Agricultura familiar da Bahia mostra qualidade de produtos no Mesa São Paulo

AMesa SP (2) agricultura familiar da Bahia mais uma vez marca presença no Mesa São Paulo, o evento de gastronomia mais importante da América Latina, com produtos derivados de licuri, umbu, maracujá do mato, castanha, nibs de chocolate e café, que serão apresentados por cooperativas baianas de 24 a 27 de outubro, no Memorial da América Latina, na capital paulista.

A ação é uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), no âmbito do projeto Bahia Produtiva, que conta com empréstimo do Banco Mundial, visando promover mais espaços de comercialização dos seus produtos das cooperativas.

Neste ano, o Mesa será uma plataforma de lançamento do Terra Madre 2020, que será realizado em junho, em Salvador, pelo Slow Food Brasil, em parceria com a CAR. O evento, que reúne comunidades do alimento, de acadêmicos, cozinheiros e toda a comunidade do Slow Food, acontece a cada dois anos na Itália e terá uma edição especial voltada unicamente para o Brasil.


Associação Santa Izabel realiza diagnóstico de produção com técnico do CDS-LS

tecnicos-do-cds-ls-na-associacao-vila-izabelNa manhã desta terça-feira, 15, os membros da Associação Comunitária da Vila de Santa Izabel, localizada em Ibicaraí, realizaram o Diagnóstico de Produção com o apoio dos técnicos do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável (CDS-LS) que integram o Projeto de Apoio à Rede de Associações Rurais.

A análise sobre a produção da localidade determina as condições atuais dos agricultores e seus processos produtivos. Foram realizadas análises específicas sobre produtos, tais como a produção em destaque, sistemas de produção, volume de produção entre outros aspectos até a chegada da comercialização.

O processo procurou analisar a propriedade em seus aspectos gerais, a partir da percepção dos 40 agricultores e membros da associação têm a respeito de suas condições de vida no meio rural.

Para o coordenador do projeto, Raimundo José Nascimento, essa nova etapa das atividades visa coletar as informações necessárias para o andamento das ações. “Além das informações sobre a produção, o diagnóstico identificou a composição administrativa e do conselho da associação, o quadro e a classificação social, os serviços prestados na comunidade, produção, a caracterização de saneamentos no local, infraestrutura e as políticas públicas que foi beneficiada”, exemplificou.

As atividades são realizado através do convênio entre a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) o Consórcio de Desenvolvimento Sustentável Litoral Sul (CDS-LS) e o Instituto Chocolate.


Audiência discute a política nacional do cacau e o papel da Ceplac, nesta terça, em Brasília

ceplacO presidente da Associação dos Municípios da Região Cacaueira – Amurc, Aurelino Cunha, juntamente com deputados e senadores baianos, representantes do Sul da Bahia e de outros estados produtores de cacau, participam de uma Audiência Pública do Cacau nesta terça-feira (15), no Senado Federal, para defender o decreto que cria a Política Nacional do Cacau, com base no projeto de lei PL 4.107/2019, de autoria do senador Ângelo Coronel.

Além disso, serão apresentadas as 10 medidas sugestivas para o desenvolvimento da região e proteção da cacauicultura em relação as doenças. A proposta foi entregue no início do mês à Ministra da Agricultura, Teresa Cristina, e destaca a necessidade de investimentos científico, técnico e financeiro da lavoura do cacau, com fomento financeiro aos cacauicultores, que resulte no aumento significativo da produção por hectare, com a possibilidade de 250 arrobas por hectare.

O encontro acontece a partir das 9h, no Plenário 7, Ala Alexandre Costa, Anexo II, no Senado Federal.


Consórcio Litoral Sul orienta sobre regulação da DAP

Técnicos do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável Território Litoral Sul (CDS-LS) que integram o Projeto de Apoio à Rede de Associações Rurais realizaram orientação na Associação de Integração e Desenvolvimento da Agricultura Familiar do Meio Rural, localizada em Itajuípe, sobre a importância da regulação da Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP), documento de identificação que pode ser obtido pelo agricultor ou agricultora familiar para acesso a linhas de crédito e políticas públicas.

A iniciativa faz parte do cronograma de atividades de assistência técnica para 30 associações do território litoral sul, e direciona os associados com o propósito de garantir emissão da DAP, para os que não tiverem, e a regulação para que sejam seguidos todos os critérios definidos pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e beneficie o agricultor que realmente tenha direito à Declaração.

(mais…)


Chocolate da Bahia é premiado em São Paulo durante congresso

Chocolate da Bahia é premiado em São Paulo durante congresso nacional para mulheresO chocolate da marca Natucoa, com teor de 70% cacau, produzido pela Cooperativa de Serviços Sustentáveis da Bahia (Coopessba), foi um dos premiados no Prêmio Brasil Artesanal 2019 Chocolate, realizado durante o 4º Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio, que acontece, até esta quarta-feira (09), em São Paulo, com o tema AGIR – Ação Global: Integração de Rede. A iniciativa é da Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA).

Foram premiados chocolates artesanais fabricados por mulheres, a partir de amêndoas de cacau produzidas na Bahia. O chocolate da Natucoa ficou em 3º lugar, entre os cinco premiados, incluindo chocolates produzidos em São Paulo (1º colocado), Bahia (2º e 3º), Minas Gerais (4º) e Bahia (5º colocado). O prêmio integra o Programa de Alimentos Artesanais e Tradicionais do Sistema do CNA e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e tem o objetivo de valorizar os chocolates artesanais produzidos por mulheres.

(mais…)


Visita de campo dos representantes da Cargill ao projeto “Construindo o Amanhã”.

 

Idealizado pela Cooperativa de Desenvolvimento Territorial (COOPERAST) e apoiado pela Fundação Cargill, o projeto impactará diretamente 20 famílias, gerando mais empregos e renda às famílias  do Litoral Sul da Bahia (municípios de Buerarema, Una e Uruçuca).

Com o projeto, a cooperativa mostrará às instituições e agricultores que é possível plantar, cultivar diferentes culturas ao longo do ano e ainda sim, conservar a Mata Atlântica. A ideia é que, através do Sistema Agroflorestal (SAF), todos possam cultivar Seringueira, Cacau, Goiaba, Açaí, Milho, Feijão de corda, Abóbora, Feijão de porco, Aipim, Quiabo, Banana e Gengibre, sempre preservando o solo, animais silvestres e a flora. A cooperativa ainda pretende unir esse ponto à questão do empoderamento feminino e a importância do jovem na agricultura.

SISTEMA AGROFLORESTAL (SAF)

Segundo Maicon Silva de Oliveira, Engenheiro Agrônomo do Projeto “Construindo o Amanhã”, o SAF pode ser explicado como sendo a integração de árvores em paisagens rurais produtivas.

A implementação desses sistemas agroflorestais se dá através do plantio de culturas agrícolas adaptadas, sob a sombra de árvores da Mata Atlântica. “O agricultor introduz espécies agrícolas em áreas onde já têm espécies nativas, aproveitando as clareiras para plantar culturas de ciclo curto e médio, a exemplo das hortaliças e anuais, gerando uma renda mais rápida, enquanto a cultura agrícola principal aguarda a chegada da produção” finaliza Maicon.

A IDEALIZAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO

De acordo com a COOPERAST, o projeto funcionará em forma de parceria e foi idealizado com base nas atividades que a cooperativa já realiza na região desde 2005.  O projeto terá prazo de um ano para a montagem do sistema.

“Entramos com a assistência técnica e insumos, e os agricultores com a área e a mão de obra. O projeto tem o prazo de um ano para a montagem do sistema agroflorestal. Nesse período o agricultor poderá plantar cacau, seringueiras, algumas árvores frutíferas, adubo verde e culturas anuais. Queremos mostrar ao agricultor que ele pode ter renda com culturas de ciclo curto, médio e longo prazo, evitando projetos de monoculturas onde o mesmo tem que custear até a cultura principal”, explica Walter Lima de Sousa, Engenheiro Ambiental e Coordenador de Assistência Técnica do projeto.

Sousa complementa falando que o SAF já é utilizado na região, por isso optaram por essa estratégia. Esse sistema é o ponto central da iniciativa, no âmbito da metodologia utilizada, e permitirá ao agricultor introduzir outras espécies nas áreas de plantação.

Será um formato que, além de garantir uma alimentação sustentável para essas famílias, trará constantemente renda e trabalho, uma vez que o agricultor poderá aproveitar o período de pausa para plantar outras culturas e assim, gerar mais renda, enquanto aguarda o período de plantio de sua cultura principal.

A PARCERIA

Esse é o primeiro projeto originado da parceria Cooperast e Fundação Cargill. A parceria surgiu por meio do Edital Fundação Cargill 2019 e atualmente o projeto encontra-se em fase de balizamento das áreas para o início do plantio.

COOPERAST

Fundada em 2005, a Cooperativa de Desenvolvimento Territorial – COOPERAST surgiu através da necessidade do desenvolvimento de um trabalho diferenciado baseado em organização social e sustentabilidade na região de Itabuna, Bahia.

Seu principal objetivo é estimular e apoiar as iniciativas de desenvolvimento sustentável, fortalecendo a agricultura familiar através dos princípios Agroecológicos, com a prestação de serviços em Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER).

 


Ilhéus recebe 1ª feira orgânica na Avenida Soares Lopes

Com o objetivo de contribuir para cidades mais sustentáveis, a Rede de Agroecologia Povos da Mata promoveu na manhã da última sexta-feira (20), a 1ª Feira Orgânica de Ilhéus, na Avenida Soares Lopes, em frente à Tenda Teatro Popular. A iniciativa contou com a participação de expositores de Ilhéus, cidades circunvizinhas e da cidade de Porto Seguro, localizada no Extremo Sul da Bahia.

A proposta dos expositores é promover melhor qualidade de vida e o bem-estar da população em geral. Os visitantes tiveram a oportunidade de descobrir os benefícios extraídos da agricultura, além de degustar e levar para casa produtos feitos artesanalmente, com receitas próprias, a partir de matéria-prima orgânica.

“Hoje a sociedade busca produto limpo, saudável, sem veneno. Estamos aqui para mostrar que temos variedade, que o produto orgânico não é apenas coentro, cebolinha e salsinha. Nossos preços são justos tanto para o agricultor, quanto para o consumidor”, disse José Antonio Marfil, um dos organizadores da Feira.

Para a expositora de Maraú, Marisa Bastos, o alto índice de agrotóxicos nos alimentos tem impulsionado cada vez mais a busca por produtos saudáveis. “Quando consumimos produtos orgânicos com certificado de base agroecológica, estamos fomentando as famílias que estão no campo, a proteção das nascentes, da fauna e da flora”, disse.

Criada há quatro anos, a Rede de Agroecologia Povos da Mata, conta com 700 famílias, destas, 250 são certificadas. Com feiras em Itabuna, Itacaré, Serra Grande e nas Penínsulas, a Rede visualizou em Ilhéus um espaço promissor. “É muito importante todo o conteúdo que está por trás de um produto orgânico”, completou Marisa Bastos.


Empreendimentos da agricultura familiar podem acessar capital de giro

Cooperativas e associações agroindustriais da agricultura familiar da Bahia agora contam com financiamento de capital de giro, disponibilizado pelo Governo do Estado, por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), e da Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia).

Denominada Coopergiro, a linha de crédito vai dar apoio ao cooperativismo no estado, proporcionando a ampliação das operações relacionadas à produção e comercialização de produtos sustentáveis, com prazo de pagamento e taxas competitivas. A linha de crédito é financiada com recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico e Social (Fundese).

De acordo com o coordenador de agroindústrias da CAR, Wanderley Gomes, a linha de crédito Coopergiro surge como uma grande conquista da agricultura familiar: “Com a criação da SDR, foi possível viabilizar o capital de giro para agroindústrias por meio da CAR e Desenbahia. Desta forma, temos um cenário bastante positivo quanto à operacionalização dos créditos que serão acompanhados por meio dos diversos programas de fomento e comercialização da CAR”.

bahia_cacau_semina_bemviver_2013_ssa_24_08_2019A Coopergiro está disponível para as agroindústrias apoiadas por projetos e programas executados pela CAR, que receberam orientações de como acessar a linha de crédito durante a Oficina Alianças Produtivas, que reuniu dirigentes de organizações da agricultura familiar baiana, apoiadas pelo projeto Bahia Produtiva, da SDR/CAR, para debater estratégias conjuntas de acesso a mercado na Região Metropolitana e grandes centros.

Para o Analista de Desenvolvimento da Desenbahia, Moisés Marcos, a CAR vem dando um apoio mais que profissional aos cooperativados: “O nível de gerenciamento aplicado pelo Bahia Produtiva, tendo como alicerce “Alianças Produtivas e estratégia de comercialização de produtos da agriculta familiar”, onde o plano de negócios, que foi muito bem elaborado, trilha sempre pela organização administrativa-financeira e o comprometimento dessas cooperativas, nos mostram que esse crédito será bem empregado. É preponderante que as cooperativas façam a sua parte na administração de seus negócios, porém, com essas diretrizes, ficou visível o sucesso e o progresso delas”.

As orientações para o acesso e as condições de elegibilidade das organizações produtivas que poderão acessar a Coopergiro estão disponíveis no site www.car.ba.gov.br. (fonte: SDR.gov)


SDR e Consórcio Ciapra firmam parceria para potencializar produção de cacau no Baixo Sul

cacau baixo sul (2)Para potencializar a produção de cacau no Território Baixo Sul, a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e o Consórcio dos Municípios do Baixo Sul (Ciapra) estão trabalhando juntos, afim de que 3.000 famílias sejam beneficiadas com serviço de assistência técnica e extensão rural (ATER). O objetivo é elevar a produtividade da lavoura cacaueira, aquecer a economia territorial e propiciar aos agricultores familiares mais empregos, geração de renda e qualidade de vida no campo.

cacau baixo sul (1) Foi aprovado o Plano de Trabalho e ainda este mês será firmado um convênio entre a SDR e o Ciapra, que vai viabilizar a oferta de ATER em 13 municípios que compõem o Consórcio. Na execução do convênio está prevista a aquisição de computadores, veículos, capacitações, oficinas e outras iniciativas que possam alavancar o protagonismo da cadeia do cacau no Baixo Sul.

Jeandro Ribeiro, chefe de gabinete da SDR, explicou que os resultados dessa parceria junto ao Ciapra são promissores, pois a ação vai além da orientação técnica de como cultivar o cacau, ela perpassa pelo cuidado com a base de produção, até o acesso ao mercado: “A Ater promoverá a regularização fundiária por meio do título de terra, regularização ambiental, via Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais (CEFIR), acesso ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) junto ao Banco do Nordeste, ou seja, o hall de ação do convênio agregará valor à produção e fortalecerá o acesso a um conjunto de políticas públicas”.


Feiras Agroecológicas trazem produtos da agricultura familiar para a capital

feira a 1De quinta a sábado, Feiras Agroecológicas montadas com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado (SDR) levam produtos da agricultura familiar baiana para pontos diferentes da capital. Nesta sexta-feira (6), o Salvador Shopping recebeu mais uma edição do evento, que visa dinamizar a comercialização da produção dos pequenos agricultores e estimular hábitos de alimentação saudável entre a população. Também recebem as Feiras Agroecológicas o Museu de Arte Moderna, na Avenida Contorno (quintas); a Praça das Artes, no Campus da Universidade Federal da Bahia (Ufba), em Ondina (sextas); e o largo do bairro da Saúde e o Circo Picolino, na Orla (ambas nos sábados).

A promoção dessas feiras integra a política do governo estadual de incremento e aporte à produção dos agricultores familiares, como destacou o coordenador da Superintendência da Agricultura Familiar da SDR, Ronaldo Souza. “A ação é uma determinação do governador Rui Costa e tem o objetivo de trazer esses produtos do interior para a capital. O governo tem apoiado fazendo a entrega de barracas, equipamentos e dando assistência técnica”, detalhou.

A feirante Noêmia Nepomuceno traz para Salvador o que a mãe produz no pequeno sítio no município de Mata de São João. “Recebemos o apoio do governo estadual e também da Ufba, e é de grande importância que tenhamos uma feira montada em um lugar como o Salvador Shopping, que garante grande acesso de pessoas”, ressaltou.

Nas feiras é possível encontrar hortaliças, verduras, legumes, raízes, frutas, itens in natura e outros tipos de produtos agroecológicos cultivados ou produzidos pelos agricultores familiares do estado.