Bahia disponibiliza guia com orientações para agricultores familiares sobre o novo coronavírus

GuiaPara esclarecer dúvidas e orientar agricultoras e agricultores familiares e consumidores em geral sobre o novo coronavírus, com informações que incluem o que é, grupos de risco, principais sintomas e formas de transmissão, além dos cuidados que devem ser tomados antes, durante e depois da produção e comercialização da produção, a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) elaborou e está disponibilizando um Guia Básico voltado para a Agricultura Familiar.

A produção e comercialização de alimentos estão entre as atividades essenciais previstas para este período de pandemia do coronavírus, e o Governo do Estado vem incentivando a continuidade dessa importante atividade, inclusive com a continuidade de realização de feiras livres, resguardando as determinações e orientações emitidas em decretos municipais e estadual.

No guia você irá encontrar as informações e atitudes sobre as melhores formas de agricultores e agricultoras familiares se protegerem do vírus, os cuidados que devem ter na propriedade, na produção e com a sua família, para que possam continuar produzindo, com segurança, os alimentos saudáveis que chegam às mesas dos baianos. As orientações incluem os cuidados com a higiene, distanciamento entre barracas, disponibilização de álcool em gel, entre outras.

A SDR, por meio de suas unidades, como a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e a Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), continua atuando na orientação aos agricultores familiares, em todos os Territórios de Identidade.

Devido aos decretos municipais e estadual, que limitam a circulação de pessoas entre municípios, o atendimento dos técnicos está sendo realizado por telefone (disponíveis nos sites institucionais da SDR, CAR e Bahiater), por e-mail ou pelas redes sociais, como o WhatsApp. O atendimento presencial é feito nos Serviços Territoriais de Apoio à Agricultura Familiar (Setafs), porém, de forma restrita, somente onde os decretos municipais não restringem o funcionamento dos órgãos públicos.

Confira o conteúdo do Guia Básico Agricultura Familiar contra o Coronavírus – COVID19 – clicando aqui.

 


Encontro da agricultura familiar de Itacaré reuniu centenas de agricultores pela segunda vez

prefeito-de-itacare-e-presidente-do-cds-ls-antonio-de-anizioPor Aline Meira | CDS-LS

Centenas de pequenos agricultores e agricultoras, moradores das mais diversas regiões rurais de Itacaré, participaram no domingo, dia 08, na praça Nativo Vieira, no distrito de Taboquinhas, do II Encontro da Agricultura Familiar, realizado pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Agricultura, Aquicultura e Pesca. Durante o evento, que aconteceu no Dia Internacional da Mulher, não faltaram homenagens, serviços de massagens, maquiagens, sobrancelhas, pintura artística facial, oficinas de torço e várias outras atividades voltadas para as mulheres.

Além disso, foram realizadas palestras, brincadeiras interativas, distribuição de muitos brindes, apresentações culturais como poesias, cantigas, teatro e ainda o show com a banda Trio Tabocas. O prefeito de Itacaré e presidente do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável Território Litoral Sul (CDS-LS), Antônio de Anízio, destacou a importância da agricultura familiar na geração de emprego e renda, na garantia dos produtos de excelente qualidade e no fortalecimento da economia do município.

Resultado de imagem para ii encontro de agricultura familiar de itacaré reuniu centenas de agricultores DE DIVERSAS REGIÕES RURAIS“A agricultura familiar tem sido um dos segmentos econômicos que mais cresce no município, produzindo cada vez mais e melhor. Daí a importância do encontro onde se promoveu não somente o lazer e o entretenimento, mas também foi um momento da troca de experiências e de se mostrar um pouco do muito que tem se produzido na região rural de Itacaré”, expressou o prefeito.

Ainda durante o II Encontro da Agricultura Familiar de Itacaré, o prefeito Antônio de Anízio, o representante da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, o coordenador da Bahiater, Marcos Vinícius Souza, e o secretário executivo do CDS-LS, Luciano Veiga, fizeram a entrega de dois tratores para as associações de pequenos agricultores, numa iniciativa do Governo do Estado da Bahia, através do CDS-LS e Prefeitura Municipal. O primeiro trator foi para a Associação Assentamento Pancada Grande e o segundo para a Associação de Pequenos Agricultores da Marambaia.

Resultado de imagem para ii encontro de agricultura familiar de itacaré reuniu centenas de agricultores DE DIVERSAS REGIÕES RURAISPara Marcos Vinícius Souza, o objetivo é que a nova ferramenta de trabalho garanta o aumento da produção agrícola e promova a diversificação de mais emprego e renda no campo. “Esse é um momento de destaque da agricultura familiar da região, que além de receber esse trator, que terá um papel fundamental para a produção, as associações rurais contam também com assistência técnica desenvolvida com o apoio direto do consórcio do território litoral sul”, disse o coordenador da Bahiater.

Já Luciano Veiga, destacou que o CDS-LS vem realizando muitas ações em benefício da agricultura familiar no território. “A preocupação é que possamos suprir as demandas de forma igualitária, desde ações urbanas as ações rurais de cada município consorciado. Nosso comprometimento é que as associações tenham, além das fermentas necessárias para o crescimento rural, uma assistência técnica permanente”, observou o secretário executivo do CDS-LS.

Para o presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável de Itacaré (CMDRS), José Alves Bubu, esse apoio direto da Prefeitura, do Governo do Estado e do CDS-LS representa uma conscientização para a importância do incentivo da produção rural, sem deixar de perder o foco para a agricultura familiar.

O encontro contou também com a participação do vice-prefeito Genilson Souza, secretários municipais, vereadores, do comandante da 72ª CIPM, Major Hosanah Rocha, além de representantes do Instituto Chocolate, Sindicato de Hotelaria e Alimentação, Conselho Municipal da Agricultura Familiar, Associação de Conselhos Tutelares da Bahia, além de centenas de agricultores das mais diversas regiões de Itacaré.

 


Assentamento Pancada Grande é contemplado com orientação sobre formação de cacau

dia-de-campo-no-assentamento-pancada-grande-foto-viviane-cabral-1-2

Em uma atividade de campo promovida nesta segunda-feira, 9, pelo Consórcio de Desenvolvimento Sustentável – Litoral Sul, através do Projeto de Apoio à Rede de Associações Rurais (convênio 222/2018, celebrado com a CAR/SDR), os agricultores do Assentamento Pancada Grande e de outras associações rurais de Itacaré, tiveram um “Dia de Campo”, com palestras de orientações técnicas sobre as etapas iniciais e finais da produção de cacau, além de um momento prático da atividade.

O engenheiro agrônomo e especialista em cacau, Sândalo Vilas Boas Barreto, da Fundação Luiz Eduardo Magalhães/Bahiater, promoveu um bate papo com os produtores sobre como fazer a renovação da área de plantio do cacau visando aumentar produção do fruto. Segundo ele, o conhecimento e o trabalho coletivo são imprescindíveis para o desenvolvimento da produção, que vão desde informações sobre a planta do cacau até a colheita para que as suas etapas sejam seguidas da forma correta.

“Tem que conhecer a floração, a época de produção. Em cima da forma que ela [a produção] se desenvolve, o produtor vai aplicar as práticas de manejo. Além disso, a importância de melhorar a luminosidade do ambiente para a produção de cacau, que se adaptou a sombra. Esse é o primeiro passo antes de manejar o cacau. Depois tem que preparar o solo”, explicou Sândalo.

Na atividade prática, os produtores de cacau tiraram dúvidas sobre como coletar amostra de solo, a clonagem de cacau e a poda do cacaueiro para garantir uma melhor produção de cacau. O presidente do Conselho de Agricultura de Itacaré, José Alves Ferreira, “Bubu”, parabenizou a iniciativa que além de beneficiar a sua comunidade de Pancada Grande. “Foi um dia muito importante por ter tido a oportunidade de ensino na minha comunidade. Que possamos produzir mais ainda”, destacou.

Segundo o produtor José Souza, “Zito”, da Associação dos Quirinos, também de Itacaré, a região possui agricultores com uma produção de cacau muito baixo, que chega a ser 10 arroubas por hectare. Com as atividades de campo desenvolvidas pelo projeto, ele acredita no conhecimento para a melhoria das técnicas aplicadas a produção de cacau, e, consequentemente no aumento da colheita. “Com a produção maior, as pessoas não querem ir mais para a cidade, querem produzir e ficar com sua família no campo e ter uma boa produção”, revelou.

O coordenador do Setaf-SDR/Bahiater, Marcos Vinícius representou o governo do Estado da Bahia e revelou que muitos eventos ainda vão acontecer este ano com as associações rurais do Território Litoral Sul. Segundo ele, o objetivo do projeto é “fortalecer as associações, e, principalmente o agricultor familiar”.

Financiamento

Em outro momento da atividade, os agricultores foram orientados sobre crédito, no que se refere ao Pronaf – Floresta Cacau, pelo técnico da Bahiater, Bernardino Rocha. O coordenador do projeto, o engenheiro agrônomo Raimundo José Gomes informou que ainda no mês de março, vai acontecer na sede da Amurc, em Itabuna, uma capacitação na plataforma Pronaf – Floresta Cacau para técnicos dos municípios consorciados ao CDS-LS, em parceria com o Banco do Nordeste.

A atividade foi executada pelo Instituto Chocolate e contou ainda com a participação do secretário de Secretaria de Agricultura e Pesca de Itacaré, Humberto Matos. Segundo Raimundo, essa é a primeira ação realizada depois da aplicação do Diagnóstico Rural Participativo (DRP), com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento das atividades agrícolas das comunidades rurais.


SDR conhece experiência de produção de cacau orgânico em assentamento de Ibirapitanga

sdr_ibirapitanga_dois_riachoesUma equipe formada por dirigentes e técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), realizaram, nesta sexta-feira (24), uma visita ao Assentamento Dois Riachões, localizado no município de Ibirapitanga, Território de Identidade Baixo Sul.

O objetivo principal foi conhecer a experiência de produção orgânica de cacau no assentamento, que é um dos empreendimentos selecionados pelo edital do Bahia Produtiva, projeto executado pela SDR/CAR, a partir de acordo de empréstimo com o Banco Mundial.

Equipe da SDR conhece experiência de produção de cacau orgânico em assentamento de Ibirapitanga“O Assentamento Dois Riachões provou que é necessária uma intervenção muito mais objetiva no que diz respeito à agroecologia. É um assentamento com 39 famílias, dirigido por jovens, com um trabalho de agroecologia. Com certeza, a Bahia está obtendo bons frutos” destacou o secretário estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), Josias Gomes.

Gomes salientou ainda que atualmente 50% da produção de cacau produzido por agricultores familiares, correspondem a commodity: “No Assentamento eles estão enveredando por um caminho de produção de cacau fino, cujo valor é o dobro ou até às vezes o triplo do que alcança o cacau de commodity. Eles são jovens dinâmicos, conhecedores, com assistência técnica e extensão rural (Ater) dirigida, e eu não tenho dúvida que o papel da secretaria, como indutora do desenvolvimento rural baiano e da agricultura familiar, terá que participar mais e atentamente ao projeto desenvolvido hoje pelo Assentamento Dois Riachões”.

Assentamento Dois Riachões (mais…)


Inscrições para o Prêmio Prefeitura Parceira da Agricultura Familiar 2020 estão abertas

premio par agri famAs prefeituras municipais da Bahia já podem se inscrever no Prêmio “Prefeitura Parceira da Agricultura Familiar 2020”, que será concedido às que mais se empenharem no desenvolvimento de atividades, ações, projetos e programas locais de fortalecimento da agricultura familiar.

A ação é promovida pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e as inscrições devem ser feitas por meio do preenchimento do formulário específico, que poderá ser baixado no site: www.sdr.ba.gov.br.

O formulário deverá ser entregue, juntamente com os documentos comprovatórios indicados do Barema de Pontuação, também disponível nos sites, dentro de um ou mais envelopes fechados, até o dia 28/02/2020, às 18 horas, no Protocolo da SDR, situado à Avenida 2, nº 250, Centro Administrativo da Bahia (CAB) – Cep: 41745-001, Salvador – Bahia, ou em um dos 27 escritórios do Serviço Territorial de Apoio à Agricultura Familiar (SETAF), com endereços disponíveis no site www.sdr.ba.gov.br.

(mais…)


Aprovado projeto que estabelece percentual de cacau em chocolate

senadoA Comissão de Fiscalização e Controle (CTFC) do Senado aprovou nesta terça-feira (17) substitutivo a um projeto de lei que estabelece percentuais mínimos de cacau em chocolates e derivados (PL 1.769/2019).

Como se trata de texto alternativo, precisa passar por mais um turno de votação, antes de seguir para a Câmara dos Deputados, caso não haja recurso para votação em Plenário.

O senador Zequinha Marinho (PSC-PA), autor do projeto, lembra que a matéria foi resgatada de uma iniciativa da ex-senadora Lídice da Mata. O texto encontrava-se arquivado em razão do término da legislatura anterior. Zequinha destaca que o Brasil é o sexto maior produtor de cacau do mundo, tendo os estados do Pará e da Bahia como os responsáveis por cerca de 90% da produção nacional.

O projeto estabelece parâmetros a serem observados na produção de chocolate e seus derivados. Exige, por exemplo, um percentual mínimo maior de cacau no chocolate amargo ou meio-amargo, correspondente a 35% de sólidos totais de cacau, em comparação à exigência de 25% do atual regulamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O projeto também trata de conceitos, possibilidade de sanções e regras para os rótulos que identificam o percentual de cacau nas embalagens dos produtos.


Governo do Estado entrega veículos para distribuição de produtos da agricultura familiar na capital

entrega_veiculos_distribuicao_produtos_agricultura_familiar_capital-_-desenvolvimento_rural_sdrO Centro de Distribuição (CD) de produtos da agricultura familiar, em Salvador, recebeu mais investimentos e estrutura com a entrega de um caminhão refrigerado e dois veículos utilitários para compor a frota de distribuição dos produtos na capital. O ato foi realizado, neste sábado (30), durante a Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, evento que acontece até domingo (1º), no Parque de Exposições de Salvador.

O CD integra a estratégia de comercialização dos produtos da agricultura familiar do Governo do Estado, executada pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR). No CD se encontram depósitos fechados para armazenamento de produtos de cooperativas baianas, a fim de facilitar o escoamento da produção. A partir do primeiro semestre de 2020 deve começar a operar.

De acordo com o presidente da CAR, Wilson Dias, o centro é instrumento para que as cooperativas possam encontrar um local adequado para a entrega dos seus produtos e distribuição na região metropolitana de Salvador: “Isso será possível com equipe, veículos e equipamentos para que essas entregas sejam possíveis de serem feitas. Os veículos vão servir à equipe de vendas no Centro de Distribuição”.

CaminhãoDurante a feira, foi constituída a Federação das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária, que estará à frente da gestão do CD.  Para Dias, esse é um marco histórico das cooperativas da agricultura familiar da Bahia: “A federação encara esse novo desafio de estrutura para melhorar a área de vendas dos empreendimentos. A CAR segue dando apoio. Temos feito investimentos na base de produção, na instalação de agroindústrias e vamos apoiar a comercialização também. As associações e cooperativas precisam ter fluxo de saída”.

Para a presidente da Federação das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária e da União de Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária da Bahia (Unicafes), Regina Dantas, a expectativa com o Centro de Distribuição é o fortalecimento da agricultura familiar com foco exclusivo no mercado: “Faremos juntos, de uma forma democrática e compartilhada, a gestão desse CD e a 10ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária traz para agricultura familiar mais essa grande vitória, que é a profissionalização da comercialização com o apoio do governo do estado. Os equipamentos entregues hoje vão fazer toda logística na capital para a comercialização desses produtos entre o Centro de Distribuição e os mercados”. (Fonte SDR)


Encontro avalia prestação de assistência técnica e extensão rural na Bahia

Estratégias para ampliar a oferta da assistência técnica e extensão rural (Ater) na Bahia foram debatidas, nesta terça-feira (26), durante o Encontro Estadual de Avaliação da Ater, que integrou a programação da 10ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, que acontece até o próximo domingo (1º), no Parque de Exposições de Salvador, em paralelo à Fenagro 2019.

No evento, realizado pela Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), unidade da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), foram avaliados os serviços prestados pelas organizações responsáveis pela execução das Chamadas Públicas de Ater do Estado, além das ações que vêm sendo desenvolvidas no âmbito dos Serviços Territoriais de Apoio à Agricultura Familiar (SETAFs).

Josias Gomes, secretário de Desenvolvimento Rural, destacou a importância desse momento de avaliação: “Estamos avaliando a Ater desenvolvida junto ao segmento da agricultura familiar no estado, implementada de maneira ampla nos Territórios de Identidade e, conferindo os resultados auferidos pelas famílias assistidas e orientadas nos últimos anos. Com todo o esforço, nós atingimos 110 mil famílias dos estabelecimentos agrícolas, dos 560 mil existentes. Ainda é muito pouco e teremos que chegar até 200 mil famílias. Para isso, temos que contar com a parceria de organizações executoras de Ater, consórcios, prefeituras”.

Célia Watanabe, gestora Bahiater/SDR, afirmou que o alinhamentos das ações possibilita o êxito dos trabalhos: “Estamos reunidos com as organizações executoras dos contratos de Ater, por meio das chamadas públicas, juntamente com os (as) coordenadores (as) da Bahiater, nos SETAFs  para apresentar os resultados da Ater, articular as duas estratégias, onde uma depende da outra, para melhor atender o público da agricultura familiar. É possível conferir o quanto a Ater tem contribuído com a elevação da renda das famílias agricultoras”. Watanabe explicou que no encontro foram discutidas ainda as perspectivas e os desafios futuros.

ATERDermeval Gervásio de Oliveira, coordenador geral Fundação Desenvolvimento Integrado do São Francisco (Fundifran), que executa a chamada pública de Ater Sustentabilidade nos Territórios de Identidade da Bacia do Rio Grande, Velho Chico e Bacia do Rio Grande, beneficiando aproximadamente três mil famílias, destacou a importância da Ater para o desenvolvimento Rural: “A Ater é um instrumento importantíssimo na vida dos agricultores familiares, principalmente, das mulheres que estão participando aqui desse evento, por ajudar a desenvolver a sua propriedade e participar das políticas públicas do campo. É isso que vem acontecendo. Verificamos os resultados dos processos produtivos desde o beneficiamento ao acesso à comercialização, com cultivo de hortas orgânicas no processo de transição agroecológica”.

A Fundifran atua, especialmente com mulheres que trabalham com o beneficiamento de doces, a partir do aproveitamento de frutas do Cerrado e da Caatinga, vendidos para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Atua também com agricultores familiares que atuam na caprinocultura e bovinocultura de leite.

Helena Paula, coordenadora de Ater, do Centro de Desenvolvimento Agroecológico do Sudoeste da Bahia (Cedasb), que atua a partir da Chamada Pública Sustentabilidade, executada pela Bahiater, falou sobre as conquistas alcançadas pelos agricultores familiares após serem assistidos pela Ater:  “Com essa parceria, nossos agricultores familiares estão tendo a oportunidade de aumentar sua produtividade e diversidade de produtos, ter uma melhoria de vida não apenas financeira, como também social. Nós atendemos 720 agricultores familiares dos municípios de Vitória da Conquista, Cordeiros e Piripá, que atuam em uma diversidade muito grande, desde a criação de bovinos, caprinos, aves, feijão, milho, hortaliças e produção de biscoitos”.


Feira da Agricultura Familiar apresenta artesanato do interior no Parque de Exposições de Salvador

Feira da Agricultura Familiar apresenta artesanato do interior no Parque de Exposições de SalvadorA criatividade dos artesãos baianos de todas as regiões da Bahia poderá ser apreciada na 10ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, maior evento de comercialização da agricultura familiar do Brasil, que acontece de 23 de novembro a 1º de dezembro, no Parque de Exposições de Salvador, durante a Fenagro 2019.

Tecido, palha, metal, madeira, sisal, penas, ossos, couro, piaçava. Esses são alguns insumos que nas mãos de agricultores familiares baianos se transformam em arte e serão comercializados na Feira de Artesanato, um dos espaços que compõem o evento.

A Feira Baiana da Agricultura Familiar é promovida pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), em parceria com a União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes/BA), e se consolidou como um importante espaço de comercialização e prospecção de novos negócios para a agricultura familiar.

(mais…)


Feira Baiana da Agricultura Familiar começa neste sábado

feira_agricultura_familiar_baA Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária chega à sua 10ª edição ainda mais forte, para celebrar o crescimento do segmento que se consolidou e ganha cada vez mais o mercado da Bahia e do Brasil.

O evento acontece de 23 de novembro a 1º de dezembro, no Parque de Exposições de Salvador, durante a Fenagro 2019.

Este ano, além dos produtos já conhecidos como as cervejas artesanais de umbu e de licuri, linguiça de tilápia, iogurte de café, umbu e licuri e licuri caramelizado, a feira traz novidades como cerveja de maracujá da Caatinga, iogurte de abacaxi, cosméticos feito à base de mel, drinks de café, chopp de licuri, de cupuaçu e de mel de cacau, barras de chocolate com pimenta, gengibre e muito mais.

Considerado o maior evento de comercialização da agricultura familiar do país, a feira é organizada pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), em parceria com a União das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes/BA), e traz para a capital 2.638 produtos de 292 empreendimentos de toda a Bahia.

Em um ambiente agradável, com 27 armazéns cenográficos, que trazem toda a riqueza genuinamente produzida por associações e cooperativas da agricultura familiar, o público visitante vai se sentir no interior baiano.

bahia_cacau_semina_bemviver_2013_ssa_24_08_2019Também estarão sendo comercializados cortes especiais de cordeiro, espetinho de bode, carne defumada de caprino, azeite de licuri, vinho caseiro de jaca, queijo de leite de cabra maturado na cachaça e ao vinho, hambúrgueres de sardinha e de jaca, tilápia, ostra, cafés finos, chocolates, nibs caramelizado e granulado, cachaças, licores, mel, pólen, geleias, café gourmet, flocão de milho não transgênico, castanhas de caju, doces, sorvetes, sequilhos, biscoitos, beijus, artesanato, moda, cosméticos e muito mais.

Na 10ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, teremos ainda uma Praça Gastronômica com uma Vila do Forró, uma Cozinha Show, Praça Quilombola, Praça Indígena, Feira de Artesanato e Feira Tecnológica. Haverá também um rico conteúdo técnico-científico como o Simpósio de Pesquisas, as inovações do Balcão Tecnológico, seminários temáticos e eventos diversos, para fortalecer a agricultura familiar da Bahia, além de uma vasta programação cultural.

Expoentes da Agricultura Familiar

Para marcar os 10 anos da Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária, o evento contará com a exposição fotográfica Expoentes da Agricultura Familiar, uma homenagem a personagens que contribuíram para a construção da história da agricultura familiar baiana. Será lançado ainda um novo selo da agricultura familiar, que se tornará obrigatório pelas associações e cooperativas a partir da portaria da SDR. Durante a feira, a Bahia também fará a adesão, oficialmente, à Década da Agricultura Familiar, lançada pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Praça Gastronômica com uma Vila Forró

Uma das novidades da feira são as Ilhas do Bode e do Pescado. Na ilha do Bode, o público vai se deliciar com pratos como bode assado, hambúrguer de cordeiro, cortes especiais de cordeiros e cabritos como carré francês, filé mignon, costeleta, linguiças caprinas ovinas tradicionais, apimentadas e para churrasco. Na Ilha do pescado, catados de siri, aratu, sururu, chumbinho, linguiça defumada de peixe, filé, espetinho e caldo de peixe compõem alguns dos pratos que estarão sendo comercializados.

Na Praça Gastronômica, também poderá ser apreciada a culinária trabalhada pela agricultura familiar diversas regiões da Bahia, como as ostras do Recôncavo, a galinha caipira do Portal do Sertão, a moqueca de tucunaré da Chapada Diamantina e a Tapioca Gourmet do Sudoeste Baiano.

Além disso, para os amantes de uma boa bebida, a praça conta com quiosques com cerveja de maracujá da caatinga, chopp mel de cacau, de umbu, frozen de cachaça Abaíra e frozen de cachaça Paramirim.

Cozinha Show

Na Cozinha Show – Sabores e Saberes da Agricultura Familiar, nomes renomados na gastronomia como Fabrício Lemos, Marina Sabino, Bruna Moreira, Andrea Albuquerque, Caco Marinho, Rafael Zacarias e José Morchon farão uma interação entre a gastronomia e a origem dos alimentos com a apresentação de pratos desenvolvidos a partir dos produtos comercializados na feira.

Durante toda a semana, os chefs de cozinha darão aulas para estudantes de gastronomia de universidades públicas e faculdades privadas, com intuito de resgatar saberes culinários dos povos rurais, indígenas e quilombolas, revelando memórias e tradições no preparo de alimentos pouco processados, com a participação de representantes de comunidades. As aulas serão abertas ao público e as vagas são limitadas.

Programação cultural

A Feira, traz ainda uma programação cultural pra ninguém ficar de fora. Entre os destaques estão a apresentação do Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba) e a banda Vai-Quem-Quer, na segunda-feira (25), o forrozeiro Flávio Leandro, na quinta-feira (28), Estakazero e Adelmário Coelho, no sábado (30). Os shows acontecem na Vila Forró da Praça Gastronômica, sempre a partir das 19h.

Agricultura familiar baiana

solidaria (3)O Governo do Estado vem fazendo da agricultura familiar uma das principais forças do desenvolvimento do estado e, por meio do programa Bahia Mais Forte, executado pela SDR, vem promovendo um conjunto de ações direcionadas para o fortalecimento desse segmento, responsável por 77% dos alimentos que chegam à mesa dos baianos.

Ações como a oferta de serviços de assistência técnica e extensão rural (ATER), a implantação de agroindústrias para processar e agregar valor aos produtos da agricultura familiar, ações de comercialização para escoamento da produção e acesso ao mercado; distribuição de mudas frutíferas; mudas de palma para a segurança alimentar do rebanho.

São iniciativas que asseguram o desenvolvimento rural da Bahia, colocando a agricultura familiar no lugar de protagonista. Por meio delas, o desenvolvimento rural vai seguindo a lógica da geração de renda, emprego, produção de alimentos saudáveis, inclusão de gênero e geracional, garantia da sucessão rural, produção sustentável.

Serviço:

Local: Parque de Exposições de Salvador

Período: 23 de novembro a 01 de dezembro

Horário de funcionamento: das 8h às 22h

Ingresso: R$10 reais (exceto crianças e idosos a partir de 60 anos) (Fonte: SDR)