque Estadual das Sete Passagens (PESP), Parque Estadual da Serra do Conduru (PESC) e Parque Estadual da Serra de Montes Altos.”

Dentre as ações previstas na parceria, serão realizados estudos da valoração econômica pela teoria da disposição a pagar (DAP) da população do entorno das UCs (método que consiste no estabelecimento de um mercado hipotético em que indivíduos são questionados sobre “bens e serviços” ambientais e sua disposição a pagar por eles); cálculo do sequestro de carbono nos parques; estudo hídrico e estimativa do custo evitado de tratamento de água; além de um exemplo de cálculo do ICMS Ecológico (potencial), caso os municípios do entorno adotassem esse mecanismo.

No mês de abril, a Sema realizou um encontro com a equipe técnica da UESC e da UFBA, além dos consultores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), para apresentar os produtos já elaborados nesse projeto. Os consultores da Embrapa, Sérgio Tosto e João Mangabeira,  apresentaram o estudo de carbono estocado nas Unidades de Conservação com diferentes biomas.

Para a coordenadora de Programas e Projetos de Biodiversidade e Florestas da Sema, Luciana Santa Rita, “o projeto busca identificar e valorar estes serviços, como forma de ampliar a compreensão da população sobre a importância das Unidades de Conservação (UCs), e fomentar o conceito de que as UCs não são ônus para o Estado, mas investimentos com retornos e vantagens mensuráveis economicamente”.


Encontro em Ilhéus inicia reestruturação da Câmara de Turismo da Costa do Cacau

reativacao-do-conselho-de-turismo-foto-clodoaldo-ribeiroReestruturar a Câmara de Turismo da Costa do Cacau, motivar os atores do processo – tanto do poder público quanto da iniciativa privada – e estimular o protagonismo da entidade na construção de um plano de desenvolvimento do turismo regional, foram temas debatidos hoje (22) pela manhã, em Ilhéus, por representantes dos dez municípios do território litoral sul que compõem a entidade.

As boas-vindas a este segmento da economia sul baiana foram dadas pelo prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, que destacou a importância do fortalecimento das instituições regionais, permitindo cumprir com excelência o seu papel de cobrar e contribuir com as decisões que beneficiem a coletividade. Roberto Lobão, secretário municipal de Turismo e Esportes (Setur), lembrou que, apesar de instituída há alguns anos, a Câmara de Turismo da Costa do Cacau vinha desmotivada mas que, a partir das boas perspectivas do desenvolvimento turístico regional, a instituição precisa retomar o seu papel de liderança.

“É fundamental ter força política para capitanear e buscar recursos estruturantes e de qualificação da mão de obra do setor”, destacou Lobão, lembrando que um convênio entre a secretaria estadual de Turismo e o Ministério do Turismo acaba de garantir recursos da ordem de 220 mil reais para ser aplicado na qualificação de pessoas.

Há apenas dois meses no comando da Câmara, a empresária Maria Aparecida Aguilar Lima defende iniciativas como o encontro provocado por Ilhéus como forma de fortalecer o turismo regional. “Estamos motivados”, assegura a empresária. Compõem a Câmara de Turismo da Costa do Cacau, os municípios de Ilhéus, Ipiaú, Itacaré, Itabuna, Pau Brasil, Una, Uruçuca, Canavieiras, Santa Luzia e São José da Vitória.


Oficina orienta empresários para o mercado de moda

Com o objetivo de orientar os empresários do Sul da Bahia para melhores práticas no segmento de moda, o Sebrae estará promovendo a Oficina Estratégia de Mercado da Moda no próximo dia 23, das 18h às 22h, no Ponto de Atendimento em Itabuna, rua Paulino Vieira, 175, centro. As inscrições gratuitas já podem ser feitas na Loja Virtual do Sebrae ou pelos telefones (73) 3613-9734 e 99981-1688.

O evento é estratégico para os profissionais que atuam nos setores da indústria e do comércio. De acordo com o consultor do Sebrae e especialista no segmento de moda, Aldir Parisi, a ideia é orientá-los sobre como as empresas podem operacionalizar compras e estoques, com foco no comportamento do consumidor, além de trabalhar e gerenciar seu mix de produtos.

Outro ponto a ser abordado é a segmentação do consumidor e como buscar atendê-lo em função dos objetivos da empresa. Aliado à isso, a oficina abordará estratégias de comercialização para a indústria e o varejo. “Neste campo trabalhamos diversas estratégias para dinamizar vendas e obter melhores resultados”, destacou Parisi.


Frustração de receitas aumenta dificuldade de cumprir meta fiscal

DA Agencia Brasil

Com uma meta de déficit primário – resultado negativo desconsiderando o pagamento dos juros da dívida pública – de R$ 139 bilhões para este ano e R$ 129 bilhões para o próximo, o governo tem encontrado cada vez mais contratempos para atingir o alvo. Recentemente, a equipe econômica enfrentou várias frustrações de receitas que seriam importantes para garantir o cumprimento da meta original.

Primeiramente, Tribunal de Contas da União (TCU) mandou a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) refazer o edital do leilão de renovação de concessão de usinas hidrelétricas da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), que renderiam R$ 11 bilhões aos cofres federais este ano.

A segunda versão do programa de regularização de ativos no exterior, conhecida como repatriação, arrecadou apenas R$ 1,61 bilhão, contra R$ 13 bilhões inicialmente previstos. As mudanças na medida provisória que criou a renegociação especial de dívidas com a União também podem diminuir a previsão de arrecadação, caso o governo não consiga reverter as mudanças.

Por fim, o governo teve de recuar de duas medidas que elevariam as receitas. O aumento do Programa de Integração Social e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (PIS/Cofins) sobre o etanol foi parcialmente revertido, reduzindo a previsão de arrecadação em R$ 501 milhões.

Na semana passada, o governo revogou a medida provisória (MP) que acabaria com a desoneração da folha de pagamento para 46 dos 52 setores beneficiados pela política. A MP, que trancava a pauta da Câmara dos Deputados, perdeu a validade na última quinta-feira (10) e foi revogada sem passar por votação. O governo enviará um projeto de lei sobre o assunto. A revogação resultará em perda de R$ 4,8 bilhões.

Incertezas

O governo enfrenta ainda incertezas com receitas extraordinárias. Em julho, o TCU emitiu um alerta de que a União terá dificuldades em arrecadar R$ 19,3 bilhões por causa de receitas de concessões que podem não entrar no caixa do governo em 2017. Além dos R$ 11 bilhões dos leilões de hidrelétricas, que não vão mais entrar nos cofres federais este ano, o governo fará um leilão de R$ 8 bilhões de concessões de petróleo e gás no próximo mês.

A equipe econômica também pretende concluir a venda de ações do Tesouro no IRB-Brasil, empresa que detém o monopólio do mercado de resseguros no país, e privatizar a Caixa Seguridade e a Lotex, empresa de loterias. As vendas, no entanto, precisam ser concluídas até outubro para que os recursos entrem no caixa do governo ainda este ano.


Sebrae capacita empreendedores para a Gestão Empresarial

michel-lima-credito-sebrae-da-foto-mauricio-maronO Sebrae estará capacitando empresários e gerentes de micro e pequenas empresas no Sul da Bahia em Treinamento Gerencial Básico de segunda (14) a sexta-feira (18), em Itabuna, e de 21 a 25, em Ilhéus. O curso tem a carga horária total de 15 horas, sendo dividido em cinco encontros de três horas cada.

As inscrições podem ser realizadas pela Central de Relacionamento Sebrae, no telefone 0800 570 0800, das 8h às 20h. Também é possível entrar em contato com o ponto de atendimento do Sebrae de Itabuna, pelo telefone (73) 3613-9734, e em Ilhéus, no (73) 3634-4068. O investimento na capacitação é de R$ 100 e pode ser parcelado.

Na programação, está previsto o conteúdo de Introdução à Gestão Empresarial; Planejamento e Introdução à Gestão de Pessoas; Gestão de Compras, Vendas e Estoques; Introdução à Gestão Financeira e Gestão de Capital de Giro e Introdução ao Marketing.

O objetivo, segundo o gerente adjunto da Unidade Regional do Sebrae em Ilhéus, Michel Lima, “é apresentar os fundamentos da gestão empresarial, com foco nas principais áreas da administração de empresas, fornecendo informações técnicas para a tomada de decisões”.


Refis negocia 864 parcelamentos no primeiro mês em Itabuna

pracariocachoeiraitabunaCom uma crescente procura e consulta de contribuintes, o Programa de Recuperação Fiscal (Refis) registra, no final do primeiro mês de vigência, a negociação de 864 parcelamentos. O programa termina no início de outubro e gerou uma arrecadação de R$ 2 milhões e 123 mil, com um valor renegociado um total de R$ 4,7 milhões, o que representa 47% da meta programada pela Secretaria da Fazenda e Planejamento.

Para o secretário da Fazenda e Planejamento, Paulo César Fontes Mattos, o objetivo do Refis é arrecadar R$ 10 milhões até outubro, através  do parcelamento de dívidas com o IPTU, ISS e outros tributos vencidos até 2016, um projeto aprovado pela Câmara que beneficia a milhares de contribuintes em débito com o município.

Já o diretor da Divisão de Tributos, Emerson Carvalho, informa que a adesão dos contribuintes vem aumentando nos últimos dias e a previsão é de que até o início de setembro atinja 50% da meta estabelecida. O Refis permite o parcelamento de dívidas em até 60 meses com redução escalonada de multas e juros em função dos prazos para pagamento.

Vale salientar que embora a prefeitura esteja oportunizando as facilidades de pagamento das dívidas em atraso até 31 de dezembro de 2016 para contribuintes, os devedores do fisco que não fizerem o parcelamento através da adesão ao Refis poderão ter suas dívidas encaminhadas para cobrança judicial e protesto.

A campanha do Refis está sendo ampliada agora, com a utilização de busdoors – uma interessante ferramenta de mídia, normalmente composta pela aplicação de um adesivo no vidro traseiro de um ônibus – e o apoio de carros de som, com spots produzidos pela Divisão de Comunicação do Governo Municipal.


Em sete meses, Caixa arrecada R$ 7,6 bilhões em loterias

caixa_sao_caetanoAs loterias da Caixa Econômica Federal arrecadaram, nos primeiros sete meses de 2017, R$ 7,641 bilhões. O valor corresponde a um crescimento nominal de 9,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Do valor arrecadado, R$ 3,6 bilhões foram repassados a programas sociais nas áreas de saúde, educação, esportes, segurança, cultura e seguridade, conforme definição legal, incluídos R$ 698 milhões de imposto de renda sobre os prêmios. No mês de julho, o volume de vendas foi R$ 1,3 bilhão, resultado 33% superior ao contabilizado no mesmo mês em 2016.

No período, foram ofertados mais de R$ 2,5 bilhões em prêmios, consideradas todas as modalidades lotéricas. Segundo a Caixa, a Mega-Sena foi o item mais procurado nas loterias e arrecadou R$ 2,9 bilhões, quase 40% de todas as vendas.

O último sorteio feito pela Mega-Sena ofertou um prêmio de R$ 107 milhões, pago a um ganhador do Rio de Janeiro.


Indústria do arroz definiu mercados prioritários para exportações

A indústria brasileira do arroz definiu os mercados que serão o foco de suas exportações nos próximos dois anos. Em recente encontro, o projeto Brazilian Rice realizou a análise que definiu os países a serem trabalhados em ações como missões comerciais, feiras, rodadas de negócio, capacitação empresarial e abordagens para abertura de barreiras, contando com a contribuição de suas empresas associadas e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O Brazilian Rice é desenvolvido pela Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz) com a Apex-Brasil, visando o crescimento das exportações do cereal brasileiro no comércio exterior.

Os países definidos no chamado ranqueamento de mercados foram divididos em dois grupos: um ligado à promoção comercial (em espaços onde o arroz brasileiro já tem presença ou consolidação, com potencial de alta) e outro focado no acesso a países que atualmente têm restrições a importações do Brasil em função de barreiras tarifárias ou sanitárias. Mercados para promoção comercial: Estados Unidos, Peru, Arábia Saudita, Panamá e Reino Unido. Países para articulação de abertura de barreiras: Colômbia, México e China.

A reunião que definiu os mercados ocorreu no Sindarroz-RS, em Porto Alegre, contando com mais de 20 empresas do projeto Brazilian Rice e foi aberta com apresentação sobre certificações internacionais – um ponto importante para crescimento das exportações de arroz do Brasil. Como destaca Gustavo Ludwig, gerente do Brazilian Rice, cada ação do projeto é estudada em detalhes para contemplar um espectro grande de empresas de diversos portes e regiões do país, já que 78% das exportações de arroz beneficiado do Brasil são de empresas integradas ao projeto (em 2013, ano da primeira edição do projeto, esse índice era de 15%). Os resultados têm sido positivos: em 2013, as empresas participantes do Brazilian Rice exportaram arroz para 36 destinos, resultando em US$ 57 milhões para o país; em 2016, o número ficou em 52 países, com valor final de US$ 73 milhões. 


Espaço solidário de Itabuna é reinaugurado

reinauguracaoloja1A Associação Itabunense de Artesãos – AIART ganhou mais um ponto de venda para as suas peças. O empreendimento é um dos 38 que vão comercializar seus produtos no Espaço Solidário, reinaugurado nesta quinta-feira (27).

O equipamento, parte do Centro Público de Economia Solidária (Cesol) – Litoral Sul, no município de Itabuna, funciona na Praça Olinto Leone, no Centro da cidade. Com 56 associados, dos munícipios de Itabuna, Ilhéus e região, a AIART produz artesanato em cerâmica, tecido e crochê.

“O Cesol já apoia a gente na participação de feiras. o Espaço Solidário é mais uma alternativa de comercialização”, comemora a artesã Aída Alves, associada da AIART.

Presente no evento, a secretária do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte, Olívia Santana, destacou que “o escoamento da produção é o principal gargalo dos empreendimentos solidários, daí a importância de espaços como esse, que volta a funcionar”.

Estiveram presentes no evento o vice-prefeito de Itabuna, Fernando Vita e empreendedores apoiados pelo Cesol.

Nos Centros Públicos de Economia Solidária, vinculados à Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), são oferecidos estudo de viabilidade econômica, assistência técnica gerencial, orientação de acesso ao crédito, assistência técnica em comercialização e marketing, capacitação em áreas afins e assessoria para organização de feiras e exposições.


Caixa Econômica começa a pagar abono do PIS/Pasep

caixa_sao_caetanoA Caixa Econômica Federal inicia hoje (27) o pagamento do Abono Salarial calendário 2017/2018, ano-base 2016. Os pagamentos serão efetuados conforme o mês de nascimento do trabalhador, começando com os nascidos em julho. Os beneficiários deste mês, titulares de conta individual na Caixa com saldo acima de R$ 1,00 e movimentação, terão crédito automático no dia 25 de julho.

Os valores do benefício variam de R$ 79 a R$ 937, de acordo com o tempo de trabalho durante o ano de 2016. Os recursos ficarão disponíveis ao trabalhador até 29 de junho de 2018.

Tem direito ao benefício quem está inscrito no Programa de Integração Social (PIS) ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) há pelo menos cinco anos, que trabalhou formalmente por pelo menos 30 dias em 2016, com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.

Os trabalhadores que não sacaram até dia 30 de junho o Abono Salarial calendário 2016/2017, ano-base 2015, também terão nova oportunidade para receber o benefício. Para eles, o valor estará disponível para saque de 27 de julho a 28 de dezembro de 2017.(Agencia Brasil)