Aos 86 anos, morre o economista Paul Singer

Foto: Divulgação/PTAos 86 anos, morreu o economista,  um dos principais teóricos da ecomania solidária no Brasil, além de  integrante do grupo de fundadores do PT em 1980, Paul Singer.  Ele morreu ontem, segunda-feira (16).

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, Singer havia sido internado no Hospital Sírio-Libanês na madrugada e teve septicemia. O velório ocorrerá nesta terça-feira (17), a partir das 9h, no Cemitério Israelita do Butantã, em São Paulo. O sepultamento, no mesmo local, será às 14h30.

Singer foi um dos responsáveis pelo que o PT teve de mais celebrado em suas quase quatro décadas: a formulação de um programa de desenvolvimento a partir do fortalecimento do mercado interno via distribuição de renda.

Economista e doutor em sociologia

Paul Singer nasceu na Áustria em 1932 e chegou ao Brasil em 1940. Ele veio para o país fugindo da perseguição aos judeus na Europa.

Em 1953, foi um dos líderes da greve dos 300 mil, que durou quase um mês e foi um marco do movimento sindical.

Singer se formou em economia e fez doutorado em sociologia na Universidade de São Paulo (USP), onde foi livre docente em demografia e professor titular no curso de economia.

Foi aposentado compulsoriamente em 1968, com a decretação do AI-5, e passou a lecionar na PUC-SP, como ocorreu com outros perseguidos pela ditadura militar.

Durante a gestão de Luiza Erundina na Prefeitura de São Paulo (1989-1992), Singer foi secretário de Planejamento.

Paul Singer foi um dos precursores do conceito de economia solidária no país, baseada na produção com autogestão, sem patrões e empregados. Ele ocupou o cargo de secretário nacional desta área nos governos dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2011) e Dilma Roussef (2011-2016).


Comentários