Mulheres que fazem cinema querem ampliar participação feminina no audiovisual

A primeira edição do Festival Internacional de Cinema de Realizadoras (Fincar) vai até sábado e ocorre no histórico Cinema São Luiz, no Paço do Frevo, e na sede da Aliança FrancesaMulheres que fazem cinema – diretoras, roteiristas, produtoras e montadoras – discutem, no Recife, o que vem sendo feito por elas e os caminhos para ampliar a participação feminina no audiovisual. Esse é o objetivo do Festival Internacional de Cinema de Realizadoras (Fincar), aberto ontem (6) à noite.

O evento vai até sábado (9) no histórico Cinema São Luiz, no Paço do Frevo, e na sede da Aliança Francesa. O festival, que está em sua primeira edição, mostra a diversidade do audiovisual produzido por mulheres. A curadoria selecionou 30 obras de 19 países, entre curtas, médias e longas-metragens. Há ficção e documentário, estéticas e temas amplos. No primeiro dia do festival foram exibidas produções com protagonistas femininas variadas.

The Arcadian Girl (Canadá), de Gabirelle Provost, retrata uma garota que vende algodão doce; The Internacional (Argentina), de Tatiana Mazú, mostra a irmã da cineasta em sua militância política e no relacionamento com a família. Já Outside (Brasil), de Letícia Bina, dá voz a uma ex-presidiária; e Kbela (Brasil), de Yasmin Thayná, usa uma narrativa repleta de simbolismos para contar o processo de libertação do cabelo crespo.(Agência Brasil)


Projeto cineclube desenvolve atividades nas escolas

Exibição de filme no Colégio Modelo Luis Eduardo Magalhães em Itabuna(Foto Cláudio Lyrio)

O Projeto Rede Cineclubista nas Escolas tem por objetivo criar a rede cineclubista nas escolas públicas da Bahia, através da implantação de 54 novos cineclubes e da realização de mostra audiovisual nas escolas.

A expectativa é que o projeto estimule a produção audiovisual e contribua para a formação de público interessado em cinema e audiovisual.

As equipes da Rede Cineclubista, formadas por profissionais do campo educacional e audiovisual, estão atuando nos territórios de identidade, efetivando espaços de projeção para exibições e debates de filmes que irão ocorrer durante todo o ano letivo de 2016, incluindo a Mostra Audiovisual dos filmes dos próprios estudantes, apresentando a importância da ferramenta do cinema para o aprendizado transdisciplinar.

No território Litoral Sul o projeto está acontecendo nos municípios de Itabuna no Colégio Modelo Luiz Eduardo Magalhães através do Cineclube Mocamba, no IMEAM e no ACM através do Cineclube Burundanba, na escola Florestan Fernandes no Assentamento Terra Vista em Arataca com apoio do Cineclube Cabaça, e ainda em duas escolas públicas de Ilhéus através do Cineclube Dilazenze e também em Serra Grande/Uruçuca através de Cineclube Mocamba.

O Projeto Rede Cineclubista nas Escolas é uma realização da OCA – Centro de Agroecologia e Educação da Mata Atlântica, em parceria com a União de Cineclubes da Bahia, Conselho Nacional de Cineclubes, Federação Internacional de Cineclubes, Secretaria do Audiovisual / MINC, TVE, 107,5 FM Educadora, Universidade Estadual de Santa Cruz, Laboratório Audiovisual / LabAV, CESOL e CINEarts.

O projeto conta com apoio financeiro do Fundo de Cultura da Bahia, mecanismo de fomento gerido pelas secretarias de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) e da Fazenda (Sefaz).


‘Spotlight’ leva o prêmio de melhor filme do Oscar 2016

A 88ª. edição do Oscar terminou como se fosse um grande filme de mistério: de forma surpreendente, distribuindo um pouco entre todos.

Spotlight – Segredos Revelados levou o prêmio principal da noite, o de melhor filme; O Regresso colocou o auditório em pé e ficou com alguns dos principais troféus, incluídos o de melhor diretor, para Alejandro González Iñárritu, e melhor ator, para Leonardo DiCaprio; e Mad Max: Estrada da Fúria ganhou por pontos, em seis categorias.

“O Oscar mais resmungão”, como descreveu o apresentador Chris Rock após passar a cerimônia toda disparando contra a falta de diversidade em Hollywood, acabou sendo o mais diversificado, ao menos quanto à lista de ganhadores.

O urso de O Regresso não teve sossego, e o filme, que havia chegado ao Oscar como favorito, com 12 indicações, levou apenas três categorias. El Negro, como é conhecido Iñárritu entre seus amigos, ficou com o prêmio de melhor diretor pelo segundo ano consecutivo, o que o coloca na companhia de cineastas como John Ford e Joseph L. Mankiewicz. Ele é também o terceiro mexicano consecutivo a levar o prêmio. Como observaram as redes sociais, o Oscar não só é branco demais como também é hispânico demais.

Leia mais no El Pais.


Oscar 2016 acontece neste domingo

'A grande aposta', 'O regresso', 'Brooklin', 'Mad Max', 'Perdido em Marte', 'Ponte de espiões', 'O quarto de Jack' e 'Spotlight' concorrem ao Oscar de melhor filme (Foto: Montagem G1)

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood anuncia na noite deste domingo (28) os vencedores do Oscar 2016.

A festa acontece no Dolby Theater, em Los Angeles, nos EUA. A cerimônia será apresentada pelo comediante Chris Rock, com início às 22h30. O Oscar 2016 será transmitido pela TV Globo, depois do Big Brother Brasil.

“O regresso” e “A grande aposta” são os mais bem cotados para o prêmio principal, de melhor filme. Os sinais são divididos: enquanto “A grande aposta”, filme sobre a crise financeira americana de 2008, foi o escolhido do sindicato dos produtores – que não “erra” desde 2006 -, “O regresso” levou o Globo de Ouro e o Bafta.(G1)