Dicas para organizar as finanças no início do ano

Passada a euforia das festas de final de ano, é hora de se preparar para as contas de janeiro. Nesse período, surgem despesas extras com impostos, reajuste de tarifas, matrícula escolar e material didático, que são somadas as contas mensais regulares de água e energia, além dos gastos com alimentação, saúde e transporte.

Diante de tantos compromissos financeiros, os economistas alertam que é fundamental controlar o orçamento, e apontam que para manter o equilíbrio, o segredo é planejar. Cabe ao consumidor, já ciente dessas despesas,adotar uma atitude preventiva em dezembro e economizar, até mesmo reservando uma parte do décimo terceiro para ajudar.

Os especialistas afirmam ainda que quando não há uma reserva, o consumidor deve avaliar se irá dispor ou não do dinheiro para arcar com as despesas;organizar as dívidas de longo prazo, analisando se é mais viável pagar à vista ou parcelado; verificar os gastos e manter apenas aqueles que são estritamente necessários, afinal, trata-se de em período delicado.

Nesse sentido, a Unicred Região Sul da Bahia reforça a importância de poupar dinheiro e alerta os cooperados sobre o hábito sensato de organizar as despesas mensais em planilhas, para controlar o dinheiro e reduzir os gastos até que as contas se ajustem. A Cooperativa disponibiliza ainda uma linha de crédito especial para que as contas não atrapalhem os planos de um ano tranquilo.

Para obter mais informações, entre em contato com as agências da Unicred: Itabuna (73) 2102-2170, Ilhéus (73) 3634-6142 e Jequié (73) 3525-1049.


Microempreendedor itabunense já conta com auxílio para enviar declaração

A Sala do Empreendedor, na Prefeitura de Itabuna, no bairro São Caetano, já conta com um número maior de funcionários para atender gratuitamente ao Microempreendedor Individual (MEI) que tem dificuldade para enviar, sozinho e no menor tempo possível, a Declaração Anual de Receita. De acordo com Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo (SICTUR), o tempo médio de espera para a conclusão de processo tem sido de 10 minutos, o que não atrapalha os pequenos empresários nas suas atividades diárias.

A rapidez no atendimento foi comprovada pelo microempreendedor individual Jorge Luiz Lisboa, que na manhã desta terça-feira, 19, recorreu ao auxílio de um dos três servidores municipais para enviar à Receita Federal a declaração de faturamento do ano passado. O prestador de serviços na área de construção civil contou que preferiu enviar a informação com acompanhamento de uma atendente por não possuir tanta experiência para fazer o procedimento diretamente na internet.

Jorge Luiz afirma que, como tem a vida muito corrida, deslocou-se até o Centro Administrativo Firmino Alves porque sabia que o atendimento seria rápido. “Caso contrário, deixaria para buscar o serviço em outro momento. O serviço está aprovado e recomendo a quem está com dificuldade para enviar a declaração pela internet a procurar o atendimento aqui, que está sendo eficiente”, observa microempreendedor.


Com crise, mais brasileiros passaram a trabalhar por conta própria

Alana Gandra e Felipe Pontes – Repórteres da Agência Brasil

A proporção de pessoas que trabalham por conta própria entre o total de ocupados aumentou de 17,9%, em janeiro de 2013, para 19,8% em novembro de 2015, segundo cálculos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com base na Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O levantamento cobre as seis principais regiões metropolitanas brasileiras (Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Salvador). Na avaliação do economista e pesquisador do Ipea Miguel Foguel, o aumento do trabalho por conta própria está relacionado à crise econômica e à consequente redução dos empregos formais.

Segundo Foguel, os trabalhadores por conta própria podem ser divididos em dois grupos: os que contribuem para a Previdência Social e os que não contribuem. Em 2013, os autônomos do primeiro grupo eram 5,2% do total de ocupados nessas seis regiões. Esse percentual subiu para 7,4%, em novembro de 2015. Já os trabalhadores por conta própria não contribuintes permaneceram estáveis: 12,8%, em janeiro de 2013; e 12,4%, em novembro de 2015.

De acordo com o economista do Ipea, provavelmente, esse fenômeno tem a ver com a reação defensiva do trabalhador diante de um mercado de trabalho em crise, em que as empresas estão demitindo e deixando de contratar. “Aí, a reação deles ante a dificuldade de encontrar emprego é buscar algum tipo de renda por meio de um microempreendimento ou alguma atividade que se configura como por conta própria, e continuar contribuindo para a Previdência Social, mas agora não mais como um empregado formal”.

Leia mais na Agência Brasil.


Ilhéus fará mutirões em bairros para estimular declaração de MEIs

Com o objetivo de facilitar a prestação de contas anual dos Microempreendedores Individuais (MEIs) de Ilhéus, a Secretaria Municipal de Indústria e Comercio (Sedic) realiza, nos dias 19, 22 e 26 deste mês, mutirão de declarações. A iniciativa acontece nos bairros Teotônio vilela, Nelson costa, Hernani Sá e Malhado. A ação tem parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Balcão do Empreendedor.

De acordo com o titular da Sedic, Roberto Garcia, o mutirão acontecerá no próximo dia 19 nos bairros Nelson Costa e Hernani Sá. No dia 22 será a vez do Teotônio Vilela e no dia 26, Malhado. Os interessados devem se apresentar portando o número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e, se possível, informações relativas às movimentações financeiras do ano anterior.

A declaração anual de receitas dos MEIs pode ser feita também no Balcão do Empreendedor, localizado no térreo do Anexo de Secretarias, no centro de Ilhéus. É importante ser realizada para evitar que a Receita Federal execute sanções contra os pequenos empresários, como o cancelamento do CNPJ e aplicação de multas.

MEI – Segundo a legislação atual, Microempreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para se enquadrar no grupo, é necessário faturar até 60 mil reais por ano, no máximo, e não ter participação em outra empresa.


Segundo IBGE vendas no comércio aumentaram dois meses seguidos

Vendas no comércio registram segunda alta consecutiva, segundo IBGEAs vendas no varejo no Brasil cresceram pelo segundo mês consecutivo. Segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (13), o mês de novembro do ano passado teve alta de 1,5% em relação ao mês anterior.

O setor de equipamentos de escritório, informática e comunicação foi o que mais contribuiu para o avanço, com crescimento de 17,4%, seguido do setor de eletrodomésticos, com 6,9%, e de artigos de uso pessoal e doméstico, com 4,1%. Ao todo cinco das oito atividades que compõem o varejo tiveram alta.

O IBGE considera que o crescimento é consequência do movimento de antecipações de compra para o Natal, que já aconteceu em outros anos. Por outro lado, comparando novembro de 2015 com o mesmo mês do ano anterior, o varejo apresenta queda de 7,8%, a oitava taxa negativa nesse tipo de comparação. No acumulado de 2015, a retração é de 4,0%.(Bahia Noticias)


Controle da inflação é prioridade do governo em 2016, diz Nelson Barbosa

Ministro assegurou compromisso com ajuste fiscal para ajudar o BC a levar IPCA ao centro da metaDo Jornal do Brasil

O controle da inflação é prioridade para o governo em 2016, destacou o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, na noite de sexta-feira (8) em nota oficial. O ministro assegurou o compromisso da equipe econômica com o ajuste fiscal para ajudar o Banco Central a levar o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de volta ao centro da meta, 4,5%, em 2017.

“O controle da inflação é uma prioridade do governo, e o Banco Central do Brasil está empenhado em adotar as medidas necessárias para alcançar o centro da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional até o final de 2017. Nesse processo, o Ministério da Fazenda contribuirá no combate à inflação mediante a adoção de ações para o reequilíbrio fiscal e para o aumento da produtividade da economia”, disse.

Mais cedo, o Banco Central havia divulgado uma carta aberta ao Ministério da Fazenda, justificando o estouro do teto da meta, de 6,5%, em 2015. O índice oficial de preços fechou o ano passado em 10,67%, no maior nível desde 2002 (12,53%). A última vez em que o Banco Central enviou o documento foi em 2003, quando o índice fechou o ano em 9,30%.


Receita abre consulta a lotes residuais de 2008 a 2015

A Receita Federal abre hoje (8) consulta ao lote residual de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física de janeiro. Ao todo, serão desembolsados R$ 450 milhões para declarações de 2008 a 2015.

A lista com os nomes estará disponível a partir das 9h no site da Receita na internet. A consulta também pode ser feita pelo Receitafone, no número 146. A Receita oferece ainda aplicativo para tablets e smartphones, que permite o acompanhamento das restituições.

As restituições terão correção de 9,79%, para o lote de 2015, a 78,29% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a entrega da declaração até este mês.(Agência Brasil)


Itabuna tem novos registros de empreendedores individuais

        Comerciante Pedro Jozino dos Santos Neto (Foto Gabriel de Oliveira).

Itabuna foi o município que mais tirou trabalhadores da informalidade e registrou novos microempreendedores individuais (MEI) em 2015, na lista dos 26 municípios que compõem o Território Litoral Sul. A cidade foi oficialmente confirmada pelo Sebrae como a capital do empreendedorismo na região sul do Estado.

Pelo Portal do Empreendedor, via internet, Itabuna acumulou um crescimento de 28,5% no número de formalizações em relação a 2014. Somado ao número de trabalhadores que se formalizou através da Sala do Empreendedor, no Centro Administrativo Firmino Alves, o aumento atingiu a marca de 45% em relação ao ano anterior.

O principal fator para o crescimento dos MEI – e a consequente liderança regional – é atribuído às iniciativas da Prefeitura como, por exemplo, o “Mutirão nos Bairros”. Durante o ano passado técnicos da Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo visitaram trabalhadores que viviam na informalidade em bairros populares. Nos locais, apresentavam vantagens da formalização e incentivavam a inscrição comercial no perfil de Microempreendedores Individuais, setor que mais gera emprego e renda na economia nacional.

“A Sala Itinerante que resulta nos mutirões não é apenas uma iniciativa para aumentar o número de pessoas nos índices estatísticos de formalizações”, explica o secretário José Humberto Martins. Ele destaca que a parceria com o Sebrae permite avanços que fortalecem o pequeno negócio.

O Sebrae entra com a capacitação desses empreendedores e a Prefeitura com o apoio para a formalização. Para este ano, o secretário anuncia a utilização de uma van personalizada que irá percorrer os bairros, oferecendo serviços e facilitando a vida de quem já é MEI com a emissão de documentos e boletos.

 


Orçamento de 2016 prevê R$ 1 bilhão para reajuste do Bolsa Família, diz MDS

Bolsa Familia

O orçamento do governo federal para 2016 prevê reajuste no programa Bolsa Família, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). O aumento previsto de gastos para o programa é R$ 1 bilhão, informou hoje (4) o ministério. No entanto, ainda não há definição de quanto nem quando será o reajuste.

O reajuste do Bolsa Família entrou em discussão nos noticiários após, no último dia 31 de dezembro, a presidenta Dilma Rousseff vetar um trecho da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016, que previa o reajuste para os beneficiários do programa.

De acordo com a proposta aprovada pelo Congresso Nacional, a correção do benefício para todas as famílias seria medida de acordo com o índice da inflação, calculado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo. O MDS informou que o veto da presidenta ao trecho da LDO ocorreu em função da vinculação do reajuste do Bolsa Família à inflação. A LDO contém parâmetros e estimativas que orientam a elaboração do Orçamento deste ano.

Na mensagem com justificativa dos vetos à LDO, encaminhada pela presidenta Dilma Rousseff ao Congresso Nacional, ela explica que o Bolsa Família passa por aperfeiçoamentos e mudanças estruturais e, caso esse “reajuste amplo” não fosse vetado, prejudicaria famílias em situação de extrema pobreza que recebem o benefício de forma não-linear, em valores distintos.(Agência Brasil)


‘A partir de agora, nenhum desempregado a mais’ reivindica João Pedro Stedile

Joao PedroO ano que se encerra representou uma conjuntura extremamente complexa para o Brasil. Diante de tal cenário, os movimentos populares construíram novos espaços de articulação para as lutas sociais.

João Pedro Stedile, da direção nacional do Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e integrante da Frente Brasil Popular, considera que 2015 foi “um ano perdido para os trabalhadores brasileiros”.

Em entrevista ao Brasil de Fato, Stedile avalia que “a novela do impeachment”deva terminar até abril de 2016 e que o próximo ano será marcado pela luta em torno da condução da política econômica do governo. “Nenhum desempregado a mais”, defende João Pedro.

Comece a ler a entrevista:

Brasil de Fato – Que balanço os movimentos que compõe a Frente Brasil Popular estão fazendo do ano que está terminando, em termos de lutas e de enfrentamentos políticos?

João Pedro Stedile – A Frente Brasil Popular é uma frente ampla, uma aliança das mais diferentes formas de organização de nosso povo: movimentos populares, da juventude, sindicais e partidos. Nós sempre tomamos as deliberações por consenso, não temos instâncias de coordenação, nem porta-vozes. Assim, não posso e nem devo falar pela Frente Brasil Popular. Falo pelo que vejo nos movimentos da Via Campesina, nos movimentos populares e nas minhas andanças pelo Brasil. Em termos gerais, acho que podemos dizer que 2015 foi um ano perdido para os trabalhadores brasileiros. Um ano no qual a mediocridade política imperou. A maioria do povo brasileiro, com seus 54 milhões de votos, reelegeu a presidenta Dilma [PT]. Porém, setores das classes dominantes e os partidos mais conservadores não se deram por vencidos e quiseram retomar o comando do Executivo no tapetão. Começaram a conspirar desde a posse. Para isso se utilizaram dos espaços nos quais têm hegemonia – como a mídia corporativa, o poder Judiciário e o Congresso – para tentar derrubar a presidenta. O governo federal se assustou, montou um ministério medíocre, que não representa as forças que elegeram a presidenta. E passou o ano se defendendo, gerando uma situação de disputa e de manobras apenas em torno da pequena política.

Para continuar lendo veja aqui na Carta Maior.