Escolas ensinam pais e alunos a lidar melhor com o dinheiro

Com a volta às aulas, um conteúdo diferente passou a fazer parte da grade de disciplinas de, pelos menos, 13 escolas baianas. Com direito até a um porquinho para começar a poupar, os colégios passaram a adotar o ensino de educação financeira no currículo escolar. As aulas, porém, não estão limitadas só aos alunos. Os pais também vão ter cursos de finanças pessoais, onde são abordados temas como noções básicas de economia, taxas de juros, investimentos, impostos e consumo consciente.

“A família que se compromete com as suas finanças pessoais também vai se comprometer com o investimento que está fazendo na escola. Ao interferir nesse conceito que o jovem e a criança têm sobre o dinheiro, vamos chegar aos pais”, afirma o proprietário do Colégio Império do Saber, Luís Machado.

A escola, que está localizada no bairro de São Caetano, além de levar conhecimento, a médio prazo, espera reduzir pela metade os índices de inadimplência na instituição. Ano passado, o índice de inadimplência fechou em 14%. “Nossa percepção veio muito por conta da crise no país. Os pais aceitaram bem a novidade. A escola investiu neste programa para fortalecer tanto as relações como os resultados”, acrescenta.

Leia mais no CORREIO.


Veto do Refis para MPE deve ser votado pelo Congresso terça-feira

Após reunião entre a Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa com lideranças do Sebrae, entre elas o superintendente do Sebrae Bahia, Jorge Khoury, e o presidente da instituição, Guilherme Afif Domingos, o presidente do Senado e do Congresso, Eunício Oliveira (MDB-CE), se comprometeu a colocar em votação o veto ao programa de refinanciamento das dívidas tributárias (Refis) para as micro e pequenas empresas na próxima sessão do Congresso, no dia 6 de março.

O Refis, que foi vetado pelo presidente Michel Temer, em 5 de janeiro deste ano, criava condições diferenciadas de refinanciamento de dívidas dos pequenos negócios. Na prática, ele pode ajudar as empresas que tiveram dificuldades durante o período de recessão e possuem dívidas tributárias com a União, ao facilitar a renegociação, com mais parcelas e redução expressiva de juros e multas.

“A derrubada do veto é de extrema importância nesse momento de recuperação econômica pelo qual passa o país. As pequenas empresas são as maiores geradoras de emprego do Brasil e precisam de atenção total e tratamento diferenciado”, afirmou Jorge Khoury.(Ag. Brasil)


Festival de Economia Solidária leva produtos direto do produtor para o consumidor

festival-de-economia-solidaria-foto-yago-matheus-4Peças de artesanato, compotas, beiju, vestimenta, biscoitos e cerveja artesanal de umbu, tudo direto da mão dos produtores diretamente para o consumidor. Esse é o diferencial do Festival de Economia Solidária, iniciado nesta quinta-feira (15), e que segue até o dia 28/02, no Salvador Shopping, na Praça de Serviços, no Piso G1.

Realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), o evento reúne empreendimentos de economia solidária de 13 territórios de identidade, que abrangem 206 municípios baianos.

Empreendimentos como a Cooperativa Feminina da Agricultura Familiar e Economia Solidaria de Valença (Coomafes), que trouxe para o Festival o beiju e a banana chips produzidos pelas mulheres cooperadas, como carro-chefe do estande do Território Baixo Sul.

“Para nós dos movimentos sociais, que lutamos tanto para que as políticas públicas chegassem até os empreendimentos, esse espaço é a concretização de um sonho e resultado de uma luta. O Festival demonstra que o Governo do Estado tem acertado no investimento para o nosso segmento”, elogia Maria Joselita da Costa, a Branca, da Coomafes.


Serviços fecham 2017 com queda de 2,8%, segundo IBGE

dinheiroO volume de serviços no Brasil caiu 2,8% em 2017, na comparação com o ano anterior. Já a receita nominal fechou o ano com alta de 2,5%. Os dados constam da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada hoje (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em dezembro de 2017, o setor de serviços cresceu 1,3% em volume na comparação com novembro e 0,5% na comparação com dezembro de 2016. A receita nominal cresceu 0,9% na comparação com novembro e 5% na comparação com dezembro de 2016. (Ag. Brasil)


Inscrições abertas para o curso de Gestão Financeira

michel-lima-credito-sebrae-da-foto-mauricio-maronCom o foco em uma gestão eficiente e eficaz no aspecto financeiro de uma empresa, o Sebrae Ilhéus está com inscrições abertas para o curso de Gestão Financeira Na Medida, que acontece entre os próximos dias 19 e 23 de fevereiro, sempre das 18h às 22h, na unidade regional da instituição, localizada na avenida Osvaldo Cruz, 74, no Edifício Premier Bussiness Center, bairro Cidade Nova.

De acordo com o gerente adjunto do Sebrae, Michel Lima, o curso visa orientar empresários e colaboradores de Microempresas (ME) nos movimentos financeiros, além de desenvolver atitudes proativas. “A ideia é que eles possam conhecer mais sobre fluxo de caixa, planejar gastos, investir com mais segurança e aumentar a competitividade do negócio”, revela.

O curso tem uma carga horária de 20 horas, divididas em cinco encontros de 4 horas, com 2 horas de consultoria e seis temas para serem discutidos em diálogos empresariais. O conteúdo programático do curso vai orientar o empresário sobre: Planejamento Financeiro; Fluxo de Caixa; Preço de Venda; O trabalho em equipe e a percepção humana; Demonstrativo e Análise de Resultados.

Informações e inscrição podem ser feitas pelos telefones (73) 3634-4068 ou (73) 99974-2263 ou, ainda, pela Loja Virtual do Sebrae. O investimento é de R$ 150 à vista ou dividido em 3 vezes no cartão.


Oficina gratuita traz orientações para quem quer abrir o próprio negócio

Para quem está pensando em abrir um negócio, o Sebrae está com inscrições abertas para a oficina  “Como planejar o seu negócio”. Gratuita, a capacitação acontece nesta sexta-feira, 16, das 14h às 17h, no ponto de atendimento da instituição em Itabuna, que fica na Rua Paulino Vieira, nº 175, Centro.

As vagas são limitadas. Informações e inscrições pelos telefones (73) 3613-9734 e 99974-2262 ou pela Loja Virtual do Sebrae (lojavirtual.ba.sebrae.com.br).


Carnaval pode impulsionar negócios e garantir mais vendas

Nem só de folia vive o Carnaval. A festa pode ser também sinônimo de negócios para alguns empreendedores. Engana-se quem pensa que são apenas aqueles itens mais tradicionais as únicas opções para quem quer faturar durante a festa.

O Sebrae chama a atenção para o fato das datas comemorativas serem, cada vez mais, usadas como estratégia para atrair clientes. Isso significa que, mesmo que um negócio não esteja em um dos ramos que tradicionalmente lucram durante o Carnaval, ainda é possível aproveitar oportunidades para realizar ações promocionais e divulgar o empreendimento.

O primeiro passo é a busca por informação. Pesquise na internet sobre tendências para o Carnaval, veja o exemplo de outras empresas. Ideias para lucrar com a folia existem várias, mas o Sebrae destaca que é importante considerar o interesse e a necessidade do cliente ou público em potencial. Só após essa análise é que o empreendedor deve decidir em quais ações vai investir para o Carnaval.


Novas regras para MEI contratar plano de saúde já estão valendo

1366843056670-microempresaPara evitar fraudes, já estão em vigor, novas regras para microempreendedores individuais (MEI) contratarem planos de saúde empresariais. Agora, o MEI deve comprovar adesão ao perfil empresarial há pelo menos seis meses no momento da aquisição do plano, de acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). As exigências passam a incluir também a apresentação da inscrição no órgão competente – como junta comercial – e comprovante da Receita Federal.

A comprovação de atuação como MEI também deverá ser cobrada pelas operadoras de plano de saúde no aniversário do contrato. A ANS explica que as novas regras foram pensadas para evitar fraudes, em que pessoas que não desempenham atividade empresarial realizam registro como MEI para terem acesso ao plano empresarial.

Na adesão a um plano empresarial, o MEI pode estender a cobertura a um funcionário, caso tenha, e também a dependentes, desde que seja comprovado o vínculo familiar.


Governo Central encerra 2017 com déficit de R$ 124,4 bilhões

dinheiroA recuperação das receitas no segundo semestre fez o Governo Central encerrar 2017 com déficit consideravelmente abaixo da meta de R$ 159 bilhões. No ano passado, Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social registraram déficit primário de R$ 124,401 bilhões. O déficit é 24,8% inferior ao resultado negativo de R$ 161,276 bilhões registrado em 2016 descontando a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

O déficit primário é o resultado negativo das contas do governo desconsiderando o pagamento dos juros da dívida pública. Apenas em dezembro, o Governo Central registrou déficit de R$ 21,168 bilhões, montante 67,1% menor que o rombo de R$ 62,447 bilhões em dezembro de 2016 considerando o IPCA.

No ano passado, as receitas líquidas da União cresceram 2,5% acima da inflação oficial pelo IPCA. As receitas foram impulsionadas pelo Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), também conhecido como Novo Refis, que rendeu R$ 24,6 bilhões à União, e pelas concessões de blocos de petróleo, aeroportos e hidrelétricas, que reforçaram os cofres federais em R$ 32,1 bilhões em 2017.

Leia Mais na Agência Brasil.


WhatsApp ganha versão para micro e pequenas empresas

Já está disponível para download gratuito o WhatsApp Business, a versão corporativa do aplicativo de mensagens, criada para atender às necessidades dos donos de micro e pequenas empresas (MPE). Por enquanto, o modelo está disponível apenas na Google Play, a loja de aplicativos para o sistema operacional Android.

A versão de negócios do aplicativo traz novidades como a possibilidade de exibir aos clientes os dados da empresa, como nome, horário de funcionamento, contatos, site oficial e ramo de atuação. Não é necessário informar um CNPJ. Se o usuário do aplicativo tiver números de telefone pessoais e comerciais separados, pode ter o WhatsApp Business e o WhatsApp instalados no mesmo telefone e registrá-los com diferentes números.

A empresa pode, ainda, criar mensagens automáticas para responder perguntas frequentes, dar informações sobre o negócio ou avisar de indisponibilidades temporárias de atendimento,  serviço ou produto. Com o WhatsApp Business, são geradas estatísticas para a análise do serviço, como o número de mensagens que foram lidas pelos usuários.

Estima-se que cerca de 80% dos pequenos negócios fazem uso do WhatsApp para negociar, manter contato com clientes e fechar transações.

Os clientes, usuários comuns, não precisam fazer o download, já que as mensagens das empresas são enviadas normalmente para o WhatsApp convencional.