Valor do salário mínimo em 2016 será de R$ 880,00

Rossetto-salário-mínimo
Ministro Miguel Rossetto fala sobre novo salário mínimo

A presidenta Dilma Rousseff assinou, nesta terça-feira (29), decreto que define o valor de R$ 880,00 para o salário mínimo, de acordo com nota publicada pela Secretaria de Imprensa da Presidência da República.

A nova quantia, que entrará em vigor a partir de 1º de janeiro de 2016, é R$ 92,00 maior do que o piso pago em 2015, que é de R$ 788,00.

A decisão beneficia cerca de 40 milhões de trabalhadores e aposentados, que atualmente recebem o piso nacional.

O ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, disse nesta terça-feira (29) que o reajuste de 11,6% do salário mínimo para o ano que vem segue a política de valorização da renda adotada pelo governo, garantindo que o trabalhador mantenha seu poder de compra.

“Esta posição dá continuidade a uma politica de valorização iniciada em 2003, que durante esses últimos anos foi responsável pelo aumento real de 76% do salário mínimo do nosso País”, disse o ministro.(Blog Planalto)


Ronaldo Abude avalia em entrevista o atual cenário empresarial em Itabuna e traça perspectivas para 2016

Ronaldo Abude FOTO VIVIANE CABRALPor Viviane Cabral

Há seis meses a frente da Associação Comercial e Empresarial de Itabuna – ACI, o empresário Ronaldo Abude Eustáquio da Silva faz um balanço do início da sua gestão, que vem sendo marcada pela participação da classe empresarial nas decisões do município. Entre as perspectivas para 2016, Ronaldo espera contar com a maior participação dos empresários nas ações promovidas pela entidade, visando alcançar um ambiente favorável para o desenvolvimento da região.

Como o Senhor avalia o atual cenário empresarial em Itabuna?

R. A.: O momento atual é muito interessante, do ponto de vista da participação do empresariado nas entidades de classe, nas questões políticas. Desde que assumir a [Associação Comercial e Empresarial de Itabuna] – ACI, a gente vem conquistando espaços interessantes, tanto na mídia quanto no Poder Público de uma forma geral. Então, essa participação está mudando o cenário, mas está mudando também o comportamento do empresário.

Nós temos reuniões constantemente com o Ministério Público, com o Prefeito, na Câmara de Vereadores, com os Secretários Municipais, e, a gente tem tido um retorno positivo de outros empresários. Então, estamos vivendo um momento de mudança importante, e, isso é um ponto muito satisfatório. Agora, a gente precisa dar um segundo passo, que é começar aumentar o número de empresários que se interessam em participar de todo esse movimento.

Nesse primeiro passo que foi dado, as lideranças têm trabalhado bastante, estão unidas em várias reivindicações e ações. Temos participado de reuniões onde tem a presença do CDL, do Sindicom, da Associação Comercial, do Movimento Empresarial do Sul da Bahia em Ação, outras associações ligadas ao campo, como a Adasb, por exemplo, que tem participado em conjunto com a gente.

Quais as perspectivas da Associação para o próximo ano?

R.A.: A gente está vivendo um momento em que se tem falado muito da crise. Mas, a gente tem visto na história do mundo e do país que é durante a crise que a gente consegue parar e buscar soluções, mudar comportamentos, atitudes e, mudar quem sabe até uma cultura.

Nosso grande desafio hoje à frente da ACI é mudar a cultura. E, mudar cultura não é fácil, vai exigir da gente muita persistência, muito trabalho também. A gente tem que começar a demonstrar a sociedade que a gente tem interesses no coletivo, que existe um desenvolvimento de uma forma que atenda as necessidades de toda a população e de todos os seguimentos.

Então, os empresários devem estar atentos a toda essa movimentação, seja política, ligada a atividades da agricultura, pecuária, do comércio. Então, tudo que acontece de positivo ou negativo vai interferir no todo. Esse entendimento é importante para que a gente consiga fazer com que todas as classes e entidades entendam que elas devem se unir em um único projeto, que é o projeto de desenvolvimento da nossa cidade.

A Associação não está somente ligada ao setor empresarial, mas ela se preocupa com outras áreas para que o desenvolvimento venha acontecer e gerar frutos para o setor. É essa a ideia?

R. A.: Exatamente. Tudo está interligado. Se você tem uma cidade que consegue educar melhor os jovens, vão ser formadas melhores pessoas, competentes e preparadas. Se você tem uma cidade com um bom serviço de saúde, vai atrair pessoas que tenham interesse em vir para a nossa região. Muitas empresas definem aonde irão se instalar tentando enxergar vários aspectos na cidade, como saúde, educação, mão de obra, se tem água, por exemplo.

A água é outro projeto que estamos engajados porque a gente sabe da necessidade de água na nossa região. Estamos passando por um momento de crise na questão de água por falta de chuva. Então, todos esses segmentos convergem para que tenhamos esse ambiente propício ao empreendedorismo.

Porque, eu tenho certeza de que hoje o que mais influencia nos resultados das empresas é tudo que acontece externamente. Então, é esse o entendimento e a compreensão que estamos buscando com todos os empresários da nossa cidade, e, dessa forma estamos fazendo com que eles percebam a importância e a necessidade de união de toda a região.

Que conquistas o Senhor tem alcançado junto aos empresários?

R.A: A união das entidades, como Sindicom, CDL e Associação Comercial, que em muitas cidades funcionam dentro de um mesmo espaço físico, com finalidades um pouco diferente. Aqui, em Itabuna, a gente está começando a perceber que todas essas entidades já começaram a entender que precisam estar unidas.

Poderia também pontuar que todos os setores precisam estar interligados, como o setor de serviço, comércio, indústria e agricultura. Então, dentro da Associação Comercial temos cinco (5) conselhos, onde todos os diretores estão começando a entender a importância de que eles têm de participar um com o outro, de todas as discussões que envolvem os setores.

Nós estamos começando a ser mais percebido pelo Poder Público. O Ministério Público está percebendo que estamos de olho nas ações, na importância que o órgão tem para a nossa sociedade. A própria Universidade Federal do Sul da Bahia já tem uma aproximação muito grande com os empresários, através de contatos que fizemos. Hoje já existe um Fórum Empresarial dentro da universidade que está se discutindo o futuro dessa entidade em nossa região.

O Senhor acha que o Associativismo é um passo importante para que haja o desenvolvimento na cidade?

R. A.: O Associativismo é a solução para qualquer classe. O Associativismo proporciona um ambiente para que você possa ter conquistas, para que se possa debater. Ninguém é capaz de fazer nada sozinho. Você dentro de uma Associação bem estruturada, com planejamento estratégico bem montado e com pessoas juntas buscando um objetivo, tem muito mais força.

Agora, a cultura associativista é que ainda não está implementada em nossa sociedade. Por isso a persistência que temos que ter, para que as pessoas entendam os benefícios de uma associação. Acho que a gente tem uma tarefa muito importante, que é convencer os associados a fazer com que eles passem a ter essa cultura.

O que o Senhor espera para a Associação em 2016?

R.A: Eu espero conquistar uma visibilidade da nossa Associação na sociedade e que essa visibilidade seja de forma positiva. Que a sociedade e os nossos associados comecem a entender que aqui é o caminho para conquistar as coisas que queremos. Em 2016, isso seria um passo muito importante a ser dado pela Associação.

O que ainda precisamos conquistar é que o “exército” [de empresários] precisa ser aumentado. Nós temos hoje poucas pessoas, mas muitas entidades, trabalhando muito.


Inflação deve chegar a 10,8% este ano e a 6,2% em 2016

Da Agência Brasil

A inflação, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), este ano vai chegar a dois dígitos e passar longe do teto da meta de 6,5%. A projeção do Banco Central (BC) é que a inflação feche este ano em 10,8%. A estimativa divulgada em setembro era 9,5%. A última vez que a inflação ultrapassou dois dígitos foi em 2002, quando chegou a 12,53%.

A previsão consta no Relatório de Inflação, divulgado trimestralmente pelo BC. Para 2016, a estimativa para o IPCA subiu de 5,3% para 6,2%. Em 2017, a inflação deve ficar em 4,8%.

Essas projeções são do cenário de referência, elaborado com base na taxa básica de juros, a Selic, no atual patamar (14,25% ao ano), e o dólar a R$ 3,90. O BC também divulga estimativas do cenário de mercado, em que são usadas projeções de analistas de instituições financeiras para a taxa Selic e câmbio. Neste caso, o IPCA também deve ficar em 10,8%, ante 9,5% previstos em setembro.

Para 2016, a estimativa de mercado foi ajustada de 5,4% para 6,3%. Em 2017, a inflação deve ficar em 4,9%.


Guia para recolhimento de encargos trabalhistas fica disponível no eSocial

eSocialEstão disponíveis a partir de hoje (21) no eSocial as funcionalidades para o recolhimento dos encargos sobre a folha de pagamento do mês de dezembro e sobre o pagamento final do décimo terceiro salário. A data limite para pagamento do Documento de Arrecadação eSocial (DAE) será 7 de janeiro de 2016.

A Receita Federal alerta que, caso o empregador constate erros de informação ou de cálculos para a geração do documento, reabra a folha de pagamento, corrija os valores e a encerre para só então emitir o novo DAE. De acordo com a Receita, a simples reemissão do DAE não corrige o problema.

No eSocial (Simples Doméstico), o empregador recolhe, em documento único, a contribuição previdenciária, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), o seguro contra acidentes de trabalho e a indenização compensatória (multa FGTS), além do Imposto de Renda dos empregados que recebem acima da faixa de isenção (R$ 1.903,98).

O site do eSocial tem uma seção dedicada aos utilizadores da ferramenta.(Agência Brasil)


Novo ministro da Fazenda diz que compromisso com ajustes continua

Barbosa Ministro da fazendaDa Agência Brasil

O novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, afirmou hoje (18), em coletiva realizada no início da noite no Palácio do Planalto, que os esforços para o ajuste fiscal devem continuar para estabilizar a economia e promover sua recuperação.

“O compromisso com a estabilidade fiscal se mantém o mesmo. O volume de cortes e despesas discricionárias deve atingir R$ 78,5 bilhões. Em 2016, esperamos gastar o mesmo que gastamos seis anos atrás. Esse fato já mostra o nosso compromisso [com o ajuste]”, disse Barbosa.

Ele mostrou otimismo com a retomada do crescimento da economia e frisou a importância dos ajustes para que isso ocorra. “Estamos em uma fase de transição na economia brasileira, em fase de ajustes para um novo ciclo de crescimento. Temos adotado também várias medidas de gestão para otimizar o gasto público. [O trabalho] continua sendo promover o reequilíbrio fiscal. Somente com a estabilidade fiscal é que teremos um desenvolvimento sustentável”, afirmou o ministro.

Barbosa assumiu hoje a pasta, deixada por Joaquim Levy. No seu primeiro pronunciamento após o anúncio oficial do Planalto, Barbosa elogiou o trabalho de Levy enquanto esteve à frente da pasta. “Gostaria de agradecer o trabalho do ministro Levy no ministério da Fazenda em todos esses meses. Foi um trabalho bastante positivo, que já vem dando resultados, com reequilíbrio fiscal”.

A troca no comando da equipe econômica foi anunciada há pouco pelo Palácio do Planalto, por meio de nota à imprensa, e ocorre após uma semana conturbada no Congresso Nacional, onde estiveram em votação a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o Plano Pluriananual (PPA) e o Orçamento de 2016. De acordo com o comunicado, Dilma agradeceu Levy e elogiou o trabalho do ministro.


Recuperação fiscal

ItabunaA Prefeitura de Itabuna acaba de lançar um Programa de Recuperação Fiscal – Refis para promover a regularização de créditos do Município, decorrentes de débitos de contribuintes relativos a impostos, taxas e multas previstas no Código de Posturas e no Código de Obras, inscritos ou não na dívida ativa, ajuizados ou ajuizar, com exigibilidade suspensa ou não, exceto os decorrentes de falta de recolhimento de valores retidos na fonte.

O contribuinte que pagar à vista terá desconto de 100% dos juros e multa de mora e multa de infração.


Lançamento de livro encerra comemorações dos 50 anos do curso de Economia da UESC

encerramento 50 anos economia uesc
Autores do livro durante   encontro no auditório da Torre ( fotos Shigueaki).

O fechamento das comemorações dos 50 anos de criação do curso de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Santa Cruz(Uesc) aconteceu na última segunda-feira(30/11) no auditório da Torre da Universidade em Ilhéus, com o lançamento do livro “Reflexões de Economistas Baianos 2015”.

Entre os artigos publicados na coletânea  está o estudo do Presidente da Associação dos Economistas do Sul da Bahia(Assesba) e mestrando em Economia Regional e Políticas Públicas, Neorley Batista, que trata do tema “Os elementos shumpeterianos e a internacionalização produtiva de empresas brasileiras”. O livro possui outros autores economistas da UESC.

uesc_torre_economia

O encontrou contou com a participação de estudantes, pesquisadores, professores e dos representantes do Conselho Regional de Economia de Economia(Corecon) prof. Marcelo Santos e prof. Gustavo Casseb Pessoti.

A reitora Adélia Pinheiro, feliz com sua reeleição para liderar a UESC por  mais 4 anos,  prestigiou o evento e elogiou o desempenho do curso para o desenvolvimento e reconhecimento da Universidade   como uma grande instituição de impacto positivo na região Sul baiana.


Profissionais do Sul da Bahia recebem formação para elaborar projetos sociais

Curso_projetos_assesba_Joao_27_11_2015Uma iniciativa inovadora da Associação dos Economistas do Sul da Bahia(Assesba), está dando  oportunidade para profissionais de diversas áreas de formação se qualificarem para elaborar projetos. Com  início nesta sexta-feira(27) na UESC, o curso é realizado em parceria com o Programa de Apoio aos Egressos de Economia (PAECE), Escritório de Projetos (EPEC), e o Departamento de Ciências Econômicas(DCEC).

Para o Assistente Social, Bruno Novais Nascimento do municipio de Jussari, o curso de “Elaboração e Análise de Projetos” atende a uma carência da região. “Esse curso vai nos ajudar bastante na elaboração de projetos sociais no município”, afirma Bruno. Ele acrescenta que “depois do governo Lula tem muitas oportunidades a partir das políticas públicas e programas desenvolvidos pelos governos, tendo mais possibilidades de trabalho para os profissionais que sabem fazer projetos”, concluiu.

Segundo o economista e professor João Carlos de PáduCurso_projetos_assesba_Nerley_27_11_2015a Andrade, facilitador do curso, o consultor em projetos sociais “precisa além de ficar atento aos editais, saber escrever bem o projeto colocando com clareza e ilustração a parte do diagnóstico, contextualização e o problema”. Pádua considera na metodologia participativa e inclusiva, o melhor caminho para se obter um bom diagnóstico em comunidades demandante de projetos.

Neorley Batista Carvalho, economista e presidente da Assesba, salientou que o curso de Elaboração e Análise de Projetos terá carga horária de 60 horas divididas em três módulos, sendo parte dela não presencial para pesquisas e exercícios. “Oferecer cursos de aperfeiçoamento para os economistas e profissionais de outras áreas é um dos nossos objetivos enquanto Associação. Pensamos no desenvolvimento regional com a participação de todos os atores”, disse Neorley Batista.

Curso_projetos_assesba_plenaria_27_11_2015

Curso_projetos_assesba_27_11_2015


I Encontro Setorial com o segmento empresarial do Litoral Sul da Bahia da UFSB

195A2133A UFSB realizou, nesta quinta-feira (26), o I Encontro Setorial com o segmento empresarial do Litoral Sul da Bahia. O encontro foi demanda da primeira reunião que ocorreu no mesmo local em setembro deste ano. O objetivo foi estabelecer um espaço de diálogo permanente com o setor empresarial para fomentar o desenvolvimento e a sustentabilidade regional. A meta central é a troca de informação entre ambos os lados.

As diretrizes debatidas foram retiradas das solicitações do I Fórum Social da UFSB, momento em que representantes de diversos segmentos, inclusive o setor empresarial, discutiram sobre seus anseios em relação à Universidade e organizaram um documento para ser entregue ao Conselho Estratégico da UFSB.

A programação contou com apresentação de propostas de oportunidades de atuação em conjunta feitas pelo setor. Assim, representantes de movimentos empresariais, associações, Câmara de dirigentes lojistas e sindicatos expuseram seus pontos de vista em relação aos caminhos da universidade e a região. Representantes da UFSB também explanaram sobre o trabalho realizado na instituição, sanando dúvidas dos presentes.

Nas falas dos representantes empresariais, foi dito sobre a importância dessa iniciativa para que muros entre a academia e o mundo empresarial fossem quebrados. Para Élio Nascimento, representante do Movimento Empresarial do Sul da Bahia em Ação, a intenção não é só opinar, e sim discutir sobre o assunto. Afinal, os estudantes que agora cursam a universidade, daqui a cinco, seis anos, provavelmente farão parte das empresas.

Eles também demonstraram certa inquietação quanto ao desenvolvimento da região, que não vem alcançando bons índices nos últimos anos. Entretanto, aguardam com grande expectativa as parcerias que poderão ser firmadas com a UFSB para que esses dados possam mudar.

O encontro foi chamado de “do Litoral Sul da Bahia” no intuito de possibilitar maior participação e adequação de agendas nos locais onde estão instalados os três campi (Itabuna, Teixeira de Freitas e Porto Seguro). Dessa forma, nos primeiros meses do próximo ano, reuniões também acontecerão no extremo sul da região.


Unime Itabuna lança o Projeto Capacita

Projeto CapacitaCom o intuito de treinar e preparar pessoas para o mercado de trabalho a Unime Itabuna lança no próximo sábado, 28, o Projeto Capacita que consiste na capacitação profissional de pessoas através da realização de cursos gratuitos com carga horária de 4 horas.

Realizado em parceria com a CDL, o CIEE, o SINE Bahia, a ACI e a PRIMORE, o projeto tem foco na qualificação profissional dos que buscam uma oportunidade e visa as contratações temporárias de final de ano, assim como a capacitação de funcionários que já possuem vínculo com as empresas, gerando melhor produtividade.

O primeiro curso a ser ministrado é o de Técnicas de Vendas e Atendimento ao Cliente, que irá tratar sobre novas técnicas de abordagem, como encantar o cliente, comunicação organizacional, espírito de grupo, comportamento do consumidor e apresentação pessoal, além de propor a realização de exercícios práticos.

A primeira turma a participar do curso, está prevista para o dia 28 de novembro, e a segunda, para o dia 05 de dezembro. As aulas acontecem no Campus II da Unime, a partir das 08:00hs.

Aos interessados em se inscrever e obter mais informações, basta entrar em contato através do número (73) 2102- 3023. Os currículos dos inscritos serão encaminhados para as empresas associadas às entidades, além de ficarem disponíveis para futuras contratações.