Capoeira para criança e adolescente em vulnerabilidade é tema de roda de conversa na UESC

“Capoeira Angola para o desenvolvimento comunitário e social para criança e adolescente em vulnerabilidade” é o título da roda de conversa que será promovida pelo núcleo de Estudos Afro-Baianos Regionais (Kawé), da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), nesta quarta-feira (2), com Edielson Miranda o “Mestre Roxinho”.

A Roda de conversa será realizada na Sala de Multimeios (2203) do curso de Comunicação, no Pavilhão Adonias Filho, da UESC.

Edielson Miranda “Mestre Roxinho” é capoeirista há 38 anos, formado em Desenvolvimento Comunitário (Community Work Development), Tafe Sydney Austrália. Atualmente cursando bacharelado em Desenvolvimento Humano e Comunitário (Community Service and Human Welfare), Charles Sturt University) Wagga, Austrália.

Há 20 anos o Mestre Roxinho está trabalhando com Capoeira Angola como instrumento social e educativo, no Brasil e no exterior.Ele é o fundador do projeto Bantu, em Salvador.


Rui lança projeto Escolas Culturais em Itabuna nesta quinta-feira

O governador Rui Costa lança nesta quinta-feira (27), em Itabuna, o projeto Escolas Culturais, que integra o programa Educar para Transformar e tem como objetivo promover o protagonismo estudantil. O ato está previsto para as 16h, no Colégio Modelo Luís Eduardo Magalhães.

Além de promover os estudantes, o projeto reconhece e requalifica a escola como um espaço de circulação e produção da diversidade cultural do Território de Identidade onde está inserida.

O lançamento terá a participação dos secretários de Cultura, Jorge Portugal; da Educação, Walter Pinheiro; e de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Carlos Martins; além de alunos da rede estadual de ensino de Itabuna e de grupos culturais da região.


Etapa do FAEG-Sul foi realizada em Almadina

A população de Almadina acolheu com alegria o projeto itinerante do Fórum de Agentes, Empreendedores e Gestores Culturais do Território Litoral Sul (FAEG-Sul), no dia 13 de julho. Apresentações artísticas intercaladas com palestras e oficinas transformaram a Escola Municipal Pouso Alegre em espaço para a valorização da cultura local e interação entre agentes culturais da região.

O projeto teve participações do Reisado Cristo Rei, Associação de Capoeira Filhos de Zambiacongo, Grupo de Dança Origem, Quadrilha Sertaneja Pouso Alegre, dupla Joice e Raissa e músicos Ribeiro e Roberto, além de exposição de artesanato com Alcimar Barros, Marcia Natividade, Fabiana do Bolo, Sirlandia Dias e Jocelma.

Contou com apoio da Prefeitura de Almadina, por meio da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esporte e Departamento de Cultura. O evento contou com representantes de Itabuna, Ilhéus, Itajuípe, Uruçuca (Serra Grande), Coaraci, Ubaitaba e Canavieiras.

Na solenidade de abertura, o secretário de Administração, Tarcísio Cardoso, falou em nome do prefeito Milton Cerqueira, que acompanhava o governador Rui Costa em agenda regional. Ele enfatizou o compromisso do governo municipal com a cultura, parabenizou a inciativa do FAEG-Sul e enfatizou a riqueza cultural de Almadina.

O secretário de Governo, Hamurabe Flores, além de reforçar o apoio da prefeitura ao projeto, declamou poesia e distribuiu suas publicações de cordel. O gestor cultural Pawlo Cidade conduziu oficina sobre leis e diretrizes necessárias à implantação dos sistemas municipais de cultura, ferramenta indispensável ao fortalecimento do setor, com ênfase para a implantações dos planos municipais de cultura.


I Mostra de Cinema da UESC começa terça-feira

A I Mostra de Cinema da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) promovida pelo Departamento de Letras e Artes (DLA), será realizada a partir de terça-feira (9) com á encerramento na quinta-feira (11). O evento, para o qual estão sendo convidadas a comunidade acadêmica e a sociedade interessada, reúne cineastas produtores culturais, professores, pesquisadores e alunos para refletir sobre os rumos do cinema contemporâneo que está sendo produzido na Bahia, nos dias atuais.

Dentre as reflexões propostas estão as limitações à produção cinematográfica na Bahia e as alternativas à circulação em um mercado dominado pelo produto estrangeiro, bem como, em tempos de crise, como realizar filmes ante a precariedade das políticas públicas e a fragilidade da atuação da ANCINE, para dinamizar a cadeia produtiva da indústria cinematográfica nas etapas de produção, infraestrutura, distribuição e exibição de filmes no Brasil?

Também, questões sobre o cenário atual da indústria de entretenimento audiovisual em que a Netflix se converte, de ofertadora de streaming, em produtora de conteúdo no Brasil. Essas e muitas outras questões vão orientar as reflexões, debates e atividades que fazem parte da I Mostra de Cinema da UESC.

A programação terá inicio às 9 horas de terça-feira (9), na sala 2203, do Pavilhão Adonias Filho, com a oficina ministrada por José Araripe Jr, Pequenos formatos, grandes janelas: Teoria e prática de pequenos filmes. A mesa de abertura está prevista para 16h30min, no Auditório Paulo Souto e a exibição do curta “O passeio de bicicleta” e do filme “A finada mãe da madame” ambos de Bernard Attal.

Em seguida a mesa redonda abordando a “Produção cinematográfica na Bahia: desafios e perspectivas”, com José Araripe Jr., Bernard Attal, Edson Bastos e Henrique Filho. A mediação é do professor Fernando de Oliveira (UESC).


FICC e UESC promovem projeto “A Leitura vai à Praça”

ficc_criancasO projeto “A Leitura vai à Praça” do Proler (Programa Nacional de Incentivo à Leitura) da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), realizado na tarde de terça-feira (26) na Praça Camacã, em Itabuna, foi um sucesso.

Em parceria com o projeto “Letras que Voam” da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), o evento, que oportuniza para a população diversas experiências com a literatura, recebeu alunos da LBV (Legião da Boa Vontade) e curiosos que passavam pela praça.

A ação envolveu espaços de leitura, denominados Cantinho de Leitura (stand Projeto Letras que Voam/FICC) e Um lugar para Ler (EDITUS- Editora da UESC), onde os alunos tiveram acesso a livros bibliográficos de literatura infantil e infanto-juvenil; contação de histórias, com a participação da gestora cultural, Miriam Oliveira; pintura facial, com a profª Letícia Leal; oficinas do Proler; além de apresentações musicais com o Instituto de Flauta profº Carlos Oliveira e o cantor Jan Costa.

Segundo a coordenadora do Proler/Uesc, Glória de Fátima, o objetivo do projeto “é popularizar o livro e a leitura para crianças e todos aqueles que se interessam direta e indiretamente com as atividades leitoras”. Fátima ressaltou a importância da leitura como uma forma de construir e reconstruir pensamentos, “além de impressões e ideias”.


Itajuipe promove o Micra Pedro Cultural

unnamed (2)O Prefeito de Itajuípe, Marcone Amaral, confirmou nesta quarta-feira (26) que Itajuípe realizará o Mica Pedro Cultural, em parceria com o governo do estado. Em visita ao Deputado Rosemberg Pinto, o prefeito Marcone Amaral entregou o projeto do Mica Pedro, recebendo o apoio para a realização da festa.

A notícia, recebida em Itajuípe com muita alegria, traz a esperança do aquecimento da economia local, do estímulo ao comércio e das atividades que giram em torno de uma festa como o Mica Pedro. Para o prefeito, “entreguei em suas mãos o projeto para resgatar o nosso Mica Pedro. O resgate cultural e o aquecimento da nossa economia será de extrema importância”, afirmou.


Projeto “A Leitura vai à Praça” acontece dia 26 de abril

O projeto “A Leitura vai à Praça” do Proler (Programa Nacional de Incentivo à Leitura) da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), em parceria com o projeto “Letras que Voam” da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), acontece nesta quarta-feira (26), a partir das 14h, na praça Otávio Mangabeira, em Itabuna. O projeto tem o objetivo de incentivar e proporcionar a população diversas experiências com a literatura, através da promoção de um espaço sociocultural.

Com o tema “Leitura, literatura e infância: tarde lúdica com livros e outras linguagens”, o evento contará com espaços de leituras; oficinas realizadas pelo grupo Proler; tapete de histórias, com a professora Mirian Oliveira – Especialista em Gestão Cultural (UESC); e pintura facial, com a professora Letícia Leal – Arte-educadora (FICC); além de apresentações musicais com o Instituto de Flauta Professor Carlos Oliveira e do cantor Jan Costa.

Segundo a coordenadora do projeto “Letras que Voam” da FICC, Genny Xavier, o público alvo são alunos da escola-creche da LBV, grupos atendidos por assistência social, frequentadores de praças públicas e todos os interessados em leitura. Genny ressaltou que “’A Leitura vai à Praça’ irá oportunizar trocas de experiências enriquecedoras à todos os que participarem”.


Abertas inscrições para curso de comidas ancestrais em Itacaré

gastronomicoComo parte do Projeto Gastronômico Internacional do Governo do Estado da Bahia, a Prefeitura de Itacaré, através da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Cultura, estará realizando no período de 28 a 30 de março o curso de cozinha ancestral, no Centro Cultural Tribo do Porto, no Porto de Trás. As inscrições já estão abertas e devem ser feitas no próprio local onde acontecerá o curso. Trata-se de um curso prático que será ministrado das 8 às 12 horas, que oferecerá certificado na arte de cozinhar.

De acordo com o secretário de Juventude, Esporte e Cultura, Diego Augusto, o projeto consiste em capacitar de 25 a 30 pessoas na prática culinária de comidas ancestrais, como mungunzá, sarapatel, xinxim, feijoada, rabada, farofa d’água, efó, roupa velha, quiabada, moqueca de ovo, galinha de molho pardo, ou seja, comidas de senzala. “A proposta é mostrar como o negro, com tão poucos recursos, faziam pratos tão saborosos “, explica.

O prefeito de Itacaré, Antônio de Anízio, salientou que esse é um projeto internacional apresentado nos Estados Unidos e que agora segue para o interior da Bahia. “A ideia é capacitar cada vez mais o nosso povo para que possam aproveitar melhor os alimentos e continuar fazendo comidas saborosas, atraindo mais clientes e aumentando ainda mais as suas rendas”, complementou o prefeito.

A realização do curso é da Associação Civil Filhos de Bárbara, com o apoio da Prefeitura de Itacaré, Sindicato Intermunicipal de Hospedagem, e Alimentação de Cairu, Itacaré e Valença, Fundo de Cultura e Governo do Estado da Bahia, através das secretarias estaduais da Fazenda e de Cultura.


Reunião itinerante do FAEG-Sul será realizada em Itapé

itapItapé receberá a primeira etapa do projeto de integração cultural do Fórum de Agentes, Empreendedores e Gestores Culturais do Território Litoral Sul (FAEG-Sul), no próximo dia 9 de março. A programação começa com encontro entre os membros do fórum e comunidade, às 9 horas, no Clube da Melhor Idade, seguido de palestra sobre empreendedorismo cultural e mostra cultural. Das 13 às 16 horas, acontecem as oficinas de Contação de Histórias, ministrada pela psicopedagoga Mírian Oliveira, no mesmo clube, e de Sistema Municipal de Cultura, dirigida pelo especialista em Gestão Cultural, Pawlo Cidade, na Câmara Municipal. As inscrições para as oficinas estão abertas até 7 de março, na internet, pelo endereçohttp://faegsulba.blogspot.com.br/p/inscricao-oficinas.html

O Projeto FAEG-Sul Itinerante contempla dez municípios do Território Litoral Sul e se estende até dezembro de 2017. A programação inclui oficinas de Literatura de Cordel, Contação de Histórias, Teatro, Música, Audiovisual e de Elaboração de Projetos, além de Roda de Conversa sobre Cidadania Cultural e palestras sobre Sistema Municipal de Cultura, Gestão Cultural e Patrimônio. No decorrer da programação, será realizado também um diagnóstico cultural, para aprofundar e sistematizar os potenciais de cada município, cujo conteúdo final será disponibilizado na internet.

O presidente do FAEG-Sul, Victor Aziz, explica que “o projeto itinerante pretende, por meio das reuniões, compartilhar conhecimentos sobre empreendedorismo, economia criativa e o trabalho em rede, entre os agentes culturais, empreendedores, gestores e todos que fazem cultura nos 26 municípios do Território Litoral Sul.” A proponente do projeto, atriz e produtora cultural, Eva Lima, destaca sua importância e abrangência para os artistas da região. “É com honra e alegria que avançamos no formato iniciado em 2009 com a criação do fórum, até então tocado com recursos próprios e agora contemplado por edital do Governo da Bahia. Tenho certeza de que contribuirá para a melhoria das práticas culturais no território” enfatiza.

O projeto é financiado pelo Governo do Estado, (Edital Nº 24/Territórios Culturais), por meio do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia. Com apoio institucional da Prefeitura Municipal de Itapé, Secretaria Municipal de Educação e Diretoria de Cultura, da Associação dos Municípios da Região Cacaueira – Amurc e da Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Estadual de Santa Cruz – Proex/Uesc.