Evento de moda destaca o novo momento do varejo

evento_moda_sebraeA preocupação com as questões sociais e ambientais são alguns dos valores que estão em evidência no varejo de moda no Brasil e no mundo. A tendência foi apresentada pela diretora de marketing do Instituto Brasileiro de Moda (Ibmoda), Luciane Robic, no Encontro com o Especialista, do Sebrae, voltado para empresários e colaboradores do setor e realizado nesta terça-feira, 27, em Itabuna.

De acordo com Luciane, as relações econômicas e sociais estão desenvolvendo um novo comportamento no consumidor, com novas ideias de consumo. “Com a crise, a gente começou a ter a consciência financeira sobre o quanto aquela roupa vai fazer diferença no guarda-roupa, e depois uma questão de consciência ambiental, pois a moda também é um dos mercados que mais polui”, relatou.

Esses aspectos, aliados à influência do comércio eletrônico, que, de acordo com o Ibmoda, lidera o número de pedidos de moda e acessórios no país, chamou a atenção dos empresários para a necessidade de investir em novas estratégias de atração do público consumidor. A dica da especialista para atender a esse novo modelo de consumo está na busca por capacitação e renovação de conceitos, visando agregar novos valores ao empreendimento.

Pensando nisso, o Sebrae, através do programa Sebrae Conecta, busca especialistas no segmento para ajudar o micro e pequeno empreendedor a desenvolver os seus negócios. De acordo com o gerente adjunto do Sebrae em Ilhéus, Michel Lima, “o mercado dá sinais evidentes de que o profissional precisa se capacitar e estar atualizado com as inovações e tendências do setor, para que ele possa manter o seu negócio”.


Empresários defendem viabilidade econômica e de infraestrutura para o transporte urbano

Reunião Ordinária da ACI com a presença de gestores das empresas de tranporte urbano 2Durante a Reunião Ordinária da Associação Comercial e Empresarial de Itabuna, nesta segunda-feira, 26, os gestores da empresa Sorriso Bahia, Elvis Souza e da São Miguel Itabuna, Wendel de Souza apresentaram aos empresários, dados de receitas e gastos que comprometem realização do serviço de transporte urbano na cidade. As empresas aguardam a decisão do Ministério Público sobre o reajuste da tarifa de R$ 2,85 para R$ 3,30 para investir na melhoria do serviço.

      O aumento foi vetado recentemente pelos vereadores, durante sessão especial na Câmara Municipal de Itabuna. As comissões permanentes entenderam que o aumento é abusivo e, por conta disso, a tarifa não foi alterada. O decreto assinado pelo prefeito Fernando Gomes, leva em consideração a decisão do Conselho Municipal de Transporte e um estudo da Comissão Municipal de Análise da Tarifa.

            As empresas juntas geram mais de 700 empregos diretos. No caso da Sorriso, em funcionamento desde 2011, foi apresentado queda no faturamento bruto médio anual de 2018, de R$ 1,3 milhões para R$ 1,2 milhões, em contrapartida aos gastos com o aumento da folha de pagamento, de R$ 480 mil para R$ 780 mil, a manutenção do serviço na cidade, a exemplo do consumo de diesel, que saiu de um pouco mais de R$ 200 mil para R$ 280 mil em média anual, em 2018.

Os dados revelam uma realidade bem parecida com a São Miguel, que também precisa de recursos financeiros para investir na melhoria do serviço de transporte e do apoio da Prefeitura Municipal para a manutenção das vias públicas. Em 2016, a média de arrecadação mensal da empresa foi de R$ 510 mil, reduzindo para R$ 450 mil em 2017 e R$ 418,00 este ano.


Especialista aponta estratégias para o setor de panificação em Itabuna

foto-mauricio-maron-9-gerente-regional-do-sebrae-claudiana-figueiredo-2Empresários do setor de panificação de Itabuna e região foram orientados nesta terça-feira, 20, sobre as estratégias para se manter num mercado cada vez mais competitivo. Com dados atualizados do segmento, o presidente do Instituto Tecnológico de Panificação e Confeitaria (ITPC) e administrador de empresas, Márcio Rodrigues, falou sobre qualidade, produtividade e inovação como pontos chaves para a competitividade no setor.

Segundo dados do próprio ITPC, o segmento teve uma performance positiva no Brasil, em 2017, com o crescimento de 3,2 % acima da inflação. Mas, segundo Márcio, há uma perda de mercado, principalmente para o pão francês, que diminuiu 7% de volume nas padarias tradicionais.“Porém, quando é analisada a indústria, observa-se um grande crescimento, com o surgimento dos pães congelados, aumentando os canais de vendas”’, analisou o especialista.

O momento, segundo Márcio, é de readequação a esse novo mercado, conhecendo os novos concorrentes e os produtos, bem como as estratégias das empresas para obter bons resultados. Informações como essas motivaram o casal de empresários Orleide Bispo e Daniela Bonfim, a buscarem ideias inovadoras para a padaria Maná, em Coaraci. “É importante inovar, buscar novidades para a gestão dos negócios e das vendas, sempre visando se manter no mercado”, declarou Orleide.

O evento foi uma oportunidade para os empresários entenderem o atual cenário de panificação, o que as empresas mais competitivas estão fazendo e como ter acesso a essas informações e tecnologias. Para a gerente regional do Sebrae em Ilhéus, Claudiana Figueiredo, o encontro voltado para o segmento de panificação é importante, por conta do impacto que atividade gera na economia da região. “O Sebrae tem trazido especialistas para falar sobre temas relevantes para que o empresários assegurem a sustentabilidade dos seus negócios”, concluiu.


Empresa itabunense de material para construção é destaque no ranking da Anamaco

A Revista Anamaco, da Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção lançou a edição de nº 291, durante a Expor Revistir 2018, realizada em São Paulo, na semana passada, contendo o 19º Ranking Nacional das Lojas de Material para Construção, com as maiores empresas de varejo no segmento à nível Brasil. Entre os quase 10 mil revendedores na Bahia, as Lojas Buriti aparece na 26º colocação e, em 1º lugar no Sul do Estado.

A lista de ranqueados é fruto de uma pesquisa conduzida pelo jornalismo da Grau 10 Editora, junto a 346 indústrias de material de construção, que apontam os seus principais clientes durante o ano de 2017. A diretora de redação da Editora, Beth Bridi, explica que “o intuito é que as indústrias indiquem lojistas em ordem de importância, levando em conta a penetração e a importância do segmento de atuação da indústria no varejo”.

Foram ranqueados 8.529 empresas varejistas em todo o país, no qual as indústrias apontaram, em pesquisa dividida por Estados, a razão social de seus principais compradores em ordem de importância, considerando o volume de compras do ano de 2017. As informações são agrupadas, tabuladas e consolidadas para que o ranking aponte os principais varejistas de cada Estado brasileiro.


Municípios do Sul da Bahia terão consultoria para equilíbrio fiscal

foto_sebrae_arapyauAtravés de uma parceria com o Instituto Arapyaú, Sebrae e a Associação dos Municípios do Sul, Extremo Sul e Sudoeste Baiano (Amurc), seis cidades que integram o Programa Líder do Sebrae serão contemplados com uma consultoria para otimizar as despesas e aumentar a arrecadação municipal. O lançamento do projeto aconteceu nesta terça-feira, 13, na unidade regional do Sebrae em Ilhéus.

Os municípios do sul da Bahia têm vivenciado um grave problema nos últimos anos, com a queda nas receitas municipais e aumento das despesas, que inviabilizam a implementação de ações locais. Na tentativa de solucionar essa demanda, o Instituto Arapyaú apresentou, durante as reuniões do Programa Líder, a possibilidade de prover aos municípios uma consultoria especializada no assunto para ampliar as receitas e reduzir as despesas.

A ideia foi amplamente aprovada pelas lideranças regionais, que têm se reunido desde 2017 para a construção de um Plano de Desenvolvimento Regional. De acordo com a gerente regional do Sebrae em Ilhéus, Claudiana Figueiredo, o projeto é uma extensão do programa Líder. “A iniciativa tem levantado, dentre as principais demandas, a necessidade de melhoria na arrecadação de receitas e redução das despesas, pensando no desenvolvimento sustentável dos municípios”.

O projeto Melhoria Fiscal Municipal será desenvolvido pela empresa Mouve Brasil, especialista na apresentação de soluções e serviços em mais de 400 cidades brasileiras de 20 estados da federação, com a finalidade de aumentar a eficiência dos municípios. De acordo com o consultor da empresa, Ricardo Ramos, inicialmente será feito um diagnóstico para conhecer a situação do município, para depois traçar metas e melhorias de gestão.

A iniciativa terá o financiamento de 100% do Arapyaú, que, segundo o diretor de projetos do instituto na região, Ricardo Gomes, tem o objetivo principal de contribuir para o desenvolvimento sustentável, partindo inicialmente com a proposta para seis cidades que integram o programa Líder: Itabuna, Ilhéus, Itacaré, Una, Uruçuca e Canavieiras. “Nesse primeiro momento, o projeto será aplicado para uma quantidade de municípios, mas poderá ser replicado na região”.

O prefeito de Una, Tiago Birschner, entende que não existe solução mágica para os problemas, mas acredita que a partir das informações sistematizadas será mais fácil para desenvolver as ações. “Nós não temos tempo para debruçar em busca de um diagnóstico, e a equipe da Muove tem profissionais qualificados para realizar esse trabalho e traçar soluções eficazes para o nosso município”.

O coordenador executivo da Amurc, Luciano Veiga, acredita no sucesso do projeto, que vai partir de um diagnóstico para identificar os problemas e atuar de forma assertiva e estratégica nos municípios. “A nossa expectativa é de que esse projeto sirva de exemplo para os demais prefeitos e que possa ser replicado em outras cidades, verificando as oportunidades para implementação das ações municipais”.


PIB e confiança: mais uma anotação na agenda

dinheiroChristian Frederico

Depois do rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela agência Standard & Poor’s, no último mês de janeiro, agora foi a vez de outra agência fazer o mesmo. A Fitch Ratings rebaixou, no dia 26 de fevereiro, a nota do Brasil de BB para BB-. A figura evidencia que o país está mal posicionado. Mas o que quer dizer o tal rating de crédito de um país?

Significa o risco de não pagamento das dívidas dentro do prazo fixado. Ou seja, a probabilidade do governo não pagar o que prometeu aos seus investidores no prazo acertado. Para entender melhor, basta pensar na probabilidade daquele amigo a quem você emprestou dinheiro não lhe pagar no tempo acordado.

O rating de crédito, então, influencia questões como: quem quer emprestar dinheiro para o Brasil? Qual é a taxa de juros que se cobra de quem não é bom pagador – ou pelo menos tem essa fama? Apesar das críticas que podem ser feitas a essas agências de avaliação de risco, são elas que dão a nota. É como aquele professor carrancudo… você pode até não gostar dele, mas é ele que aponta a sua a nota. Mas nunca esqueça que o desempenho é seu.

A economia brasileira continua a se recuperar de uma prolongada e profunda recessão econômica. A Fitch projeta crescimento médio de 2,6% no período 2018-2019, acima da estimativa de 1% em 2017. O crescimento deverá ser sustentado pelas condições favoráveis da demanda externa, assim como por uma recuperação na demanda doméstica. Entretanto, a força da retomada do crescimento poderá ser limitada por incertezas políticas, fiscais e em relação às reformas.

O relatório ainda traz que o governo registrou algum progresso em sua agenda de reformas microeconômicas ao longo do ano passado. A reforma trabalhista e a conversão de uma taxa de crédito subsidiada de longo prazo (TJLP) em uma taxa de crédito de longo prazo alinhada ao mercado (TLP) foram medidas positivas para melhorar a alocação de recursos, embora seu impacto sobre a economia mais ampla deva levar tempo para se materializar.

Ao mesmo tempo, a inflação continua moderada e as expectativas de inflação continuam bem ancoradas em torno da meta, refletindo os ganhos de credibilidade da política monetária do Banco Central. Nas partes supracitadas, e no relatório como um todo, fica bastante claro o motivo do rebaixamento: o governo não fez a lição de casa. E não apresenta condições de fazê-lo em curto prazo.

Mais uma vez o cenário político brasileiro se sobrepõe ao econômico. Por julgar o assunto como impopular, o Congresso Nacional brasileiro preferiu não avançar no tema. Porém, nossa resiliente economia mostra sinais de vida: arrecadação fiscal de janeiro/18 em alta e confiança crescente da maioria dos segmentos empresariais. Na ponta dos especialistas, o Relatório FOCUS, do Banco Central do Brasil, aponta sucessivos aumentos na expectativa para o PIB em 2018. E apesar do ânimo geral, continuamos em alerta!

Christian Frederico da Cunha Bundt é Administrador, professor e membro do Comitê Macroeconômico do ISAE – Escola de Negócios.


MEI tem oficinas gratuitas sobre benefícios e obrigações no Sul da Bahia

1366843056670-microempresaCom o objetivo de reduzir o número de inadimplência, multas e cancelamentos de registros do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), o Sebrae iniciou nesta terça-feira, 6, em Ilhéus, uma série de oficinas com o tema “Microempreendedor Individual em dia com suas obrigações”.

Na programação, profissionais do Banco do Povo, do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) e do próprio Sebrae esclarecem direitos e deveres do MEI. A mesma atividade acontece em Itabuna, nesta quarta-feira, 7, no Ponto de Atendimento do Sebrae, das 9h às 12h e das 14h às 17h.

Segundo estatísticas do Sebrae com base em dados da Receita Federal, só na Bahia, 85.683 registros de CNPJ foram cancelados este ano. Já nos municípios atendidos pela Unidade Regional Ilhéus, o número de cancelamentos chegou a 3.377 (11,96%). O destaque positivo foi Ilhéus, com apenas 4,08% dos registros cancelados, enquanto Arataca foi responsável por 30,47% dessas invalidações.

Para reverter esses números, o gerente adjunto do Sebrae, Michel Lima, explica que, até o mês de maio, o MEI será contemplado com oficinas semanais que abordem os aspectos fundamentais do dia a dia, principalmente relacionados às suas obrigações. “Ao longo dos encontros, os representantes das entidades parceiras esclarecem, entre outros assuntos, os benefícios de seguridade social, crédito, serviços do Sebrae, declaração anual, parcelamento e registro de empregado”, revelou Michel.

Em Ilhéus, as oficinas acontecerão sempre às terças-feiras, das 9h às 12h, no Edifício Premier Business Center, localizado na Avenida Osvaldo Cruz, 74, bairro Cidade Nova. Já em Itabuna, os encontros acontecerão todas as quartas-feiras, das 9h às 12h e das 14h às 17h, no Ponto de Atendimento, localizado na Rua Paulino Vieira, 175, Edifício Lizete Mendonça, Centro.

Mais informações e inscrições podem ser obtidas na Loja Virtual do Sebrae ou pelos telefones (73) 3634-4068 ou (73) 99974-2263, em Ilhéus. Já em Itabuna, o contato é feito pelos telefones (73) 3613-9734 ou (73) 99974-2262.


Seminário orienta empresários para captação de crédito

michel-lima-credito-sebrae-da-foto-mauricio-maronCom o objetivo de facilitar o acesso de micro e pequenas empresas às principais soluções financeiras, o Sebrae, em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), promove o Seminário de Crédito. Com inscrições gratuitas e limitadas, o evento acontece no próximo dia 20, em Itabuna, das 19h às 22h, no hotel Tarik Fontes; e em Ilhéus, dia 21, no mesmo horário, no auditório do Edifício Premier Business.

De acordo com o gerente adjunto do Sebrae em Ilhéus, Michel Lima, o seminário é uma oportunidade única de conhecer as principais linhas de créditos com prazos e condições diferenciadas, além da forma de acesso para micro e pequenas empresas. Além do BNDES, estarão presentes gerentes da Desenbahia, da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e do Banco do Nordeste.

Os gerentes apresentarão um portfólio de serviços dos bancos oficiais. “Será uma grande oportunidade para os empresários terem acesso ao crédito e agregá-lo ao planejamento anual da empresa”, explica Michel. “A ideia é que eles possam participar das rodadas de crédito e conhecer mais detalhadamente os produtos e serviços, bem como gerar oportunidades de negócios”, completa.

Mais informações e inscrições podem ser obtidas no ponto de atendimento do Sebrae em Itabuna, na Rua Paulino Vieira, 175, Edifício Lizete Mendonça, Centro, ou pelos telefones (73) 3613-9734 e (73) 99974-2262. Em Ilhéus, o interessado pode procurar a unidade no município, que atualmente está localizada na avenida Osvaldo Cruz, 74, Edifício Premier Business Center, no bairro Cidade Nova, ou pelos telefones (73) 3634-4068 ou (73) 99974-2263.


Escolas ensinam pais e alunos a lidar melhor com o dinheiro

Com a volta às aulas, um conteúdo diferente passou a fazer parte da grade de disciplinas de, pelos menos, 13 escolas baianas. Com direito até a um porquinho para começar a poupar, os colégios passaram a adotar o ensino de educação financeira no currículo escolar. As aulas, porém, não estão limitadas só aos alunos. Os pais também vão ter cursos de finanças pessoais, onde são abordados temas como noções básicas de economia, taxas de juros, investimentos, impostos e consumo consciente.

“A família que se compromete com as suas finanças pessoais também vai se comprometer com o investimento que está fazendo na escola. Ao interferir nesse conceito que o jovem e a criança têm sobre o dinheiro, vamos chegar aos pais”, afirma o proprietário do Colégio Império do Saber, Luís Machado.

A escola, que está localizada no bairro de São Caetano, além de levar conhecimento, a médio prazo, espera reduzir pela metade os índices de inadimplência na instituição. Ano passado, o índice de inadimplência fechou em 14%. “Nossa percepção veio muito por conta da crise no país. Os pais aceitaram bem a novidade. A escola investiu neste programa para fortalecer tanto as relações como os resultados”, acrescenta.

Leia mais no CORREIO.


Veto do Refis para MPE deve ser votado pelo Congresso terça-feira

Após reunião entre a Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa com lideranças do Sebrae, entre elas o superintendente do Sebrae Bahia, Jorge Khoury, e o presidente da instituição, Guilherme Afif Domingos, o presidente do Senado e do Congresso, Eunício Oliveira (MDB-CE), se comprometeu a colocar em votação o veto ao programa de refinanciamento das dívidas tributárias (Refis) para as micro e pequenas empresas na próxima sessão do Congresso, no dia 6 de março.

O Refis, que foi vetado pelo presidente Michel Temer, em 5 de janeiro deste ano, criava condições diferenciadas de refinanciamento de dívidas dos pequenos negócios. Na prática, ele pode ajudar as empresas que tiveram dificuldades durante o período de recessão e possuem dívidas tributárias com a União, ao facilitar a renegociação, com mais parcelas e redução expressiva de juros e multas.

“A derrubada do veto é de extrema importância nesse momento de recuperação econômica pelo qual passa o país. As pequenas empresas são as maiores geradoras de emprego do Brasil e precisam de atenção total e tratamento diferenciado”, afirmou Jorge Khoury.(Ag. Brasil)