Unime Itabuna lança o Projeto Capacita

Projeto CapacitaCom o intuito de treinar e preparar pessoas para o mercado de trabalho a Unime Itabuna lança no próximo sábado, 28, o Projeto Capacita que consiste na capacitação profissional de pessoas através da realização de cursos gratuitos com carga horária de 4 horas.

Realizado em parceria com a CDL, o CIEE, o SINE Bahia, a ACI e a PRIMORE, o projeto tem foco na qualificação profissional dos que buscam uma oportunidade e visa as contratações temporárias de final de ano, assim como a capacitação de funcionários que já possuem vínculo com as empresas, gerando melhor produtividade.

O primeiro curso a ser ministrado é o de Técnicas de Vendas e Atendimento ao Cliente, que irá tratar sobre novas técnicas de abordagem, como encantar o cliente, comunicação organizacional, espírito de grupo, comportamento do consumidor e apresentação pessoal, além de propor a realização de exercícios práticos.

A primeira turma a participar do curso, está prevista para o dia 28 de novembro, e a segunda, para o dia 05 de dezembro. As aulas acontecem no Campus II da Unime, a partir das 08:00hs.

Aos interessados em se inscrever e obter mais informações, basta entrar em contato através do número (73) 2102- 3023. Os currículos dos inscritos serão encaminhados para as empresas associadas às entidades, além de ficarem disponíveis para futuras contratações.


Empresários debatem ocupação de Camelôs nas ruas do Centro de Itabuna

Michel Lima - Sebrae, José Humberto Martins - Secretário de Indústria e Comércio, Miguel Castro - Receita Federal, Jorge Braga - CDL, Ronaldo Abude-ACI e Eduardo CarqueijaA ocupação desordenada de barracas no entorno das principais ruas do centro de Itabuna foi o tema da Reunião Ordinária da Associação Comercial e Empresarial de Itabuna, nesta segunda-feira, 23. O encontro contou com representantes do Governo Municipal, da Receita Federal, CDL, do Sindicom e Sebrae, que estarão unindo esforços contra a comercialização de mercadorias clandestinas.

De acordo com o presidente Ronaldo Abude, a ACI junto as demais entidades do comércio estarão oficializando uma denúncia na Delegacia da Receita Federal na cidade, a fim de que sejam fiscalizadas todas as mercadorias comercializadas de modo informal no centro da cidade. “Nós conclamamos uma maior participação dos empresários, do Poder Público Municipal e dos demais órgãos públicos na cidade para que atuem contra a entrada de produto ilegal”.

O secretário de Indústria, Comércio e Turismo, José Humberto Martins revelou que o Poder Público está trabalhando em ações de conscientização e orientação dos Camelôs para que estes desocupem as instalações das principais vias da cidade e sejam transferidos para a Praça Adami. A iniciativa visa oferecer maior mobilidade aos pedestres e melhor organização do comércio local.

O delegado da Receita Federal, em Itabuna, Miguel Castro revelou que o órgão tem competência para atuar na fiscalização de mercadorias de origem de desconhecida, mas, para isso, precisa receber denúncias, que podem ser encaminhadas por qualquer cidadão. “A Receita tem a função e a obrigação de receber e fazer a verificação da procedência da mercadoria, aplicar as perdas devidas que forem apreendidas por qualquer ente público”.

As denúncias podem ser feitas por escrito e entregues na sede da Receita, na Avenida Amélia Amado, nº5, centro de Itabuna. Mais informações pelos telefones: (73) 3214-5600 / 3214-5601.(Por Viviane Cabral/ACI)


Dilma sanciona lei que institui o Programa de Proteção ao Emprego

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff sanciona a lei que institui o Programa de Proteção ao Emprego (PPE), em solenidade no Palácio do Planalto (Valter Campanato/Agência Brasil)

Da Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff sancionou hoje (19), sem vetos, a lei que institui o Programa de Proteção ao Emprego (PPE). O programa prevê a redução temporária da jornada de trabalho, com diminuição de até 30% do salário. Para isso, o governo arcará com 15% da redução salarial, usando recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).
No início de julho, Dilma editou a medida provisória que criou o programa e o Senado aprovou o texto no final de outubro.

Segundo a presidenta, nos quatro meses de vigência da medida provisória foram aprovadas 33 adesões ao PPE, beneficiando 30.368 trabalhadores. Outras 42 solicitações estão em análise envolvendo o emprego de 12.264 trabalhadores. “Agora, a sanção da lei vai permitir que a gente afaste qualquer preocupação com a segurança jurídica do processo, e, portanto, vai permitir que mais empresas possam acessar o programa”.

Dilma ressaltou que o PPE é vantajoso para diversos setores. “Para as empresas, porque, além de rápido [o processo de adesão], podem ajustar sua produção sem abrir mão dos seus trabalhadores; para os trabalhadores porque preserva emprego e a maior parte de rendimentos; para o governo federal, porque, diante da crise, essa é uma medida de proteção ao emprego, e, além disso, é possível que o gasto com o PPE seja menor do que com o seguro-desemprego e ainda preserva a arrecadação das contribuições sociais”, disse.


Empresários debateram iniciativas para o desenvolvimento de Itabuna e região

Ronaldo Abude FOTO VIVIANE CABRAL

A necessidade de desenvolver um ambiente empreendedor em Itabuna foi o tema principal debatido na tradicional Reunião Ordinária da ACI, nesta segunda-feira, 16. O assunto é também um dos principais objetivos traçados pela entidade na construção do seu Planejamento Estratégico, tendo em vista alguns dados apontados pelas seguintes instituições: IBGE, Sefaz e Caged.

Em uma pequena pesquisa realizada pela classe empresarial, verificou que, de acordo com dados do IBGE de 2015, a cidade de Itabuna está em 5º lugar como a cidade mais populosa da Bahia, com 219 mil habitantes. Porém, quando é comparada com outras cidades, no que diz respeito a sua evolução, desde 1991, mostra que o crescimento populacional não acompanhou o ritmo de outras cidades do interior.

No parâmetro de arrecadação, a Secretaria da Fazenda da Bahia apontou que, em 15 anos Itabuna saiu de 7º maior gerador de ICMS e passou a ser o 9º, com R$ 128 milhões arrecadados no período de janeiro a setembro deste ano. Esse valor é o menor registrado desde 2010, quando a cidade arrecadou R$ 161 milhões.

No que diz respeito a empregos em Itabuna, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged registrou um déficit de 1.653 postos de trabalho na comparação de janeiro de 2015 (42.201) e 30 de setembro de 2015 (40.548). Nesse período o comércio local sofreu uma queda de 509 postos de trabalho, contra 140 em 2014.

De acordo com o presidente da ACI Ronaldo Abude, os dados classificam a cidade de Itabuna como um cenário bastante desfavorável para atração de investimentos estruturantes. “No entanto, nós temos que insistir e persistir na busca de um ambiente empreendedor para nossa cidade. Se não tivermos um ambiente favorável será difícil desenvolver parcerias eficazes”, destacou.(Por Viviane Cabral)


Presidenta pede união do Brics para redução dos riscos da economia global

984977-15112015-br0v9952-editarDa Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff defendeu hoje (16) o compromisso do grupo do Brics, que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, a trabalhar pela redução dos riscos “que a economia global continua a enfrentar”. O encontro dos líderes do bloco antecedeu o início da décima Cúpula do G20, que reúne as 20 principais economias avançadas e emergentes do mundo e vai até amanhã (16).

A presidenta ressaltou que, no âmbito do G20, o Brics deve trabalhar para que os países priorizem os investimentos em infraestrutura, a redução da volatilidade dos mercados globais, a necessidade de reforma das instituições financeiras e o combate à pobreza e às desigualdades como temas importante para os países em desenvolvimento.

Dilma destacou que o grupo do Brics teve resultados “muito expressivos” em 2015 com a concretização do Novo Banco de Desenvolvimento e do Arranjo Contingente de Reservas, que, segundo ela, deve impulsionar a ampliação da agenda de cooperação e a consolidação da parceria econômica do bloco.

A presidenta ressaltou ainda que o Brics “continuará a ser uma força positiva para a retomada do crescimento global nos próximos anos” e reiterou o empenho de tornar realidade os compromissos da reforma do Fundo Monetário Internacional (FMI), assumidos em 2010, “em prol de uma governança econômico-financeira global mais equilibrada e representativa, com maior participação dos países emergentes e em desenvolvimento”.


Curso de projetos será realizado na UESC

Curso_-_ASSESBASerá realizado  no dia  27 de novembro, e nos dias 04 e 18  de dezembro de 2015 das 18h às 22h,  o  curso sobre  “Elaboração e Análise de Projetos” na UESC.  A  atividade é uma  iniciativa da Associação dos Economistas do Sul da Bahia   (ASSESBA) na  parceria entre  o Programa de Apoio aos Egressos de Economia da UESC (PAECE), e o Escritório de Projetos e Consultorias Econômicas (EPEC).

O curso  está  organizado a partir de um projeto de extensão continuada vinculado ao Departamento de Ciências Econômicas da Universidade Estadual de Santa Cruz.

As inscrições pode ser ser feita até o próximo dia 27/11  no site do Portal PAECE ( veja aqui).   A clientela assim como a programação e os requisitos de quem  pode pleitear uma  das 25 vagas disponível gratuitamente, pode ser conferido  aqui.


Prazo de pagamento do eSocial é prorrogado até o dia 30

A presidenta Dilma Rousseff assinou uma portaria interministerial, que será publicada amanhã (5) no Diário Oficial da União, prorrogando até o último dia útil deste mês (30) o prazo de pagamento do eSocial. O prazo venceria na próxima sexta-feira (6).

Os problemas na emissão da guia de recolhimento dos encargos dos trabalhadores domésticos, no site do eSocial, levaram o governo federal a adotar a medida.

Desde o dia 1º de novembro, quando a guia de recolhimento ficou disponível, o sistema vem apresentando erros e lentidão, causando dificuldades para o pagamento dos tributos dentro do prazo.

Leia mais na Agência Brasil.


Receita adia para novembro liberação de guia única do Simples Doméstico

lei-domesticaSomente a partir de 1º de novembro, os patrões poderão ter acesso à guia única para recolhimento dos novos benefícios para empregados domésticos. A Receita Federal adiou a liberação do documento, que estaria disponível a partir de segunda-feira (26) no site do eSocial.

De acordo com o Fisco, a mudança foi necessária para evitar que o empregador recolha a contribuição do mês inteiro sem saber se o empregado trabalhará de fato até o fim do período. A Receita esclareceu ainda que apenas a data de liberação da guia foi adiada. Os patrões continuarão a ser obrigados a fazer o pagamento até 6 de novembro caso não queiram ser multados.

Para gerar a nova guia, é necessário que o empregador registre seus dados e do trabalhador doméstico no site do eSocial. Para funcionários contratados até setembro deste ano, os formulários eletrônicos devem ser preenchidos até o próximo dia 31. Os empregados contratados a partir de outubro devem ser cadastrados até um dia antes de começarem a trabalhar.

Por meio da nova guia, o patrão recolhe, num documento único, a contribuição previdenciária, que varia de 8% a 11% da remuneração do trabalhador e pague 8% de contribuição patronal para a Previdência. A guia também inclui 8% de Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), 0,8% de seguro contra acidentes de trabalho, 3,2% de indenização compensatória (multa do FGTS) e Imposto de Renda para quem recebe acima da faixa de isenção (R$ 1.903,98).(da Agência Brasil)


De janeiro a outubro de 2015, prévia da inflação oficial chega a 8,49%

Da Agência Brasil

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) chegou a 8,49% no período de janeiro a outubro de 2015, informou hoje (21) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2014, o índice correspondente ao mesmo período ficou em 5,23%. O índice deste ano foi o mais elevado acumulado de janeiro a outubro desde 2003, quando alcançou 9,17%.

O IPCA-15 é uma prévia da inflação oficial do país, baseada no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A coleta de dados do IPCA-15 ocorreu no período de 15 de setembro a 14 do mês de outubro.

O IPCA-15 teve variação de 0,66% em outubro e ficou 0,27 ponto percentual acima da taxa de setembro (0,39%). Esse foi o índice mais elevado para um mês de outubro desde 2002 (0,90%). Quanto aos últimos 12 meses (9,77%), a taxa acumulada ficou não somente acima dos 12 meses imediatamente anteriores (9,57%) como foi a mais elevada desde dezembro de 2003 (9,86%). Em outubro de 2014 o IPCA-15 chegou a 0,48%.

O índice do mês foi influenciado pelos três grupos que mais pesam no orçamento das famílias: habitação, com alta de 1,15%, transportes (0,80%) e alimentação e bebidas (0,62%). Os índices somados foram responsáveis por 72,73% do resultado do IPCA-15 de outubro.

Individualmente, o impacto mais elevado foi exercido pelo item botijão de gás, do grupo habitação (1,15%). Os preços desse item aumentaram 10,22% em outubro, depois de subirem 5,34% em setembro, acumulando 16,11% nestes dois meses. Este foi o reflexo, nos pontos de distribuição ao consumidor, do reajuste de 15% nas refinarias autorizado pela Petrobras, com vigência a partir de 1º de setembro.

Nos transportes (0,80%), o principal destaque ficou com a gasolina, 1,70% mais cara, refletindo, nas bombas, parte do reajuste de 6% nas refinarias autorizado pela Petrobras, com vigência a partir de 30 de setembro. Além disso, o etanol subiu 4,83% nas bombas, contribuindo também para a alta da gasolina, já que faz parte de sua composição.


Preço de frutas e hortaliças caiu em setembro, diz Conab

TomatesOs produtos hortifrutigranjeiros que mais caíram de preços nas centrais de abastecimento (Ceasas) no mês passado foram tomate, cebola e melancia, informa boletim divulgado hoje (19), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). O preço da cebola chegou a cair 49% em São Paulo, enquanto o do tomate e da melancia teve queda de 26,9% e 20,7%, respectivamente, em Belo Horizonte.

O levantamento da Conab tomou por base os preços praticados nas Ceasas de Vitória, Belo Horizonte, do Rio de Janeiro, de Curitiba, Campinas (SP) e na Ceagesp de São Paulo. Nos próximos boletins, poderão ser incluídas também as centrais de Goiânia, do Recife, de Fortaleza e Rio Branco.

As hortaliças selecionadas nesse levantamento foram alface, tomate, batata, cebola e cenoura. A queda do preço do tomate foi foi registrada também nas Ceasas de Vitória (23%), do Rio de Janeiro (22,9%), de São Paulo (19,3%), Campinas (17,5%) e Curitiba (14,1%). Segundo o boletim da Conab, a tendência de queda deve continuar neste mês, mas de forma menos intensa.

A causa da queda de preços foi a redução do clima favorável para produção, aliada à diminuição do consumo. De acordo com a Conab. o movimento de baixa nos preços é característico desta a época do ano. Com preço mais baixo, o tomate deixou de ser o vilão de seu grupo na composição do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O preço da cebola também caiu: 49% em São Paulo e 39,4% em Curitiba. A cenoura ficou mais barata em todas as centrais de abastecimento, com exceção do do Rio de Janeiro, onde teve alta de 1%.(Agência Brasil)